Álvares Machado, SP -

Apresentação da lição em power point

Mais apresentações em:http://www.slideshare.net/ailtonsilva2000/presentations

quarta-feira, 18 de abril de 2012

20) A cura do paralítico de Cafarnaum – os 4 Evangelistas.


O homem que entrou pelo telhado e saiu pela porta da frente. Não teve forças para descer pelo telhado sozinho, mas na saída teria, caso desejasse.

MATEUS 9.1-8
• 1 – Jesus sempre se dirigia para os lugares onde sabia que encontraria necessitados. Ele atravessou o mar da Galiléia até Cafarnaum e se deparou com um paralítico, trazido na própria cama. O pensamento dele era: “Se Jesus não vem até a minha cama, então minha cama vai até Ele”?

• 2 – Jesus viu a fé de todos, tanto do paralítico quanto dos que o levaram. Primeiramente os seus pecados foram perdoados. Era o que estava necessitando para a sua alma. Porque não foi embora? O mais importante já havia conseguido. Todos ficaram parados, não entendendo a atitude de Jesus. Alguns esperavam algo mais e outros estavam enraivecidos pela declaração de perdão dada ao paralítico;

• 3 – Isto foi suficiente para que a turba se revelasse. Eles andavam sempre acompanhando Jesus para agirem no momento certo;

• 4 – Neste momento eles conheceram a onisciência de Jesus. Não havia necessidade de palavra, pois Ele discerne os nossos pensamentos (HB 4.12);

• 5 – Aquele era realmente o dia da benção para o paralítico. Os escribas provocaram Jesus e o pobre homem aguardava ansioso pelo desfecho daquela história. Será que sobraria algo de bom para ele? Aquela afronta dos doutores da lei estava prestes a proporcionar um grande milagre;

• 6 – Se não fosse a atuação dos escribas, o paralítico seria curado? Jesus, com apenas um ato, Jesus efetuou três trabalhos: perdoou pecados, curou um paralítico e provou sua divindade;

• 8 – A multidão se alegrou com a cura e com o perdão dos pecados do paralítico, mas ficaram maravilhados com a prova da divindade de Jesus.


MARCOS 2.1-11
• 1 – Não foi mencionado como Jesus chegou até Cafarnaum, como Mateus bem detalhou (9.1);

• 2 – Naquela casa se ajuntaram muitos (Mateus não mencionou o lugar onde se dera o encontro de Jesus com o paralítico);

• 3 – Em Mateus também não foi mencionado a quantidade de amigos que conduziram o paralítico. Os quatro carregadores, que se condoeram da situação daquele pobre homem;

• 4 – Mateus não registrou os procedimentos dos amigos, tampouco as dificuldades, tais como: a multidão na porta, o telhado e a necessidade da abertura de um buraco para que o paralítico chegasse até Jesus. “Aqueles amigos devem ter carregado o paralítico pelas escadas até ao telhado, então removeram a mistura de barro e palha o suficiente para descer o amigo até a presença de Jesus” (BAP, p. 1290). Não erraram o alvo, acertaram na primeira tentativa;

• 5 – idem Mt 9.2;

• 6 – Então entraram em cena os escribas, os homens cheio de lei e vazios de fé, os quais não aceitaram o perdão dos pecados oferecidos por Jesus. Afinal a cidade era influenciada pela cultura greco-romana, que não aceitava tal tipo de afirmação vinda de um ser humano, apesar que o legalismo judaico também não permitia tal fato. Eles tentaram mudar o conceito que alguns, da multidão, já tinham de Jesus;

• 8 – idem Mt 9.4. O homem arquiteta em seu coração e esconde, pois não tem coragem de falar, mas Jesus revela e não deixa nada encoberto (Mt 10.26);

• 9 – idem Mt 9.5;

• 10 – idem Mt 9.6;

• 11 – Então o paralítico tomou o seu leito e saiu da presença de todos, inclusive se afastou de Jesus. A multidão glorificava a Deus.


LUCAS 5.17-26
• 17 – Jesus estava ensinando e estavam ali alguns fariseus e doutores da lei (escribas) assentados, esperando o momento certo de agirem;

• 18 – Tudo estava sobre controle até o momento em que apareceram 4 homens trazendo um paralítico e procuravam de todas as formas se aproximarem de Jesus;

• 19 – Mas a multidão impedia, então os amigos “subiram” e o paralítico “desceu”;

• 20 – idem Mt 9.2 – Mc 2.5;

• 21 – idem Mt 9.3 – Mc 2.6-7;

• 22 – idem Mt 9.4 – Mc 2.8;

• 23 – idem Mt 9.5 – Mc 2.9;

• 24 – idem Mt 9.6 – Mc 2.10;

• 25 – idem Mt 9.7 – Mc 2.12;

• 26 – idem Mt 9.8 – Mc 2.12


JOÃO
• Não há registros.

PRÓXIMO ASSUNTO: Jesus comendo com os pecadores (ora, deveria comer com quem? Com a nobreza grego-judaica-romana?

Fonte:
Bíblia de estudo aplicação pessoal. CPAD, 2003

Bíblia Sagrada: Nova tradução na linguagem de hoje. Barueri (SP). Sociedade Bíblica do Brasil, 2000

Bíblia Sagrada – Harpa Cristã. Baureri, SP: Sociedade Bíblica do Brasil, Rio de Janeiro: Casa Publicadora das Assembléias de Deus, 2003.

Por: Ailton da Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário