Presidente Prudente (SP),

Apresentação da lição em power point

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Mensagem 18 - Restauração da família


Há algum tempo tenho este material, inclusive já realizei esta campanha em uma congregação que dirigi entre 2004 e 2005. Publicarei na integra as 7 mensagens:

INTRODUÇÃO
Sl 1.3 – árvore plantada junto a ribeiro de águas
Jó 14.7-9 – árvore cortada, mas que ao cheiro das águas se renova.
At 16.31 – Is 54.17

Gn 2.18 – Deus estava com Adão no paraíso, mas disse que sua criação estava solitária. Adão possuía alguém acima dele (Deus) e também alguém abaixo (os animais), porém não tinha alguém semelhante a ela ao seu lado, então realmente estava só. Deus viu que isto não seria bom. O próprio homem procurou companhia, mas não a achou entre os animais irracionais, foi preciso que Deus arrumasse uma para ele.

Pessoas precisam de Deus e precisam de outras pessoas ao seu lado, por isso Deus instituiu a família para este propósito e o nosso relacionamento deve ser firme. Alguns fatores contribuem para o sucesso do relacionamento no âmbito familiar:
  • Confiança (Jó 1.1) – os filhos vêem os pais assim?
  • Amor e carinho (Ef 6.1-4) – os pais e filhos agem desta forma?
  • Honestidade (Jó 1.1);
  • Reconciliação (II Cor 5.18).
A complicada família de Jacó
Jacó foi o segundo patriarca incluído no plano de Deus. Ele foi usado não pelo seu caráter, mas sim pelo caráter de Deus (que permanece fiel sempre). Foi capaz de mentir, enganar, mas mesmo assim procurou agradar a Deus. Sua família foi numerosa e bastante heterogênea. Foram doze filhos, uma filha, 2 concubinas e duas esposas.

Jacó teve relação com quatro mulheres, sendo duas concubinas (Bilá e Zilpa) e duas irmãs que eram rivais entre si (Leia e Raquel). Era natural que houvesse problemas de relacionamento, alem disto outros fatos desagradáveis aconteceram.

1) Estupro e homicídio:
Diná foi estuprada por Siquém, como vingança os seus irmãos mataram todos os homens daquele povoado. Antes desta chacina já havia acertado e entrado em acordo com Jacó sobre o fato ocorrido, mas tudo foi por água abaixo com a atitude impensada dos filhos de Jacó. Será que igualmente não tomamos decisões erradas sem nos espelharmos no pai.

2) Inversão da autoridade familiar:
Os filhos de Jacó tomaram decisão no lugar do pai e erraram em não comunicá-lo o plano deles e desta forma comprometeram a segurança de todos naquele lugar. Às vezes tomamos decisões e mudamos situações já determinadas por Deus justamente por não respeitarmos a sua autoridade.

a) Outros casos de inversão de autoridade familiar;
  • Gn 4.8 – Caim matou Abel por inveja e por não conseguir oferecer o melhor para Deus em sacrifício, poderia na sua tristeza ter desabafado com pai expondo a sua indignação por ter visto que Deus se alegrara mais com o seu irmão do que com ele;
  • Gn 19.31 - as duas filhas de Ló, sem comunicarem ao pai, praticaram incesto com ele, pois imaginavam que Deus não pudesse dar continuidade na família. Seus filhos foram Moabe e Benani (pai dos moabitas e dos amonitas) os quais se tornaram ferrenhos inimigos de Israel durante a sua história;
  • Gn 37.27 - os irmãos de José decidiram vendê-lo movidos por inveja, porque não desabafaram com ao pai sobre os fatos que vinham ocorrendo, pois certamente ele teria uma solução para o caso;
  • II Sm 15.10 - Absalão se revoltou contra o sue próprio pai e se declarou rei sem comunicá-lo.
3) Idolatria
Raquel mantinha em seu poder os ídolos furtados da casa de seu pai (Gn 31.19). Este pode ter sido a causa de outros muitos males. Será que ela estava com isso procurando proteção para a viagem de volta para as terras de Jacó? Ou foi simplesmente pelo valor?

4) A restauração da família de Jacó – Gn 35.1-5
Deus falou com Jacó e ele pode assumir novamente a sua autoridade tomando algumas decisões:
  • Determinou a eliminação de todos os deuses estranhos que havia no meio deles (fim da idolatria);
  • Determinou a todos que se purificassem e mudassem os seus vestidos (mudança de comportamento);
  • Determinou a todos que se levantassem e subissem em direção ao altar que seria erguido por ele (renovo espiritual);
  • Deu testemunho da resposta que Deus havia lhe dado (assumiu seu papel de patriarca).
Desta forma conduziu a todos no caminho do Senhor. Apartando assim o mal que estava assolando a sua família.

5) A salvação das famílias
  • Família de Noé – Gn 7.1-7 (canal de benção: Noé);
  • Família de José – Gn 45.7 (canal de benção: José);
  • Família Israelita – Ex 12.23 (canal de benção: Moisés);
  • Família de Raabe – Js 6.25 – (canal de benção: Raabe);
  • Família de Zaqueu – Lc 19.10 (canal de benção: Zaqueu);
  • Família do carcereiro – At 16.31 – (canal da benção – o carcereiro);
  • Nossa família – cada um de nós é um canal de benção para salvação de nossas famílias.
Por: Ailton da Silva - 5 anos (Ide por todo mundo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário