Presidente Prudente (SP),

Apresentação da lição em power point

sábado, 12 de março de 2016

Lição 11 - aplicação


Lição 11
O juízo final
1º trimestre 2016

O apito final, o dia do acerto de contas entre os ímpios e Deus, enfim chegará. A igreja, livre deste momento, contemplará o resultado do usufruto do livre arbítrio, que é a responsabilidade pelos atos, uma vez que é esta a consequência pelo uso deste instrumento de justificação dos erros.

Como não louvarmos a Deus, nos dias atuais, por sabermos que somos avisados de forma antecipada sobre todo o juízo que está reservado aos que desprezam a obra redentora do Calvário. O fato de sermos alertado nada mais é do que a pura demonstração de amor de Jesus pela sua igreja. Se estivéssemos servindo a Jesus às cegas, confiando em nossas próprias expectativas, fatalmente nos desiludiríamos ao final.

A grande tribulação, a guerra do Armagedom, o julgamento das nações, o juízo final não são eventos escatológicos que devam ser aguardados ou desejados pela igreja, não são para nós. Não podemos nos imaginar presentes nestes fatídicos encontros, ao contrário, a igreja deve ter ciência e certeza de que não estará presente, como organismo vivo, durante estes acontecimentos, principalmente nos dois julgamentos, o das nações e o final, pois estaremos sim, glorificados participando ativamente com o grande Juiz.

O que é para a igreja, é para a igreja e ninguém mais, ou seja, o arrebatamento, o Tribunal de Cristo, bodas do Cordeiro, participação especial ao lado do Grande Juiz no dia do juízo final, mas antes deste grande evento reservado para os ímpios, estaremos desfrutando de um período de refrigério e alegria no momento em que Jesus estará governando a terra por mil anos.


Será um motivo de muita alegria passarmos por todos os eventos gloriosos reservados aos crentes que estarão, por isto, salvos e guardados dos eventos trágicos e punitivos preparados para os ímpios.

Por: Ailton da Silva - 6 anos (Ide por todo mundo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário