terça-feira, 24 de agosto de 2021

Os primogênitos: Deixa o meu ir, senão levo o seu. Capítulo 4

b) A segunda proposta indecente (Ex 8.28)

Os hebreus seriam libertos para adorarem a Deus, mas não poderiam ir muito longe, deveriam ficar visível aos olhos do exército egípcio. Inclusive Faraó pediu até que orassem por ele. Esta proposta era maligna, pois sacrificariam ali nas imediações da sedutora nação e estariam com um olho em Deus e outro nas velhas terras egípcias.

Ofereceriam sacrifícios no deserto, mas estariam com os pensamentos ainda no passado, uma vez que o Egito não sairia do coração por completo[1]. As consequências seriam inevitáveis e não tardariam para aparecer.

Esta proposta tinha por pano de fundo o laço caracterizado pelo intenso transito que seria visto entre o deserto e o sedutor Egito. Um interminável vai e vem de hebreus, ora lá, ora cá, sem rumo e identidade, imaginando que estivessem servindo a Deus.

O pedido para que não fossem longe, na verdade, significava um rompimento parcial com passado, uma vida superficial, sem consagração, sem profundidade, sem expressão e sem compromisso. Moisés disse não.

continua...



[1] Ló e sua família saíram de Sodoma, mas sua esposa não foi capaz de tirar a sedução e encantos da cidade de seu coração (Gn 19.26).

Por: Ailton da Silva - 11 anos (Ide por todo mundo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário