Álvares Machado, SP -

Apresentação da lição em power point

Mais apresentações em:http://www.slideshare.net/ailtonsilva2000/presentations

sexta-feira, 25 de junho de 2010

BREVE PLANO DE AULA E RESUMO DA LIÇÃO 13

1) O TRISTE FIM DE UM MINISTÉRIO PROFÉTICO:
Como imaginar Jeremias satisfeito pelo seu serviço profético? Como suportar aquela visão?

O alivio de Jeremias vinha no fato de acreditar que Deus estava permitindo e que toda aquela situação estava por marcar o início do arrependimento do povo.



Nada na cidade escapou da devastação babilônica, nem mesmo o suntuoso Templo, os outros edifícios, os tesouros, os utensílios, as autoridades e a sociedade judaica.

Como ter esperança diante desta catástrofe?

O certo é que, por parte de Jeremias, tudo foi feito para se evitar aquela situação, pois entregou ao povo as mensagens (não foram poucas), agüentou humilhações, sofrimentos, escárnios, prisões, calúnias, difamações, mentiras, etc, mas em nenhum momento deixou se enfraquecer por tais situações, antes pelo contrário, sentia-se mais forte e convicto da necessidade do concerto do reino do Sul.

Tinha a certeza que agora a atenção de Deus estaria voltada para o povo deportado para a Babilônia, mesmo nesta situação estariam sendo velados e guardados. Estes eram os pensamentos de paz, profetizados pelo profeta.


2) LAMENTAÇÕES – TRISTEZA PRESENTE – ESPERANÇA FUTURA
O livro das Lamentações é considerado um poema fúnebre, hinos tristes, choro em alta voz, possui 5 capítulos, sendo:

a) Quatro capítulos com 22 versiculos (cada um representando uma letra do alfabeto hebraico);

b) Um com 66 versiculos (cada três representa uma letra do alfabeto).


Foi escrito com o intuito de mostrar, a Israel, quão sofrível era a sua situação, após a queda, fruto de seus pecados e apostasia. Deveria ser lido e recitado, anualmente, por todos para que relembrassem aqueles acontecimentos tristes e para que vissem que mesmo diante de toda aquela tragédia Deus ainda havia sido misericordioso com aquela nação.

Todos os acontecimentos envolvendo a cidade foi registrado pelo profeta neste livro, que em nenhum momento atribui a autoria e nem tampouco exaltou o homem (Babilônia) pelo ocorrido, pois em sua mente tudo era obra das mãos de Deus, permissão Dele para que Israel aprendesse a lição. O conserto, tão necessário, não ocorreu em Jerusalém, mas sim em terras muito distantes.

O profeta também exaltou as misericórdias de Deus, que segundo ele, foi a única causa de não terem sido todos consumidos ali mesmo.

O tema central do livro é a destruição catastrófica da cidade. As doenças, a fome e a invasão babilônica proporcionaram ao povo um sofrimento insuportável, pois todos acreditavam que estavam constantemente sob a proteção Divina, que jamais seriam ambos (cidade e Templo) destroçados.

Estava sendo difícil para contemplarem aquela situação desoladora.

E o arrependimento? Em nenhum momento vimos alusão a isto por parte dos judeus, mas não podemos dizer o mesmo do sentimento de perda, desmoralização, remorso, desilusão, desanimo, submissão ao reino babilônico, estes sim vem evidentes no rosto de todo aquele povo. Na verdade era uma nação inteira sem religião, sem fé, sem esperança.

Tudo havia sido profetizado por Jeremias, mas não deram crédito. Vários foram os fatores que levaram Deus a permitir tal situação:

a)corações perversos e desviados;
b)Profanação do Templo;
c)Troca de utensílios do Templo por mantimentos para sobreviverem.
Mesmo tendo como foco principal o lamento, foi possível ver Jeremias incitando o povo ao conserto, ainda não era tarde.


3) ATIVIDADE PROPOSTA
Ah! Se todos nós tivéssemos a força, coragem, sentimento e crença que Jeremias teve durante o seu ministério profético. Muitas coisas poderiam ser evitadas e certamente muitas vitórias alcançaríamos.

No final da aula utilize alguns minutos para resumir em um ato todo o trimestre estudado.


1ª ATIVIDADE
Os alunos deverão imaginar que estão em Jerusalém e todos os dias eles se encontram o profeta na praça central profetizando e entregando sempre a mesma mensagem, CATIVEIRO, BABILÔNIA, 70 ANOS, ARREPENDIMENTO.

a) qual seria a reação de cada um ao se deparar todos os dias com aquele personagem? (deixe os alunos responderem e trabalhe com cada resposta), dariam credito, virariam as costas, seguiriam Jeremias;

b) peça para um dos alunos imaginar que seja um oficial com autoridade para prender Jeremias, pergunte a ele qual seria a reação?

c) qual seria a reação ao ver Jerusalém destruída e o profeta ali bem na sua frente (lembre a classe que Jeremias profetizou esta situação e agora ela se cumpria).


2ª ATIVIDADE
Nesta atividade os alunos deverão imaginar ser o próprio profeta que todos os dias se encontra na praça profetizando:

a) pergunte qual seria a reação deles ao primeiro sinal de descrédito do povo, continuaria ou iria embora para esperar o castigo de Deus como fez Jonas?

b) ou movido de compaixão, ficaria ali todos os dias até que uma alma se arrependesse e cresse em suas palavras;

c) agora faça a classe a principal pergunta do trimestre: Se o enviado do império babilônico fizesse a mesma oferta que fez para Jeremias, aceitariam? Emprego, fama, prestigio, riqueza. Ou ficariam em Jerusalém na miséria e pobreza?


3ª ATIVIDADE
Fale a classe que nós somos os Jeremias da era atual, pregamos, profetizamos, não recebemos atenção, sofremos da mesma forma, por isso conclame a todos a LAMENTAREM (em forma de oração) a situação do homem hoje, desgarrado, ovelha sem pastor, distante, destituído da Glória de Deus.

Lamentemos, clamando pela misericórdia de Deus.

Fonte:Bíblia de aplicação pessoal;
http://www.ebdweb.com.br/2010/06/22/esperanca-na-lamentacao-ev-isaias-silva-de-jesus/

Nenhum comentário:

Postar um comentário