Apresentação da lição em power point

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Breve resumo da aula do Prof. Dr. Caramuru


Elias não foi embora de Querite após o rio secar-se. Ele esperou a ordem de Deus.

Elias não questionou a Deus e obedeceu prontamente e não ficou procurando sentido ou lógica nas ordens recebidas. Ele foi chamado para defender o culto ao verdadeiro em Israel, mas Deus mandou ele ir para Sidom, fazer o quê? Se foi chamado para mostrar que ainda existia Deus em Israel, porque então iria para outra nação? 

Deus tirou um profeta da terra prometida? Mandou Elias habitar no território que era governado pelo pai de Jezabel (1 Rs 16.31). Terra de Baal.

Vai morar lá! Porque terá uma viúva para lhe sustentar. A situação dela era precária. Em Israel havia a lei que garantia alguns direitos para as viúvas, mas as nações vizinhas não atentavam para elas.

A seca não foi somente para Israel saber que o Senhor era Deus, mas serviu também para Elias descobrir isto, pois percebeu que a seca também atingiu outras nações, no caso Sidom.

Elias ao chegar à cidade descobriu que não havia lenha, por isto a viúva estava à porta, portanto poderia ter questionado a Deus neste momento. Percebeu que a própria viúva recolhia lenha, não tinha ninguém para recolher por ela. Ele viu uma mulher que não tinha nem onde cair morta. Elias estava andando por fé e não por vista (2 Co 5.7).

Elias, comedido e educado, pediu somente um pouco de água. Ele percebeu a condição dela e não se aproveitou, bem diferente dos fariseus (Mt 23.14). Mesmo de Sidom, uma estrangeira, ela amava o próximo e atendeu prontamente ao profeta. Havia tantas viúvas em Israel, mas Deus escolheu a de Sarepta (Lc 4.25-26).

Elias estava com sede, tanto que logo quando chegou, pediu água para a mulher. Ele descobriu que era ela que o sustentaria, por isto pediu o bocado de bolo, não pediu a mais, somente o necessário.

Ela sabia que ele era israelita, “vive o Senhor teu Deus”. Ela reconheceu a soberania de Deus, por isto foi a escolhida. A viúva fez a parte dela, cumpria seu deveres. Elias teve a certeza de que ela o sustentaria, então ele entregou a benção profética. Ele pediu que fizesse um bolo pequeno e não grande e somente para ele.

Seria estranho para Elias morar com uma gentia, com filho, viúva e em uma cidade que estava sofrendo com o que houvera ele mesmo profetizado. Muitos comentários devem ter surgido. Ele também não era bem visto naquela cidade devido a sua nacionalidade.

Maldição de Baal: os comentários chegaram até a viúva. Era Baal lutando contra o Deus de Israel. Elias estava acolhido na casa dela e seu filho doente, piorava a cada dia, mas estava sendo suprida a cada dia, por isto ela não deu ouvidos. No dia da morte do filho ela desabafou com Elias. Ela pensava que Deus amava somente Israel e que a multiplicação do azeite e da farinha havia sido somente para Elias. Ela questionou e o profeta não disse nada de revelador, apenas pediu seu filho (1 Rs 17.18).

“Agora sei que tú és homem de Deus”, só agora. Depois de tanta multiplicação, somente agora é que foi reconhecer isto? Ela descobriu que o Senhor era o único, em todas as nações.


Por: Ailton da Silva - Ano III

Nenhum comentário:

Postar um comentário