Presidente Prudente (SP),

Apresentação da lição em power point

domingo, 6 de novembro de 2011

Pós aula - lição 6

Alguns comentários dos alunos durante a aula e outros que acrescentamos:

1. Neemias não queria meros expectadores;

2. As vezes levamos visitantes na igreja e temos que explicar cada passo do culto, pois muitos não conhecem nosso vocabulário, não entendem a Palavra, enfim nada;

3. Clamor do povo: "Expliquem melhor o que vocês estão nos dizendo";

4. Comentário do Pastor Enéas Padilha sábado a noite na ceia em Prudente: “tem um bando de crentes assembleianos que não tem coragem de frequentar aos domingos de manhã as nossas escolas bíblicas e ficam em casa ouvindo os ensinamentos de outros ministérios através do radio, tv e internet;

5. Seria possível ouvirmos uma mensagem na igreja e não entendermos nada?

6. Os japoneses (pelo menos aqui em Machado, que tem uma colônia grande) fazem de tudo para que as suas tradições não sejam esquecidas, mesmo longes do Japão. Eles frequentemente falam na língua materna, ensinam os filhos, netos, utilizam literatura importada;

7. Quando pregamos para os pecadores muitos não entendem, zombam, mas depois que explicamos, ensinamos e após aceitarem Jesus como Salvador a história muda;

8. Leitura, ensino e explicação são base para o genuíno avivamento. De nada adiantariam 6 horas diárias e sete dias por semana;

9. O ideal seria os mega pregadores ficarem 2 ou 3 dias, após os grandes congressos, ensinado e explicando as suas mensagens para a igreja;

10. Pregação da Palavra é como uma foice que corre o mato e corta em grande quantidade. O ensino é como aquela enxadinha de horta, que fica rodeando a plantinha, limpando ao seu redor;

11. Avivamento é reunir 300 a 1000 pessoas em um estádio ou ginásio? Avivamento é leitura, ensinamento, explicação, choro, arrependimento e mudança de vida;

12. O povo não pediu aos seus líderes como os judeus pediram a Paulo na sinagoga na sua primeira viagem missionária (At 13.15) “se vocês tem alguma palavra de consolação para o povo, falem”, mas disseram: “tragam o Livro da Lei”;

13. Todo tempo em que ficaram dispersos pelo mundo, os judeus fizeram de tudo para preservarem as suas tradições, apesar que em alguns casos tiveram que ensinar novamente;

14. Neemias poderia ter ordenado o seguinte: Esdras você faz a leitura e eu fico ao lado como representante do rei. O povo que ouça e pratique depois, mas não foi isto que aconteceu, pois colocaram os obreiros a direita e esquerda e os levitas auxiliado no ensino e explicação;

15. Será que o povo entendeu o que estava sendo lido após a explicação?

16. Os missionários conhecem a cultura dos povos para respeitá-las, não creio que assimilam quando retornam para o Brasil, ou pelo menos eu nunca vi missionários comendo insetos em vez de churrasco e tampouco tomando sopa de frango (boliviana) em vez de macarronada ou pizza;

17. Um bom ensinamento: Poderíamos dizer para uma criança que da árvore tal colhemos os seus frutos. Não seria melhor ensinarmos e explicarmos sobre a semente que é jogada no chão, dentro de um buraco, várias vezes maiores que ela, para ficar no escuro, na solidão, umidade, enterrada, pisada e que quando começa a crescer em vez de desabrochar para cima, primeiramente ela busca o fortalecimento de suas raízes, para então aparecer sobre a terra. Neste momento ela começa a fugir das enxadadas do agricultor, quando não aparecem os ventos, que ajudam a engrossarem o seu caule. Depois é que vem o fruto visível.

Por: Ailton da Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário