Apresentação da lição em power point

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Lição 10 - pós aula

AGIRÍAMOS DA MESMA FORMA?
Paulo na prisão escreveu sobre a alegria, o normal seria relatar seu sofrimento, ansiedade, angústia ou pedir para que a igreja o ajudasse a sair daquela situação, qualquer um de nós agiria desta forma.

Se os irmãos de José imaginassem que a vida deles mudaria a partir do momento que o sonho do irmão se cumprisse na integra, será que não teriam se prostrado antes? Agiríamos desta forma, somente para usufruirmos dos benefícios? A vida da família mudou de uma hora para outra, saíram da escassa Canaã e foram para o próspero Egito e para a melhor parte. Ah, se tivessem imaginado que tudo mudaria!

Que alegria é esta que não são todos que sentem? Dons espirituais, ministeriais, refrigério de alma e alegria vinda de Deus que proporciona paz, devem ser buscados, são valiosíssimos.


INTERIOR SEM FORÇA PARA INTERFERIR NO EXTERIOR
Paulo deve ter chorado na prisão, deve ter aparecido uma lacuna em sua fé, a tristeza pela solidão deve ter batido em sua porta, mas ele nunca deixou sentimentos internos transparecerem em sua vida para influenciarem sua fé. Era humano como qualquer um de nós. Quando percebia que algo estava errado certamente se lembrava: “minha graça te basta” e da “paz de Deus que excede todo o entendimento” e logo recuperava suas forças.

O mesmo acontece hoje nas igrejas: o povo chega e não quer saber o que aconteceu na vida do pastor, dos integrantes do grupo de louvor, etc. Eles querem Palavra e louvor bonito. 


EU ESTOU NO TRONO E ELES NA LONA – A PRIMEIRA CANETADA.
Os irmãos de José planejaram tanto mal e acabaram comendo nas mãos do irmão.

Um dia José acordou na fria prisão e ouviu alguém batendo em sua cela, chamando-o de prisioneiro, pela ultima vez, aproveitaram a oportunidade, pois no outro dia, teriam que chamá-lo de vice-faraó, de senhor.

Não “canetem” ninguém, deixem a misericórdia agir.


FARAÓ QUER FALAR COM VOCÊ
José não entendeu nada, pois não tinha advogado, os amigos eram ingratos, não se lembram mais dele, a família estava há quilômetros de distancia, quem estava ali para visitá-lo?

O importante não era com quem ele iria falar, mas sim quem queria falar com ele. Não era uma visita, uma audiência concedida, era uma convocação. Faraó desejava ardentemente falar com ele. SOCORRO JOSÉ!

Faraó quer falar com você e por isto serás transformado, vestes, cabelo e barba. Hoje você acordou na fria prisão, mas dormirá em um luxuoso quarto do palácio tomando decisão. Crês tú isto?

Quando José recebeu poder e autoridade das mãos de farão qual foi seu primeiro ato administrativo? A sua primeira decisão foi baseada no PASSADO ou no FUTURO?

Decisão baseada no passado traz o problema a tona. Ele volta. Passamos por ele como um foguete, mas certamente o encontraremos de novo, senão outro pior.

Decisão baseada no futuro leva em consideração o seguinte: o que posso fazer para proporcionar o melhor, o bom para as pessoas? José pensou isto.

José não “canetou” seus irmãos e bem que poderia, bastava assinar um “papel”, não precisava sequer se levantar do trono.

José tinha poder, autoridade e motivos para se vingar de seus irmãos, nós somente temos os motivos, poder e autoridade estão bem longe, mas porque não agíamos como José?

Vejam só: podemos até pensar desta forma, mas como o ensino de Deus chega antes da prática, certamente quando estivermos frente a frente com situação semelhante nos lembraremos de José, o que teve motivos, poder e autoridade. A tendência é aprendermos primeiro para colocarmos em prática depois.

José disse aos irmãos: “eu fui enviado antes de vós para cá para que vocês não morressem de fome”. Poderia ter dito de outra forma, tipo: “vocês são os culpados por todo o meu sofrimento, agora chegou a minha vez de cantar vingança”.


O PRIMEIRO OU O SEGUNDO, QUEM FOI O MELHOR?
Vide teoria da inversão, para entender minha colocação.

O melhor rei de Israel, respeitado e lembrado até hoje foi o segundo (2 Sm 2.8-11), desprezando toda a dor e ignorando o reinado de Ibosete.  Segundo a reinar em Israel foi Davi e foi muito melhor que o primeiro (1 Sm 15.28).


PAREM MULHERES PARA QUE A OBRA CONTINUE
Alexandre o latoeiro (2 tm 4.14) não teve o mesmo tratamento que Evódia e Sítique da parte de Paulo.

Em uma parte da carta aos filipenses, Paulo deixou de falar com a igreja para tratar pessoalmente com duas valorosas mulheres. Não desprezem elas.

Será que Evódia e Sítique pensaram em algum momento que tinham vindo da terra e para a terra tornariam. Paulo mandou um recado: “vocês vieram do pó, do pó, do pó, e para o pó tornarão. Vocês são pó e não terra”. Somos pó e não terra, ainda bem que não esquecemos disto.


GRUPO DE LOUVOR DA IGREJA DE FILIPOS
Louvem independente das circunstâncias, pois pessoas estão atentas ouvindo, vide louvor na prisão de Filipos, os integrantes do grupo estavam tristes, com dores, mas perceberam que os ouvintes se alegravam com os hinos, eles estavam sentindo a PRESENÇA DE DEUS.

A dor e a tristeza interior não se materializaram nos louvores de Paulo e Silas.


O QUE PODERIA SER PIOR
Para alguns cristãos primitivos a prisão era dolorida, pois ficavam limitados a um espaço pequeno para trabalharem na obra. Quanto a morte, ERA GANHO.        

Parece que ouço o desespero de Nero com os louvores dos cristãos no coliseu diante da morte? “Parem de cantar, parem de cantar, não entendo como podem cantar diante da morte” (Filme Quo Vadis).

Paulo não perdeu o controle, mesmo sabendo que muitos não dariam credito às suas cartas ou que não colocariam em praticas seus ensinamentos. Se tivesse dito: “estou cansado de escrever para pessoas desinteressadas que não dão valor e que não estão nem ai”.

Por: Ailton da Silva - Ano V

Nenhum comentário:

Postar um comentário