Álvares Machado, SP -

Apresentação da lição em power point

Mais apresentações em:http://www.slideshare.net/ailtonsilva2000/presentations

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Charada bíblica

Aplicarei esta charada em nosso retiro de jovens no próximo domingo

Por: Ailton da Silva - 5 anos (Ide por todo mundo)

Neemias: Como sair do anonimato. Capítulo 14 - Slides






Por: Ailton da Silva - 5 anos (Ide por todo mundo)

Neemias: Como sair do anonimato. Capítulo 14


CAPÍTULO 14
O RETORNO: DECEPÇÃO DE NEEMIAS

1. SITUAÇÃO DA CIDADE (3º ESTADO–miséria espiritual):
Foram doze anos de dedicação e serviços em Jerusalém, mas havia chegado o momento da separação para Neemias. Talvez o retorno para Susã tenha sido para renovar a licença concedida pelo rei ou por outro motivo qualquer, mas o certo é que o tempo em que permaneceu longe de Jerusalém foi suficiente para que o povo se deixasse corromper. Eles foram avisados por Neemias sobre o perigo da mistura, já que esta fatalmente abriria as portas para adoração a deuses estranhos e a inevitável corrupção moral e espiritual.

Neemias imaginava que os judeus fossem capazes de se manterem íntegros na presença de Deus, ainda mais após o avivamento, alegria e festividades. Certamente avançariam para novas conquistas, mas qual grande foi a decepção do grande líder, quando no seu regresso a cidade, presenciou a ressurreição das velhas práticas imorais, verdadeiros abusos.

a) Decepções de Neemias:
Quantas decepções para Neemias no seu retorno. Logo de inicio se deparou com Tobias na cidade e foi inteirado sobre o seu grau de parentesco com o sacerdote Eliasibe, mas nada que poderia ser comparado com a tristeza sentida quando soube que o opositor estava no interior do Templo, no entanto, as decepções não se resumiram apenas a presença de Tobias entre os judeus, outras se seguiram como consequência delas:
  • O ministério dos levitas estava em total desprezo (13.10);
  • Os amonitas e moabitas gozavam de privilégios e favorecimentos (13.1-3);
  • O sábado não estava sendo observado (13.17);
  • Novamente permitiram casamentos mistos (13.28).
2. A CONTAMINAÇÃO DO MINISTÉRIO:
Mesmo com todos os fatos ocorridos, pós avivamento, o povo permitiu que o Templo fosse profanado, através de aparentamentos ilícitos e por concessões a homens que não deveriam, sequer, imaginar em tais condições. Tobias, o amonita, era um exemplo, pois pela sua origem não poderia adentrar ao Templo, quanto mais ocupar alguma dependência.

O compromisso assumido pelos lideres e povo foi público e por escrito (Ne 9.38), mas depois de pouco tempo esqueceram e desprezaram tudo o que firmaram com Deus.

Mais uma vez, após a leitura da Lei, pela qual foram lembrados das atitudes hostis dos amonitas e moabitas, eles se apartaram da mistura, mas naquele momento o estrago já estava feito, pois Eliasibe já havia se aparentado com Tobias e provavelmente, lhe devia favores ou pelo menos deveria cumprir a aliança firmada. As portas ortodoxas do Templo foram abertas para outro tipo de ensino. Isto prova que sem Palavra o povo se corrompe.

Sambalate também foi agraciado com o aparentamento aos judeus, pois o neto do sumo sacerdote Eliasibe (Ne 13.28), se tornou genro deste que foi um ferrenho inimigo e opositor da obra da reconstrução. Segundo Flávio Josefo, ele foi expulso por Neemias e em Gerisim iniciou a construção de um templo pagão, talvez para se rivalizar ao de Jerusalém.

a) Privilégios abusivos (Ne 13.5):
Talvez seja possível que durante a primeira administração de Neemias tenha havido este tipo de pensamento entre os sacerdotes ou autoridades religiosas, mas a presença forte do líder inibiu qualquer tentativa de mistura e contaminação.

Mas tão logo Neemias voltou para Susã, Eliasibe, o sacerdote, não somente concordou com o parentesco como também introduziu Tobias no Templo e o acomodou confortavelmente, tirando de uma das dependências o azeite, as ofertas, os dízimos dos cereais e azeite, o incenso, os utensílios e consequentemente, a santidade, reverência e espiritualidade tiveram que dar lugar ao declarado inimigo da reconstrução. Agora o segundo estado da cidade era pior que o primeiro.

Eliasibe, em vez de usar sua influência como benção, a usou justamente para desestruturar a fé do povo. A parcialidade, o aparentamento ilícito, o favorecimento se tornaram falhas graves, verdadeira apostasia. Ele não somente se aliou ao inimigo como também o levou para dentro do Templo dando-lhe condições para tirar-lhe as forças como também para minar a espiritualidade do povo.

3. A INDIGNAÇÃO DE NEEMIAS:
A indignação de Neemias, no seu retorno à cidade, seu deu no momento que ele se deparou com aquela cena e no ímpeto do desagrado tomou uma atitude radical. Sua irritação com o sacerdote Eliasibe não foi somente pelo fato de ter cedido um cômodo do Templo para uma pessoa que antes havia levantado barreiras para a reconstrução da cidade, injuriado, zombado, armado ciladas e ameaçado de morte, mas sim pelo fato de ter facilitado a entrada na casa de Deus de um homem que, pela Lei, era proibido até mesmo de se aproximar (Dt 23.3). Este erro do sacerdote afungentou os levitas e cantores, que preferiram a vida dura do campo.

a) Verdadeira intenção de Neemias:
Tobias, provavelmente com o passar dos tempos poderia subtrair bens ou alguns dos tesouros do Templo. A grande preocupação de Neemias era com o livre transito daquele incircunciso. Certamente se enriqueceria a custa das ofertas e dízimos da casa de Deus e faria uso conforme o seu bel prazer. Quem nos garante que isto não aconteceria?

Neemias não toleraria a corrupção e o abuso de autoridade por parte dos sacerdotes. Os recursos que entravam no Templo deveriam ser administrados de forma transparente e longe dos olhares de incircuncisos, tal como ocorria na igreja primitiva que sempre usou seus recursos financeiros com zelo, transparência e sabedoria para expansão do reino de Deus, através do cumprimento da grande Comissão e do socorro aos pobres e necessitados (At 4.32-37; 6.1-4). Neemias é um bom exemplo de administração dos bens que são utilizados para a expansão do reino de Deus.

4. ATITUDE DE NEEMIAS:
Que outro tipo de reação poderia Neemias ter demonstrado naquele momento? Aparentar-se também ao inimigo? Ser conivente com Eliasibe e aceitar novamente os casamentos mistos? Corajosamente tomou os móveis de Tobias e os lançou para fora do cômodo (Ne 13.7,8). Jesus também teve a mesma reação quando se deparou com os vendilhões no Templo (Jo 2.11-13). Os interesses pessoais devem estar às margens do centro da obra de Deus.

Novamente Neemias conseguiu incentivar o povo para que tomassem uma atitude para mudarem aquela situação. Foram ordenados a purificarem as câmaras, recolocando os utensílios e ofertas que jamais deveriam ter saído daquele lugar.

Neemias jogou fora todos os pertences de Tobias e tudo o que havia sido preparado para ele. Alguns judeus até poderiam estranhar esta atitude, mas tão estranho quanto a reação foi a ação, a permissão.

a) O povo apoiou Neemias: 
A decisão enérgica de Neemias despertou o povo e trouxe de volta para o Templo as contribuições e riquezas que a presença de Tobias havia tirado (Ne 13.12).

Neemias ganhou novamente a confiança do povo, restaurando o culto no Templo. Desta forma os judeus trouxeram suas ofertas e as depositaram no local apropriado (Ne 13.12). A transparência da administração alegrou os sacerdotes, os levitas, o povo e os trabalhos prosseguiram (Ne 12.44).

5. COMENTARIOS ADICIONAIS:
  • Os moabitas não poderiam entrar na congregação de Israel, mas não eram impedidos de adorarem ao Deus verdadeiro onde estivessem (Rt 1.16);
  • Os levitas poderiam não ter reconhecidos a autoridade de Neemias. Ele havia convencido o povo, mas os conhecedores da Lei jamais seriam enganados. Os levitas esperavam o toque da trombeta para retornarem aos trabalhos;
  • Os sacerdotes na rua, levitas na roça e o “bandido” no Templo. Greve e revolta do ministério no Templo? Não eram mais úteis?
  • Neemias imaginava Jerusalém em festa no seu retorno. Que decepção, pois do avivamento sobraram somente cinzas;
  • Moabita e amonita não poderiam sequer passar pela rua do Templo;
  • Gesém quando viu o término da reconstrução sumiu no mapa, mas Tobias e Sambalate ficaram rodeando, esperando uma brecha, no muro ou no povo?
  • Os judeus eram mestres em tirar alguém do sério, que nos diga Moisés (Dt 4.21-22) “eu morrerei antes de entrar, porém vocês entrarão”. Neemias também sofreu com a inconstância dos judeus;
  • Se Neemias não tomasse uma decisão, certamente Tobias levaria seus parentes e amigos para o Templo para se juntarem a ele;
  • O único lugar onde Tobias poderia circular livremente seria pelos canos de esgoto do Templo;
  • Era a segunda vez que Neemias dirigia aquela congregação;
  • Será que Neemias não temeu, pois o povo poderia tomar partido a favor do político sumo sacerdote e seu nobre parente (At 23.1-5). Ele não se preocupou com a reação do povo, tampouco temeu ser levado a juízo, o importante era limpar a sujeira do Templo;
  • Os judeus conheciam aquele homem, afinal havia sido o pastor deles. Por ele botavam a mão no fogo, assinavam embaixo;
  • Tem casta de demônios que não resistem ao jejum e oração (Mt 17.21), foi isto que Neemias fez ao expulsar o inimigo do interior do Templo;
  • Porque Deus permitiu que aquele amonita entrasse no Templo?
  • Neemias não se sentiu em condições e não tinha autoridade para se esconder no interior do Templo durante as ciladas de Tobias. Como ele então estava lá? Porque Deus não o fulminou quando ele pisou o pé?
  • Quanto tempo demorou para os impérios egípcio, babilônico, persa, grego, romano caírem definitivamente para nunca mais serem levantados? E foram alguns destes que profanaram o Templo e os objetos sagrados dos judeus. E o que dizer dos povos que rodeavam Israel, sumiram todos. De alguns sequer existem vestígios do sangue, língua ou história. Foram apagados pelo tempo;
  • Os levitas eram sossegados, tranquilos, tão bonzinhos, somente até receberem ordens, tipo: voltem para seus postos. O duro era quando a ordem era: “Quem é de Deus", (Nm 8.14), "matem os idólatras" (Ex 32.26-28). Eles não pensavam duas vezes;
  • Quantas vezes ouvimos:”o pastor é muito parado, muito tranqüilo, os obreiros idem, os dirigentes de departamentos não fazem nada”. Quando eles recebem ordens de Deus, sai de baixo;
  • Houve um pastor nosso (primitivo) que um dia desejou conhecer os irmãos de Roma, mas a igreja local não tinha condições de fornecer a passagem. Então ele orou a Deus e foi lhe provido as condições para a sua viagem. Partiu como prisioneiro, durante a viagem virou conselheiro, teve regalias, fizeram algumas paradas para que ele se despedisse dos irmãos, celebrou até uma ceia parcial no navio (At 27.35-36) e quando todos pensavam que estava triste pela prisão domiciliar (privilégio e segurança domiciliar) ele estava na verdade doutrinando a igreja com os seus ensinamentos. Que o diga Lucas, o médico, escritor e velho companheiro de viagens pela Ásia menor;
  • Imaginemos a seguinte cena: uma multidão reunida (e você no meio) ouvindo a pregação de um dos apóstolos, as experiências, ensino, ministração da Palavra e os louvores, duvido que você sairia antes da benção apostólica?
  • Os apóstolos faziam grandes cruzadas e não gastavam nada e ganhavam muitas almas;
  • Na igreja primitiva necessitava de recursos financeiros (At 6.1), pois crescia o número de discípulos para aprenderem a Palavra (e não o de apóstolos para ensinarem), portanto, se este povo se reunia para ouvir e aprender era evidente que não abandonavam a igreja. Imaginem o custo para alimentarem todos. Mensagens, uma após outra e o dia passando, logo a fome chegaria.
Por: Ailton da Silva - 5 anos (Ide por todo mundo)

Neemias: Como sair do anonimato? Slides - capítulo 15




Por: Ailton da Silva - 5 anos (Ide por todo mundo)

Neemias: como sair do anonimato. Capítulo 15

CAPÍTULO 15
REAÇÕES DE ESDRAS E NEEMIAS

a) Reações de Esdras e Neemias quando souberam da mistura dos israelitas com mulheres estrangeiras:
  • Esdras: rasgou suas vestes e o manto, arrancou os cabelos da cabeça e a barba e se assentou atônito (Ed 9.3), não acreditou no que viu. Se ajuntaram a ele aqueles que não aceitavam tal situação. Meneou a cabeça e jogou terra para o alto e se levantou somente perto do sacrifício da tarde. Estendeu suas mãos e orou a Deus. Notem o versículo 8, quando ele disse: “por um momento, agora quando o Senhor nos deu graça a nossa terra”. (Ed 9.5-15). Será que a corrupção aparece justamente ao primeiro sinal de vitória?
  • Neemias: contendeu com os judeus, amaldiçoou-os, espancou alguns deles e os fez jurar que jamais retornariam a cometer este erro. Citou Salomão como exemplo e ao neto do sumo sacerdote disse: “Suma da minha frente” (Ne 13.23-28). Ele orou a Deus: “Lembra-te deles, Senhor”, pois contaminaram o sacerdócio, o concerto e o ministério dos levitas”. Limpou eles (despediu?) e restaurou os cargos e sacerdócios. (Ne 13.29-31).
b) Reações de Esdras e Neemias após suas orações:
  • Esdras: [..] Ainda há esperança para Israel. (Ed 10.2);
  • Neemias: [..] Lembra-te deles, Deus meu, pois contaminaram o sacerdócio, como também o concerto do sacerdócio dos levitas. (Ne 13.29).
c) Porque estas reações?
Sombra de coisa futura? Empaticamente existe uma explicação, mas para isto devemos nos colocar no lugar dele, vejamos:
  • Tenha o seu emprego, bem remunerado, entre autoridades, doutores, sem nenhuma preocupação e de uma hora para outra receba uma notícia: “seus amigos, parentes, família, antepassados estão sofrendo, precisam de ajuda”. Então largue tudo e vá;
  • Enfrente o sol quente, cerca de 1600 km e caminhe propenso a encontrar toda sorte de intempéries, perigos e etc;
  • Quando você chegar ao seu destino, seja forte, para não voltar, pois a visão será tremenda, feia, portas queimadas, muros fendidos, povo desanimado. Tem que ser forte para resistir;
  • Quando encontrar os primeiros homens, mesmo que pareçam amistosos, tome cuidado. Preste atenção nos semblantes deles ao expor o seu plano, parcialmente, se perceber que houve desagrado, afaste deles, são os urubus;
  • Ande pela cidade a noite, três dias, sem contar nada a ninguém, quando criar coragem revele o seu projeto, seja forte, pois neste momento aparecerá a oposição;
  • Então faça como Neemias; “[...] mas vós não tendes parte, nem justiça, nem memória em Jerusalém.” (2.20). Este homem era bravo. Prepara-se, você acabou de declarar a guerra;
  • Quando seu plano estiver andando a pleno vapor, repare se a oposição não está por perto zombando? Cuidado que eles levantam outros para atacar (cap. 4), são covardes;
  • Quando a oposição sossegar, momentaneamente, atente para o povo, pois reclamam muito, mesmo que o beneficio seja para eles. São de dura cerviz. Os hebreus foram capazes de tirar Moisés do sério (Nm 20.10-11, cfe Dt 4.21) e Neemias também (5.15-19);
  • Vença os problemas internos e atente novamente para a oposição, pois eles não se cansam. Vão te acusar de interesses políticos, lhe convidarão para reuniões, levantarão falsos profetas para enganá-lo. Quando vir o seu plano concluído com sucesso, não se iluda, quem é que disse que acabou! Agora é que vai começar de verdade;
  • Homenageie os que te ajudaram, pregue a Palavra, explique para o povo entender, resgate ministérios, obreiros, cantores, ensinadores, faça coros de agradecimentos a Deus, participe do avivamento, alegre-se com o povo, arrependa-se juntamente, assine o concerto na presença de todos, alias seja sempre o primeiro, sirva de exemplo;
  • Depois você pode ir embora porque a sua obra terminou e você tem outras obrigações ou então vá pedir uma nova licença para retornar;
  • Quando você voltar olhe bem, não é miragem, não é alucinação. É VERDADE. O opositor, o inimigo, aquele que zombou de ti, que tentou impedir o seu projeto, aquele que incentivou a revolta, a discórdia, que levantou outros para guerrear contra você, que te ameaçou de morte, te injuriou, te acusou de usurpador, ELE ESTÁ USUFRUINDO DO FRUTO DE SUAS MÃOS. DO TEU SUOR. E O PIOR: CONTINUA ZOMBANDO DE VOCÊ E DE TODOS. (ELE PENSA ASSIM: COMO SÃO IDIOTAS).
d) Então respondam:
  • Qual seria a nossa atitude ao nos depararmos com Tobias dentro do Templo do Deus vivo? Em poucos dias o Templo seria transformado em um covil de ladrões. (Mc 11.17).

Expulse, jogue para fora, mande estes amonitas, moabitas, incircuncisos, ímpios para bem longe, pois “ainda há esperança para Israel” (Ed 10.2).

Por: Ailton da Silva - 5 anos (Ide por todo mundo)

Retiro - jovens setor 5. Enigma para ser decifrado


ENIGMA

Um grande ônibus chegou bem perto da cidade e estava vazio. Havia muitos lugares para paradas, mas o ônibus não entrou naquela cidade.


Foram poucos minutos de espera. Então os passageiros chegaram e lotaram o ônibus, que logo após seguiu o seu destino. Voltou poucas horas depois para ver se tinha mais alguns passageiros.

Por: Ailton da Silva - 5 anos (Ide por todo mundo)

Umadam - jovens de Álvares Machado, setor 5



Por: Ailton da Silva - 5 anos (Ide por todo mundo)

terça-feira, 18 de novembro de 2014

sábado, 15 de novembro de 2014

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

22) Cantares (Cântico dos cânticos)


Para quem foi escrito este livro?     
Para os israelitas.

Por quem foi escrito (autor)?
Salomão.

Em qual momento histórico?   
Durante o reinado de Salomão.

Por que este livro foi escrito? 
Porque o povo da aliança precisava ter em mente que Deus preza o amor conjugal lícito e a instituição da família (este livro se refere ao amor conjugal e revela as três qualidades mais desejáveis do amor entre um homem e uma mulher: autodoação, desejo e compromisso).

Para quê este livro foi escrito?        
Para mostrar ao povo da aliança que Deus preza o amor conjugal lícito e a instituição da família; também para refletir o próprio amor de Deus por nós.


Obs: Material extraído do DVD "Mega Coletânea Bíblica - 10.000 artigos". Não tem citação da fonte, mas se alguém conhecer, ficarei grato e mencionarei.

Por: Ailton da Silva - 5 anos (Ide por todo mundo)