Presidente Prudente (SP),

Apresentação da lição em power point

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

DESMONTANDO PRESÉPIOS – ORIENTAÇÕES PRÁTICAS:

1º passo - Mt 2:1-11
Pegue a sua Bíblia (presépio nenhum resiste à Palavra de Deus) - Mt 2:1-11



2º passo - Mt 2:1
Vamos descoroar os magos, pois eles não eram reis (Mt 2:1), eram apenas estudiosos, adivinhadores que provavelmente conheciam boa parte das profecias messiânicas. Acho que conheciam mais que os próprios hebreus, pois perceberam o sinal e acreditaram. Como homens de outras regiões da terra acreditaram, mesmo não conhecendo a essência da promessa? E os maiores interessados repousavam em suas casas ainda esperando o Messias valente, general, com tanques de guerra e grande exército. Talvez um pregador de prosperidade, vitória sem luta.


3º passo - Mt 2:11
Não foram três magos, por isto deleto um, acho que vou tirar outro, tradição por tradição, poderiam dizer que foi apenas um “rei mago muito rico”, que viajou centenas de léguas sem exército, sem proteção e acreditando em algo que não era para glorificação da nação dele, mas somente de Israel, como seria emocionante, muitos chorariam e tomariam como exemplo, provavelmente viajariam centenas de milhas para repetirem o ato (fazem hoje com cruz) e socorreriam algum recém nascido. Quantas palmas ouviríamos por isto? Eu não se isto seria tão pior ou desnecessário quanto jogarem balas de caminhonetes zero para as bobas crianças, uma vez por ano, imaginando que isto apagará os 364 dias de humilhação que provocam nos pais delas. No mínimo foram dois magos, mas vou deixar apenas um.



4º passo - Mt 2:11
Vou tirar o bebê do presépio, pois creio que pela resposta dos magos a Herodes e por evidências bíblicas Jesus não foi encontrado na manjedoura, em uma gruta e muito menos neste dia fatídico. Para ser mais exato Ele já estava em idade para frequentar “creche, maternal 1 ou quase na fase final do berçário 2” (pela minha experiência profissional).

Ele estava com seus pais em sua casa, aguardando orientações de Deus e não ali exposto e desprotegido. Todo cuidado era pouco, pois naquele tempo já corria perigo.


5º passo - Mt 2:11
Como não tinha a figura do bebê, logicamente os pais não estariam ali, pois que função teriam naquele lugar? Então vou tirar do presépio a mãe e o pai, mesmo porque estava cuidando dele na casa. Afinal de contas, vai que aparece um papai noel (credo), rodeado por renas (credo 2) num trenó (credo 3), para trazer presentes? Não, para levar, pois o papai noel não traz, ele leva (seu 13º salário).


6º passo - Mt 2:11
Como o bebê e o pais não estavam naquele lugar, não teria lógica os magos pararem ali, a não ser para descansarem um pouco da viagem. Aquela gruta era para animais, por isto vou deixá-los. A estrela também vou deixar pois ela foi a guia, mas os magos não entenderam, eles erraram o endereço. O Messias não estava na gruta, estava na casa ao lado. Se pelo menos tivessem perguntado a alguém: “Onde está o menino, viemos adorá-lo? Para Herodes fizeram esta pergunta, porque não repetiram o mesmo gesto aos vizinhos do bebê? Certamente alguém responderia: “O menino que vocês procuram está na casa ao lado”.


Viram como é fácil desmontarmos um presépio, aliás quanto trabalho sem necessidade! A desmontagem? Não, a montagem. Aquela gruta servia apenas de refúgio de animais. Quando os magos chegaram encontraram Jesus correndo e brincando pela casa.

Os natais incitam ou não à idolatria?

Um povo que deveria estar estudando a Palavra, buscando as revelações de Deus, mas ficam perdendo tempo com este calendário escravizante. Se toda esta disposição e garra para defender esta tradição (romana, pagã e anterior ao paganismo, idos de Genêsis, pós dilúvio, início da idolatria no mundo) fosse revertidas para a EBD e aos culto de ensinamentos?

Mas como disse anteriormente: Respeito quem comemora, mas na minha "guela" não desce. Prefiro comemorar a morte e ressurreição, que são mandamentos claros para a igreja. Sinto Muito.

Por: Ailton da Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário