Presidente Prudente (SP),

Apresentação da lição em power point

sábado, 19 de maio de 2012

O desabafo do Pai


Tive sete filhas, formosas à vista, que me alegraram muito. Quando olhava para elas via meu proprio reflexo (II Co 3.18). Todas elas enfrentaram problemas em seu nascimento, pois foram geradas em lágrimas e foram muitas as “dores de parto”. Alguns heróis da fé padeceram e não contemplaram sua chegada à este mundo (Hb 11.13).

Não fiz distinção de nenhuma, amei a todas da mesma forma (At 10.34), mas parece que algumas delas foram, pouco a pouco, se distanciando de Mim.

Eu poderia ter usado meu poder e autoridade (Mt 28.18) de Pai, para corrigi-las, trazê-las de volta, reforma-las, mas meu desejo era que elas próprias identificassem seus erros e buscassem um concerto.

Mesmo assim não descuidei um minuto delas, pois meus olhos sempre estiveram fitos, minhas mãos estendidas e o meu ouvido atento (Is 59.1).

Que satisfação ao vê-las correndo de um lado para o outro, felizes, em comunhão umas com as outras, aprendendo aos poucos e aplicando o aprendizado para o bem do crescimento do reino do Pai.

Minhas filhas nasceram e foram criadas nas cidades de:
·         Éfeso;
·         Esmirna;
·         Pérgamo;
·         Tiatira;
·         Sardes;
·         Filadélfia;
·         Laodicéia.

Todas me deram alegria, no inicio, mesmo em meio aos problemas, pois surgiram muitos para impedirem o crescimento e trabalho, entre os quais destaco:
  • O império romano que às vezes não interferia nos problemas alheios (Mt 27.24),
  • A política judaica, fruto da neutralidade, que tinha por objetivo a manutenção da ordem para que seus cargos políticos fossem preservados (Mt 24.1-4);
  • Os maus, mentirosos e falsos apostolos (Ap 2.2);
  • Os falsos judeus e as sinagogas de Satanás (Ap 2.9);
  • Os que seguiam a doutrina de Balaão e dos nicolaítas;
  • Os que seguiam os ensinos de Jezabel (Ap 2.20);
  • E por fim o conformismo e a morte espiritual (Ap 3.1; 15).

Mesmo em meio a estas dificuldades, elas cresceram fortes, mas aos poucos algumas permitiram a entrada do mal e foram, aos poucos, perdendo a alegria, a força e o temor  e o temor. Elas não identificaram seus problemas, por isto enviei cartas para que conhecessem a suas situações e se voltassem a Mim.


1) Éfeso. Cidade intelectual, igreja sábia.
Rica em obras, mas pobre em amor. Se aprofundou na Palavra, tanto que não foi enganada por qualquer conversinha de aventureiros intinerante (At 5.36-37; 21.38) ou por qualquer ventinho de doutrina (Ef 4.14).

Como era prazeroso vê-la colocando em prática o seu aprendizado (At 20.31), combatendo os falsos apóstolos, as heresias (Ap 2.2), o pecado moral (Ap 2.6) e os falsos ensinamentos apresentados pelos nicolaítas.

Mas o seu primeiro amor esfriou, ela esqueceu e passou a se preocupar somente com os seus problemas.

O conhecimento foi necessário, pois a cidade, como berço da filosofia grega, pedia pregadores que fossem capazes de afrontarem todos aqueles milenares ensinamentos.

2) Esmirna. Cidade soberba, igreja mártir.
Viveu pela fé, perseguida, esmiuçada, mas não saiu do lugar, permaneceu na sua vocação (I Co 7.20-24). Como era prazeroso contemplar suas lágrimas, ante as perseguições. Quantas vezes ouviu suas orações e respondi, mas algumas situações foram necessária para que servisse de exemplo para as outras.

Eu sempre estive ao seu lado, até mesmo quando se defrontou com aqueles abismos onde não havia possibilidade para prosseguir ou muito menos retornar, haja vista, estar a espada romana apontada à sua retaguarda. Fiel, permaneceu no mesmo lugar e não fugiu, a procura de melhores ares.

3) Pérgamo. Cidade ignorante, igreja dividida.
Como você sofreu neste lugar? Cidade idolatra, que possuía o trono do Maligno. Você resistiu e por algum tempo soube se desvencilhar dos problemas apresentados pela cidade, mas as ofertas tentadoras foram, aos poucos, lhe vencendo. Honrarias a homens, idolatria, imoralidade e ensinamentos errados apresentados pelos seguidores da doutrina de Balaão e pelos nicolaítas, os quais você não conhecia a origem deles, invadiram o teu ser.

O maligno mudou o plano e você não percebeu a cilada. O seu casamento com o mundo foi oficializado por ele. A associação deu mais resultado que a perseguição. Esta arma foi mais cruel e perigosa, a introdução do paganismo no cristianismo, uma mistura, uma pedra de tropeço. Você negociou sua fé e se permitiu ser abraçada pelo mundo.

4) Tiatira. Cidade comercial, igreja tolerante.
Dei uma atenção especial a você, pois sua carta foi mais extensa que as outras, já que o seu grave problema precisava ser corrigido. Houve muito amor aflorado em sua pele, mas não era perfeito diante da sua tolerância ao mal, as suas vistas grossas.

Você permitiu a permanência de ensinamentos contrários ao que havia aprendido e recebido de Mim (I Co 11.23) e este foi o seu maior erro, pois as portas para a idolatria, adultério moral e espiritual foram abertas.

Eu sempre ensinei que deveria resistir ao inimigo, para ele fugisse de vós (Tg 4.7), mas você preferiu conhecer as profundezas do pecado, pensando assim que poderia resisti-lo. Cometestes o mesmo do primeiro casal (Gn 3.1-7).

5) Sardes. Cidade convencida, igreja morta que vivia de seu passado.
Você parecia tão perfeita, bonita, pelo menos aos olhos humanos (Mt 23.27), mas não diante de Mim, não passaste pelo meu crivo.

Não aprendestes com a história da cidade, antes cometeu o mesmo erro, pois achou-se indestrutível, invencível, pensava que estava bem guardada as suas entradas, mas se esqueceu, assim como a cidade, da porta dos fundos. Local justamente por onde o Maligno costuma adentrar. Por isto não tenho motivos para tecer algum elogio a ti. Eu atestei tua morte.

Você perdeu a memória, distanciou-se de Mim, conformou-se com o mundo, teve dupla cidadania (Ef 2.19, cfe Mt 6.24).

6) Filadélfia. Cidade missionária do helenismo, igreja missionária do Cristianismo.
Me alegraste com tua fidelidade, mesmo com poucas forças, não negaste o Meu nome e guardaste a minha Palavra. Como você foi diferente das anteriores. De sua fraqueza extraiu a sua força e a sua pobreza enriqueceu o mundo, por isto lhe abri uma porta e lhe concedi a estabilidade até a minha volta, muito ansiada por ti.

Poderias tu se imaginar melhor ou mais importante que as anteriores ou que tivesse alcançado o estagio final de perfeição e que por isto não teria condições de desagradar-Me, mas tu não agiste desta maneira.

Antes de ti, houve muitos problemas, dos quais você não está isenta, então vigie, pois corres perigo (Ap 3.11b), muito mais que as anteriores. O seu tesouro pode ser tirado ou roubado (Jo 10.10). Vigie para que ninguém tome a tua coroa, caso isto aconteça o seu estado tornar-se-á semelhante ao de Laodicéia.

7) Laodicéia. Cidade riquíssima, igreja ......
Na próxima oportunidade falarei algo a respeito de ti.

Eu escrevi a vocês, e não ao mundo, justamente para adverti-las, já que não foram capazes de identificar seus erros. Todas fazem parte do meu plano.

Minha intenção não foi condená-las, mas sim adverti-las. Assinado: o Pai

Por: Ailton da Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário