Apresentação da lição em power point

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Tudo posso?


Podemos muito, mas o que? Possuir, adquirir, conquistar, ser, ter, receber a todo e a qualquer custo?

a) Vida próspera;
Israel pode, um dia, ter uma vida próspera, mesmo no Egito, nos auges tempos da administração de José, pois herdou uma das melhores terras do território egípcio (Gn 47.11), e antes da libertação o próprio opressor atestou a sua grandeza e prosperidade, mesmo na escravidão (Ex 1.9), mas como sempre o que inicia tem o seu fim, ainda mais quando se trata do materialismo e superficial.

A alegria dos hebreus durou pouco, talvez alguns míseros anos após a geração de José, mas usufruíram de algum conforto e prosperidade material, afinal eles fizeram por onde, mereceram, buscaram tanto e Deus os concedeu aquela benção. O que eles fizeram? Simplesmente disseram sim ao convite de José. O lema daquela pequena comitiva (Gn 46.26) que acompanhou Jacó na viagem para o Egito era: “Tudo podemos naquele que nos fortalece”. Que alegria, vamos lá receber nossa recompensa. Tudo podemos, mesmo em terras estranhas. Não importa o inimigo, somos valentes, temos Deus, conquistamos.

Quem fortaleceu eles? Jeová ou José? Em quem depositaram a confiança? No espiritual ou no material? Sim eles puderam muitos, por Jeová, foram muitas bênçãos materiais, que alegraram a nação, mas que um dia acabaram.

b) Vida santa;
Uma das preocupações de Moisés era justamente o total desconhecimento de Israel em relação a Deus (Ex 3.13), como então acreditariam e aceitariam de bom grado aquela nova forma de vida a qual estavam sendo apresentados? Isto não seria empecilho para que recebessem a benção da libertação, pois já estava determinado por Deus (Ex 3.7).

O caminho para que se apresentassem como os verdadeiros adoradores, tão procurados por Deus (Jo 4.23), afinal para isto estavam ganhando a liberdade (Ex 3.18), para adorarem e sacrificarem no deserto. Estranho, pois com todos estes privilégios e certezas não conseguiram manter a fidelidade a Deus. quando a recompensa era material, visível, posses, conquistas, foram sem medo (na mudança para o Egito), mas quando se tratou do espiritual, vida santa, então eles mediram seus esforços e não se portariam como deveriam.

Uma coisa é poder tudo e outra é poder todas as coisas naquele que nos fortalece. Ser santo é difícil, encontramos barreiras, problemas, aparecem as reclamações, murmurações, falta tudo, mas quando a benção envolve o “ter” não nos importamos com as dificuldades, problemáticas, equações e inequações da vida que não conseguimos resolver, tampouco com o inimigo. Deus está conosco, vai nesta tua força.

Por: Ailton da Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário