Apresentação da lição em power point

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Lição 8 - pós aula


Aula ministrada ontem na Congregação do Parque Alvorada, setor 24, em Presidente Prudente.

Qual foi a visão de Noé e família ao saírem da arca? Qual foi a reação deles?

A natureza estava restaurada ou estava toda destruída, coberta de barro, lama, entulhos, árvores no chão, etc?

Se eles vissem a Terra totalmente destruída, pensariam duas vezes antes de saírem da arca?

E se fosse você? E se fossemos nós, o que faríamos? Voltaríamos correndo para dentro da arca e diríamos: "é melhor ficarmos na arca, pois a situação lá fora está feia". Será que algumas igrejas fazem isto? Será que para muitos é melhor ficar entre quatro paredes do que enfrentar a situação degradante do mundo?

Caso os filhos de Noé vissem uma Terra desolada ao saírem da arca, como encontrariam forças para recomeçar e reconstruir?

Algum deles teria ou teve coragem de largar tudo e ir embora? Mas ir embora para onde?

Naquele momento era somente Noé, o patriarca, que tinha palavras de consolo, conforto, ninguém mais.

Se Noé e família não tivessem uma orientação de Deus (Gn 9), com certeza eles falhariam, pois eles sairiam da arca completamente expostos ao novo mundo, eles precisaram de ajuda para continuarem, tal como os novos convertidos que precisam de ajuda e ensino em seus primeiros dias de conversão, caso contrário viram presas fáceis.

Será que houve brigas a arca? Caso houve, foi fácil de resolver, como? Bastava um ou outro se trancar em um dos compartimentos dos animais e ficar quietinho, só não podia acender tochas de fogo ou abrir as "janelinhas" para clarear o ambiente, pois fatalmente se veriam frente a animais selvagens e perigosos. Diante desta situação seria bem mais fácil encarar o esposo, sogro ou sogra.

Eu creio que Noé e sua família não ficaram abrindo as "as janelinhas" da arca para conferir o estrago do dilúvio e tampouco para ver se havia sobrado alguém.

Por: Ailton da Silva - 6 anos (Ide por todo mundo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário