Presidente Prudente (SP),

Apresentação da lição em power point

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Os falsos Profetas


INTRODUÇÃO
A capacidade do Diabo em imitar as coisas de Deus é muito grande e desde os primórdios da história ele vem utilizando de suas astúcias para quebrar a comunhão do homem com Deus. Em algumas ocasiões ele usou, até mesmo, pessoas da confiança do próprio povo, como foi o caso de muitos “profetas” de Israel, que ludibriavam o povo com suas falsas mensagens, que muitas vezes foram tidas por verdadeiras profecias. Este foi o caso de Zedequias, filho de Quenaana, e seu grupo de profetas, que conseguiram impressionar o rei Acabe (1Rs 22:5-28; 2Cr 18:4-27). Estes falsos profetas fizeram, em nome de Jeová, promessas incoerentes e ludibriadoras, que jamais se cumpririam.

A principal missão destes falsos profetas era corromper a fé dos salvos e destruir a unidade da Igreja nos dias de hoje (Mt 7:15-23).

Como identificá-los? Como saber se estão em nosso meio?

a) Discernindo o caráter da pessoa.
O caráter é o conjunto de qualidades boas ou más de um individuo que determina a conduta em suas relações vertical (com Deus), horizontal (como o próximo) e interior (consigo mesmo). O caráter de uma pessoa não apenas define quem ela é, mas também descreve seu estado moral e a distingue das demais de seu grupo(Pv 11:17; 12:2;14:14:20:27); é o traço distintivo de uma pessoa; é a sua marca. Não nos preocupemos com os sinais, prodígios e maravilhas que alguém venha a fazer, mas, sim, com a presença do caráter cristão na sua vida.

b) Observando os frutos da vida e da mensagem da pessoa.
Os frutos dos falsos pregadores comumente consistem em seguidores que não obedecem a toda a Palavra de Deus(ver Mt 7:16). O falso profeta se torna exemplo, espelho e referencial para os seus seguidores que fatalmente o imitarão.


I.A FALSA MENSAGEM PROFÉTICA
No tempo de Jeremias havia falsos profetas, que pregavam mensagens “bonitas”, que vendiam ilusões, que enganavam o povo. Mas o profeta de Deus os advertiu em Jr 23”16. Esses falsos profetas possuíam algumas características:

•eram profissionais da religião;
•enganavam o povo, para tirar proveito pessoal;
•não foram chamados;
•não tinham compromisso com Deus;
•não conheciam a Palavra;
•falavam aquilo que o povo queria ouvir;
•pregavam abundância de bênçãos materiais.

2. O falso profeta Hananias (Jr 28:1)
Que apresentava uma “mensagem maravilhosa” e tinha a ousadia, e até mesmo a insolência, de proclamá-la abertamente, como se vê no capítulo 28:2-4 de Jeremias. Ele era do tipo que impressionava com suas mensagens. Falava como profeta, tinha discurso de profeta e vestia-se como profeta. Aliás, era mais dramático que os profetas de Deus. Além disso, só falava o que o povo queria ouvir. Pregava a paz e determinava a prosperidade.

Com grande arrogância, Hananias desafiou Jeremias no Templo de Jerusalém diante do povo e dos sacerdotes; ele estabeleceu um limite de dois anos na sua profecia (Jr 28:3) e profetizou o retorno do Rei Jeoaquim e o fim do domínio caldeu enquanto que Jeremias falava que seriam setenta anos de cativeiro, pois era a vontade de Deus. Hananias era um fanático. Fanáticos sempre estão com pressa.


II – O FALSO PROFETA DESMASCARADO
Audácia e arrogância são características marcantes na vida dos falsos profetas. Audácia por se encorajarem a entregar algo sem a chancela Divina e arrogância por desprezarem aqueles a que Deus constituiu de fato e direito para este oficio.

A ousadia de Hananias incitou a ira de Deus e a sua arrogância foi o prelúdio de seu castigo, pois ele não ficou impune, pagou com a própria vida por sua rebelião contra o Senhor.

Esse é o destino daquele que, sem temor nem tremor, brinca com o nome de Deus, zombando-lhe da Sua santidade(ver Dt 18:20). Deus não tolera um líder do seu povo colocar palavras mentirosas em sua boca. Portanto, Hananias foi desmascarado e morto; Jeremias, confirmado como profeta de Deus.


III – O DOM DE DISCENIR
Este foi o caso da jovem da cidade de Filipos, em Atos 16”16-18, que tinha o espírito de adivinhação pois Paulo usando o dom do discernimento espiritual percebeu que a mensagem daquela jovem era diabólica, e repreendeu o espírito maligno. Por que o apóstolo se sentiu incomodado por um espírito maligno anunciar a verdade a seu respeito? Se Paulo aceitasse o testemunho do demônio estaria ligando a pregação das Boas Novas a atividades relacionadas a demônios. Isso traria grandes prejuízos à mensagem a respeito de Cristo. A luz e as trevas não se misturam.

Alguns princípios devam ser observados em relação ao dom de profecia:

a) qualquer crente que tenha experimentado o enchimento do Espírito pode profetizar (At. 2.16-18);

b) a igreja não deve ter o dom profético como infalível (I Jô. 4.1; I Ts. 5.20,21);

c) toda profecia precisa ser avaliada pela Palavra de Deus e contribuir para a santificação da igreja.

Os profetas do NT utilizavam do exercício do Profecia como dom e não como ministério igual aos do AT O último profeta que exerceu como ministério foi João Batista.

fonte:
http://www.ebdweb.com.br/
BAP
Revista EBD

Nenhum comentário:

Postar um comentário