Apresentação da lição em power point

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Anticristo - solução material com implicações espirituais - introdução




Por: Ailton da Silva - 5 anos (Ide por todo mundo)

Tema 4º trimestre 2015


Fonte: http://ebdinterativa.com.br/licoes-biblicas-da-cpad-4o-trimestre-2015-titulo-o-comeco-de-todas-as-coisas-estudos-sobre-o-livro-de-genesis/

Por: Ailton da Silva - 5 anos (Ide por todo mundo)

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Guerra dos seis dias vitoria tática ou milagre HD

Guerra dos seis dias - a intervenção de Deus em favor de Israel.

Jamais Israel conseguiria vencer, pois o seu exército era apenas o equivalente a 1/3 dos seus vizinhos inimigos e a nação tinha poucos mais de 15 anos de autonomia. Realmente precisava de uma ajuda. 

Esta ajuda não veio do povo estadunidense, veio do céu

 

Por: Ailton da Silva - 5 anos (Ide por todo mundo)

Terra e espíritos. Reino de Deus invertido. Enoques. O espanto de Lúcifer. Eternidade e imortalidade.


“A Terra não segura espíritos”

Reino de Deus invertido – império do mal.

Enoque – filho de Caim (Gn 4.17). Este andou com Caim.
Enoque – filho de Jarede (Gn 5.18). Este andou com Deus.

Lucifer nunca havia visto Deus operar julgamento, não imaginava que Deus pudesse ter um plano para puni-lo ou expulsá-lo do céu.


Imortalidade x eternidade. O imortal tem inicio, nasce, enquanto o Eterno não tem princípios de dias e nem fim de existência.

Por: Ailton da Silva - 5 anos (Ide por todo mundo)

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Israel - o relógio que não falhará


1) Na antiguidade Israel saiu do norte da África (Egito) pela água (Mar Vermelho), já no século XX alguns judeus foram resgatados da mesma África (Etiópia) pelo ar (aviões). Nos dois casos eles estavam fugindo de dois tiranos, opressores e ditadores.

2) Os acertos de Israel servem de exemplo para nós. Os erros servem de lições para não cometermos as mesmas práticas. Já os sinais servem para aguçar nossa vigilância. Estejamos, pois, atentos.


3) Israel produzia pouco mais de 4000 barris dia de petróleo em 2010, cerca de 1/3 do que consumia, então de onde vem o restante? Quem vende para eles? Os vizinhos são todos inimigos declarados, portanto é improvável que seja algum deles. Por muito tempo fiquei com esta questão na mente. Questionei um judeu radicado na minha região e sua resposta, de imediato, foi vaga: "Não faço a mínima ideia de quem vende petróleo para Israel". Depois acho que ele pensou melhor e deu meia volta e me deu uma resposta, que não foi satisfatória, não me convenceu, mas digna de ser considerada: “diante de muitos dólares, toda ideologia cai por terra”.

Por: Ailton da Silva - 5 anos (Ide por todo mundo)

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

terça-feira, 11 de agosto de 2015

45) Romanos


Para quem foi escrito este livro?     
Para os cristãos de Roma.

Por quem foi escrito (autor)?  
Paulo.

Em qual momento histórico?   
Por volta do ano 55 d.C.

Por que este livro foi escrito? 
Porque Paulo queria evangelizar a Espanha e na viagem de ida conhecer os irmão de Roma, e ganhar a ajuda deles como igreja de apoio (15.24).

Para quê este livro foi escrito?        
Paulo escreveu este livro para apresentar aos cristãos de Roma suas credenciais apostólicas e sua teologia (2.16; 16.25), na esperança que eles reconhecem a autenticidade do seu ministério (uma vez que eles não conheciam Paulo pessoalmente e muitos ainda tinham medo dele) e o apoiassem em sua viagem à Espanha.


Obs: Material extraído do DVD "Mega Coletânea Bíblica - 10.000 artigos". Não tem citação da fonte, mas se alguém conhecer, ficarei grato e mencionarei.

Por: Ailton da Silva - 5 anos (Ide por todo mundo)

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Slides - lição 6






Por: Ailton da Silva - 5 anos (Ide por todo mundo)

ANJO DO EGITO




Bom, antes do anjo do Egito passar, eles foram avisados por Moisés logo em sua chegada:
"Israel é o meu primeiro filho.Já lhe disse que deixe ir o meu filho a fim de me adorar. Mas você não deixou,e por isto eu vou matar o seu filho mais velho" - Ex 4.23 (NTLH)


Senhor do mundo antigo, estudioso e ditador das civilizações primárias, deus sol humano fálivel, encantador de serpente, construtor de pirâmides e cidades estados que ficaram na história humana. Muitos títulos, mas nada pode contra o Deus de Israel.


A noite mais estranha da história da raça humana. Uma ação de Deus com duas interpretações humanas. Cada um dos lados evolvidos na história viu e sentiu de forma diferente. Para os hebreus – festa. Para os egípcios – terror.


Tem um filme antigo que mostra os hebreus trancafiados em suas casas, tremendo de medo, não deixavam suas crianças saírem para fora. O vulto negro passava e conferia o sangue nos umbrais, onde tinha ele ia embora. Depois vieram os gritos de horror e pavor dos egípcios.


Por: Ailton da Silva - 5 anos (Ide por todo mundo)

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Jesus - o maior pedagogo da história existencial da raça humana


Como Jesus avaliava seus alunos? A avaliação se dava após o processo de ensino e aprendizagem? Ou Ele apenas checava e aferia o conteúdo repassado aos seus selecionáveis alunos?Onze foram fiéis e fizeram parte do grande grupo dos aprovados e somente um ficou margeado ao pequeno grupo dos reprovados? Os discípulos foram adotados, ensinados, avaliados e assim se distanciariam do insucesso, retrocesso e fracasso pedagógico. A avaliação foi constante, pois revelava e atendia os alunos no dia cada um em suas dificuldades.

Por isto, os discípulos, conseguiram definir metas e estratégias para colocarem em prática o que aprenderam do grande Mestre. Afinal de contas, Jesus não somente avaliou seus alunos, Ele levou em consideração o meio, os instrumentos e as condições, reavaliou e cobrou posturas novas de todos os envolvidos no processo e não solicitou ao final a devolução do conteúdo. Ele agiu de forma a oferecer elementos para um melhor ensinar e melhor aprender. Manteve o foco nas necessidades de cada um e nas possibilidades para superação deles. Realmente Ele é o Mestre dos mestres

Imagino o dia da avaliação final dos discípulos ali no momento da crucificação do Mestre. Um a um eles se apresentariam para devolverem o conteúdo recebido ao longo dos três anos e meio de aprendizagem. Creio que Pedro diria: "Mestre, hoje não estou em condições de ser avaliado, estou um caco, acabei de lhe negar diante de todos, posso ser avaliado outro dia"?

A primeira pergunta da prova oral final dos discípulos ali diante da cruz seria esta:
"O que deve ser feito aos que me colocaram na cruz? Perguntou Jesus.
Os discípulos fatalmente responderiam: "Que desce fogo sobre a cabeça deles, ou deixe-nos cortar suas orelhas com nossas espadas".

Esta improvável cena prova que eles foram ensinados, aprenderam e foram avaliados no decurso do processo de ensino/aprendizagem. Não estavam todos ali, presentes no momento da crucificação, pois estavam refletindo sobre todo o aprendizado, se realmente havia sido válido, se poderiam colocar em prática, mesmo nas condições adversas que se encontravam (medo e desespero).

Os deslizes no meio/final do processo de ensino e aprendizagem não significou a perda do tempo, o esquecimento do conteúdo ou a humilhante reprovação final diante dos homens.

Por: Ailton da Silva - 5 anos (Ide por todo mundo)

terça-feira, 4 de agosto de 2015

13ª tribo de Israel. Deuses do Egito. Lobos que são transformados em ovelhas. Direito coletivo/individual.


13ª tribo de Israel - TRIBU-lação

Os deuses do Egito tinham aparência, endereço e podiam ser tocados, por isto Israel teve dificuldades para se desvencilhar da idolatria e para adorar o Verdadeiro Deus em pleno deserto (Ex 32), pois não tinham referências materiais, tal como tiveram durante o período de escravidão no Egito.

Deus derruba os lobos para que estes se levantem como ovelhas, que nos digam o bravo e temido Saulo de Tarso.

Quem não consegue viver em sociedade, não pode viver na Terra.

Principio do direito: "O direito coletivo sobressai ao direito individual", Ouvi esta citação em uma discussão entre dois advogados no rádio. Desde então comecei a pensar se isto poderia ser aplicado a Deus. Vejamos: 
  • Qual o índice de pessoas que sofrem com as mudanças bruscas da temperatura? 
  • Quantos estão com alguma causa na justiça?
  • Quantos tem seus filhos no submundo das drogas/crime?
  • Quantos estão com parentes e ou familiares em estado terminal em hospitais?
  • Quantos estão desempregados ou em dificuldade financeiras?
Segundo meu raciocínio, é muito maior e mais comum o sofrimento por causa da mudança da temperatura, principalmente crianças e idosos, porém estes não são privilegiados por Deus ou são atendidos/socorridos em detrimento aos outros que também sofrem cada qual com os seus problemas. 

TODOS são atendidos e socorridos por Deus que sabe como e o que cada um precisa para ser aliviado. Muito diferente da justiça humana que privilegia e atende o coletivo, o grupo maior.

Por: Ailton da Silva - 5 anos (Ide por todo mundo)

A flecha nas mãos do arqueiro


Como uma flecha sofre no arco antes de ser atirada ao alvo. Nas mãos do arqueiro, ela é puxada para trás com toda a força, depois fica aguardando o momento e a mira ideal, para ser atirada.

Fico imaginando a ansiedade dela durante estes momentos de espera. Certamente ela se julga em condições de ser atirada para atingir o alvo. Este tempo de espera e mira deveria ser reduzido, segundo o entendimento dela, haja vista, se imaginar em condições ou pelo menos, que não necessitava de tanto ritual.

Imaginemos o seguinte: Se não houvesse, por parte do arqueiro, o cuidado com a força, a mira, a paciência, o estudo sobre o alvo, fatalmente a flecha não atingiria o objetivo. Provavelmente o alvo até seria mirado, mas não seria atingido (o arqueiro miraria no alvo, mas acertaria o seu próprio pé). 

Quanto mais a flecha sofre no arco, mais ela consegue reunir forças para que no momento de lançamento não perca a velocidade no meio do caminho.

Ás vezes, imaginamos ou queremos encurtar o tempo de espera, talvez por nos julgarmos em condições de atingirmos nossos alvos, mas estamos nas mãos de Deus, que sabe o momento certo para que sejamos lançados (enviados).

Deus nos segura (preparação), tal como o arqueiro prende a flecha e no momento certo, seremos lançados para nossa missão. Então o alvo já estará estabelecido e os obstáculos que surgirem pela frente serão vencidos em nome de Jesus. Fatalmente este sucesso não seria notado, caso a flecha fosse lançado segundo o tempo humano.

Não nos esqueçamos: antes de ser lançada para frente, a flecha é puxada para trás.

Por: Ailton da Silva - 5 anos (Ide por todo mundo)

Pré-aula_Lição 6: Conselhos gerais



Por: Ailton da Silva - 5 anos (Ide por todo mundo)