Apresentação da lição em power point

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Mensagem 65: O povo que quase perdeu a benção, logo nos primeiros dias da caminhada


INTRODUÇÃO
Israel foi ouvido por Deus e recebeu a libertação. Enquanto estavam no Egito não representavam perigo para ninguém, a não ser para os próprios egípcios. Nenhuma outra nação os reconhecia como povo, mas quando iniciaram a caminhada no deserto, todos ficaram espantados com as ações de Deus em seu favor.

1) Quem eram eles:
  • Numerosos temidos pelos opressores, sem território (Ex 1.7-9)

2) Situação espiritual antes da chegada de Moisés
  • Não conheciam a Deus (EX 3.13)

3) Não eram merecedores:
  • Não faziam por onde e nunca demonstraram nenhuma ação pela qual pudessem ser salvos (Ef 2.8);
  • Mas Deus se lembrou deles (Ex 2.24), sombra da graça.

4) Situação espiritual antes da saída:
  • Comemoraram (Ex 12.10, 28) a libertação antes de saírem demonstraram muita fé “A páscoa era o feriado que celebrava a libertação de Israel Egito. A celebração da páscoa destinava a lembrar da noite em que o Senhor ignorou a casa dos israelitas”. (Ex 12.1-3, 6, 11 – nota de rodapé da BAP). Para saírem do Egito, Deus não estabeleceu condição nenhuma, pois seria uma benção incondicional, já para entrarem em Canaã a conversa seria outra (cf Nm 14.22-24).

5) Quase perderam a benção logo nos primeiros passos:
Devido aos acontecimentos, logo após a saída do Egito, quase perderam a benção. Se comparados aos quase 40 anos que peregrinaram no deserto (Js 5.6) os primeiros dias foram tenebrosos. Havia muita mistura (Ex 12.38). Religiosamente não havia diferença entre hebreus e outros povos, eles mal acabaram de conhecer a Deus.
  • Eles deveriam calar-se, mesmo assim murmuraram (Ex 14.14);
  • Se continuassem falando bobagens poderiam voltar ao Egito, como desejaram algumas vezes (Ex 14.12; 16.3; Nm 11.5 – as 3 maiores mentiras de Israel no deserto);
  • Se voltassem, o sofrimento seria maior, pois o Egito vingaria os mortos, as pragas e os prejuízos materiais pós pragas.
Quando deveriam ficar calados, eles preferiram falar e reclamar e quando deveriam falar, feririam a rocha (Nm 11.22), por isto o líder perdeu a benção por ter falado bobagens, muito mais aquele povo de coração duro e de dura cerviz.

CONCLUSÃO
Deus trabalharia a favor deles, pois seria ilógico serem tirados do Egito para morrerem no deserto (Dt 9.28). Para que isto não acontecesse deveriam crer e esperar pelos livramento de Deus sem reclamarem e em alguns casos em silencio.

Por: Ailton da Silva - Ano III

Nenhum comentário:

Postar um comentário