Apresentação da lição em power point

domingo, 10 de abril de 2011

pós aula - lição 2

Como é interessante as aula, vejam só:

As vezes tocamos em assuntos, saímos deles, entramos em outro e acabamos voltando para o mesmo. O lado bom disto é a participação dos alunos durante a aula, serve para despertar uns, aguçar a curiosidade de outros e dar uma ar de descontração na aula.

As primeiras aulas de EBD que assisti, após a conversão, eram leituras da revista, feitas pelos professores, que não se aproximavam da classe, era como se fosse um culto normal, a diferença estava na leitura e os alunos no acompanhamento com a revista.

Foram boas sim, tenho saudades. Mas pela formação acadêmica, minha, a Pedagogia prega a participação dos alunos, comentários, exemplos, testemunhos e as vezes até mesmo uma risada, legal isto. Da aula de hoje transcrevo, na integra, os comentários dos alunos, independentes de corretos ou não, de embasados ou não na Palavra, o importante é a participação, haja vista estarmos em uma escola, para socialização do saber e por fim aprendermos uns com os outros:

1)Testemunho real dado pelo nosso Pastor setorial, Antonio Alves: "em uma congregação dirigida em Presidente Prudente, ele deu oportunidade para determinado irmão, porém a igreja sempre tinha o pé atras com aquele homem, pois sempre soltava algumas "perolas". Nesta ocasião, com uso do microfone, ele disse: "ei você que está com a chupeta do diabo na boca, ou você larga agora, ou vai para o inferno". Como temos cuidado nos cultos ao ar livre, isto soou mal, inclusive o Pastor imaginou que seriam postos a correr daquele lugar. Algum tempo depois este irmão, visitando uma congregação, foi parado por outro, que disse: "O senhor me conhece? Logicamente ele disse não. Eu estava naquele dia quando o senhor disse sobre a chupeta do diabo e aquela palavra martelou a minha mente durante a semana, eu aceitei a Jesus". Quem entende o trabalhar do Esp. Sto. Certeza que muitos tomam cuidado para pregarem em cultos publicos e muitos pregam salvação, arrependimento etc. Mas friso algo que bati na tecla no trimestre passado, DEUS TRABALHA NA EXCEÇÃO E NÃO NA REGRA. Se quisermos repetir este testemunho, certamente não teremos sucesso, é melhor vigiarmos.

2) Outro testemunho do nosso Pastor que visitou uma pessoa, em estado terminal, que recusou a Graça, resistiu ao extremo, não aceitou. Como entender a atuação do Espírito Santo. Quantos que almejam chance, de ao avistarem a morte tão de perto, terem tempo para ajeitarem a vida, buscar a Deus e este cidadão rejeitou, estranho.

3) Tem muitos crentes que parecem equalizadores, para cima, para baixo, para cima e para baixo, ai citaram o apostolo Paulo: "quando estou forte, ai estou fraco e quando estou fraco ai estou forte", meu Deus.

4) A nossa comunhão é com o Pai e com o Filho. E o Espírito Santo? é função dele promover este intercâmbio.

5) Porque Deus não permitiu uma manifestação corporea de seu Espírito Santo? Já haviam desprezado e matado os profetas, mataram o Filho e o que fariam com Espírito Dele? S e isto acontecesse Deus tomaria uma decisão drástica: Agora vou eu, comigo a conversa é diferente. (apenas como ilustração).

6) Quando Pedro negou a Jesus, o seu mundo desmoronou, mas nem por isto tomou decisões trágicas como Judas. Já sentia na vida a chamada para a Obra. Uma vez salvo, salvo para sempre? Uma vez perdido, perdido para sempre? Não, Pedro estava por baixo, sem perspectiva, mas encontrou solução para sua vida. Estava perdido e foi salvo, mudou de situação.

7) Trovão e chuva: Quando troveja é porque já esta chovendo há muito tempo (em algum lugar, talvez), da mesma forma o Espírito Santo, quando foi manifestação (At 2) Ele já estava trabalhando???? Talvez isto justifique (trimestre anterior) o trabalhar na vida de Saulo (durante o martirio de Estevão), antes mesmo de sua conversão. Talvez.

8) A forma de atuação do Esp. Sto na vida do homem consiste basicamente no seu interior, convencimento, bla, blá, blá, blá humano não resolve se o Esp. Sto não atuar.

9) O sol e a lua: Após a ascensão de Jesus o outro consolador foi enviado, sem forma corporea, pois justamente não havia necessidade de outro homem, mas sim de outro consolador. Deus não necessita da sombra humana para dar prosseguimento ao seu plano. Enviou seu Filho e depois o Espírito Santo. Agora é interior, visão espiritual, não mais carnal, visivel, material, agora é pela fé. Quem é o astro e quem é o satelite? Muitos invertem, imaginam o sol como satelite e a lua como astro. Com Deus a história é diferente. O sol é o astro.

Estas foram as que consegui anotar durante a aula. Riquissimos comentários dos alunos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário