Presidente Prudente (SP),

Apresentação da lição em power point

sábado, 27 de março de 2010

8ª viagem - ROSANA – 27/03/2010


Tinha planejado às 4 da madruga, mas estava chovendo, ai desanimei, mas quando acordei dei uma olhada no tempo e resolvi arriscar, eram 07:30 horas, alias as outras viagens também foram desta forma, quando não sai com chuva a peguei na rodovia, mas tudo bem.

Nestas viagens a minha intenção é curtir a paisagem, filmar, fotografar, pegar os flagrantes, etc.

Tudo normal até chegar em Teodoro Sampaio, engraçado nunca tinha pensado que a cidade fosse banhada pela paranapanemão, levei um susto, depois dei aquela parada básica no Morro do diabo e consegui fotografar os Três Morrinhos lá longe, (eles ficam em Terra Rica-PR).

Antes de chegar em Primavera resolvi entrar na Usina Hidreletrica Engenheiro Sérgio Motta (minha intenção era passar na volta), que espetáculo, atravessei a passagem filmando o lago e a barragem (10 km de lago), não tinha seguranças e nem funcionários, aproveitei e percorri toda a extensão do lago e fui dar uma voltinha no lado sul-matogrossense, matar a saudade.

Meu coração partiu quando cheguei em Rosana, a cidade é boa, legal, mas estão judiando dela, estão acabando com tudo, como conseguem? Primavera é distrito de Rosana é bem mais arrumadinha, tem mais construções, investimentos e bem mais cuidada.

Em Rosana a minha intenção era conseguir um piloteiro de bote e ir no ponto onde os rios se encontram (o Paraná e o Paranapanema), na minha ótica os dois não se bicam, não falam a mesma língua, um garoto de lá me confirmou isto, ele disse que as águas não se misturam, MAS EU NÃO FUI porque o tempo estava muito fechado, seria muito arriscado. Dei um tempo na prainha, pesquei um pouco com a molecada, estava vazio o balneário.

Então resolvi colocar em prática o plano B, voltei e fui pra Usina Hidrelétrica de Rosana (no rio Paranapanema), queria ver a ponte de Diamante do Norte (meu pai trabalhou nesta ponte), tinha varias pessoas apreciando a Usina, o rio e a ponte, fiquei bem no meio dela, a sensação é horrível quando passava caminhões, carretas, balança tudo. Aproveitei e fotografei alguns dourados e pacús que estavam agitadissimos na água, cardumes inteiros pulando água acima, cada bitelo. Depois respirei um pouquinho do ar paranaense e voltei para a estrada novamente.

A próxima parada foi em Euclides da Cunha Paulista, uma cidade beira rio normal como as outras, porém a prainha e orlinha, é de deixar de queixo caído, e o rio estava bravio, agitadíssimo. Queria passar para o lado paranaense (Terra Rica), mas acho que por falta de movimento a balsa não estava funcionando, ou pelo menos imaginei isto. Deste ponto em Euclides dá para ver certinho os Três Morrinhos em Terra Rica.

Voltei para a rodovia e em Tiodoro Sampaio resolvi ver a ponte sobre o rio Paranapanema (dista 15 km), foi ai que descobri que na verdade alem da ponte tinha também a usina Hidrelétrica de Taquaruçu, quase voltei, mas encontrei um tiozinho que me disse que era “logo ali” e que para Prudente não precisava voltar por Mirante, pois perto da Usina tinha um trevo para Sandovalina, era bem mais perto, duvidei, mas fui, mesmo porque não estava com pressa de chegar, num deixei filho pequeno para tratar e nem tinha ninguém na rabeira dizendo “vamos chegar logo, vamos chegar logo”, aff.

Que presente maravilhoso dos céus, este trecho até Sandovalina é uma rodovia recapeada, mas está um tapetizinho, coisa mais linda, parecia que estava flutuando, que delícia, se todas fossem assim.

Este é um breve relato desta viagem, cheguei em Prudente 19:30 horas, valeu cada minuto.

Em abril tem outra.

vejam as fotos e os vídeos no orkut: me localizem por:ailtonsilva2000@yahoo.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário