Apresentação da lição em power point

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Moisés - sua liderança e seus auxiliares. Plano de aula



TEXTO ÁUREO
“Ouve agora a minha voz; eu te aconselharei, e Deus será contigo [...]” (Êx 18.19).

VERDADE PRÁTICA
Para cuidar da sua obra, Deus chama a quem Ele quer, e pelo seu Espírito capacita essas pessoas para a sua santa missão.

LEITURA BIBLICA EM CLASSE – Êx18.13-22.
 13 - E aconteceu que, ao outro dia, Moisés assentou-se para julgar o povo. e o povo estava em pé diante de Moisés desde a manhã até à tarde.
14 - Vendo pois o sogro de Moisés tudo o que ele fazia ao povo, disse: Que é isto, que tu fazes ao povo? por que te assentas só, e todo o povo está em pé diante de ti, desde a manhã até à tarde?
15 - Então disse Moisés a seu sogro: É porque este povo vem a mim, para consultar a Deus:
16 - Quando tem algum negócio vem a mim, para que eu julgue entre um e outro, e lhes declare os estatutos de Deus, e as suas leis.
17 - O sogro de Moisés porém lhe disse: Não é bom o que fazes.
18 - Totalmente desfalecerás, assim tu, como este povo que está contigo: porque este negócio é mui difícil para ti; tu só não o podes fazer.
19 - Ouve agora a minha voz; eu te aconselharei, e Deus será contigo: Sê tu pelo povo diante de Deus, e leva tu as cousas a Deus;
20 - E declara-lhes os estatutos e as leis, e faze-lhes saber o caminho em que devem andar, e a obra que devem fazer.
21 - E tu dentre todo o povo procura homens capazes, tementes a Deus, homens de verdade, que aborreçam a avareza; e põe-nos sobre eles por maiorais de mil, maiorais de cem, maiorais de cinquenta, e maiorais de dez;
22 - Para que julguem este povo em todo o tempo, e seja que todo negócio grave tragam a ti, mas todo negócio pequeno eles o julguem; assim a ti mesmo te aliviarás da carga, e eles a levarão contigo.

PROPOSTA
·         Despenseiro não é DONO, não monopolize;
·         O sogro de Moisés percebeu a dificuldade do líder;
·         O líder não pode tentar fazer mais do que pode;
·         Líderes principais e auxiliares: levantados por Deus;
·         Auxiliares de Moisés: Miriã, Arão e Jetro (família);
·         Outros auxiliares de Moisés: Josué, anciãos, etc;
·         Um bom ministro não dá apenas ordem, é exemplo;
·         A soberba impede que os líderes ouçam seus auxiliares;
·         A verdadeira fidelidade é revelada em nossos atos.

INTRODUÇÃO
Moisés, servo fiel de Deus e um bom líder, foi“instruído em toda a ciência dos egípcios e era poderoso em suas palavras e obras” (At 7.22). Durante este período de sua vida ele aprendeu muito, que poderia ter sido muito útil caso tivesse ficado no Egito para, provavelmente, herdado o trono ou uma outra atribuição que fosse designada.

No Egito, ele aprendeu a “como mandar”, bem diferente do que aprendera no deserto, a caminho de Midiã e no retorno para iniciar sua missão. Na ida, na estadia e retorno ele foi convencido por Deus, para mais tarde, em pleno caminho a Terra Prometida, aplicar no povo o mesmo que recebera de Deus.

Tudo o que aprendera no Egito não pode ser colocado em prática enquanto guiava o povo em direção à Canaã, seria necessário deixar tudo de lado, juntamente com os títulos, banquetes, honrarias e possíveis cargos que viesse a herdar, devido a sua estreita relação com a família mais importante do Egito.

Mesmo na condição de líder do povo de Deus, vemos as suas dificuldades na carência e utilização de auxiliares, o que não foi de estranhar devido a quantidade de pessoas que estavam ao seu comando e cuidado. Tinha ciência de tudo, julgava as causas grandes e pequenas que surgia entre aquela multidão. Era muito peso sobre os seus ombros. Ele precisava de ajuda e rápido. Tal como ele, vemos hoje, na figura do líder cristão, os mesmos problemas, o diferencial está nas atitudes, pois estes não seguem o bom exemplo daquele, que humildemente ouviu sábios conselhos e por isto continuou a jornada, confinado em seus auxiliares.

I. O TRABALHO DO SENHOR E OS SEUS OBREIROS
1. DESPENSEIRO E NÃO DONO (ÊX 18.13-27). 
Podemos ser laboriosos e dedicados na obra do Senhor e ainda assim podemos cometer falhas em nossa administração, tal como foi Moisés, o nomeado por Deus para administrar o seu povo.

Um dos erros de Moisés e de alguns líderes da atualidade está no monopólio do poder administrativo, apesar que Moisés, desde o inicio teve seu irmão como auxiliar ao seu lado, inclusive vendo-o ser usado por Deus durante a manifestação de algumas das pragas bem como no trato verbal com Faraó.

Na Bíblia encontramos vários exemplos que servem para mostrar que o líder de Deus não pode pensar que é dono da obra ou do rebanho que dirige. Vejamos como exemplo Diótrefes (3Jo vv.9,10). Este obreiro via a congregação como uma propriedade sua. João repudiou e denunciou a recusa de Diótrefes em se relacionar com as outras lideranças e irmãos. O aviso foi direto e certeiro: “fuja dos que procuram exercer a primazia”.

2. FALTA DE PERCEPÇÃO DO LÍDER (ÊX 18.14,17). 
Às vezes o líder não percebe as necessidades dos seus liderados. Isso não significa que ele seja um mau líder, mas que, em alguns momentos, os que estão de fora têm uma percepção melhor da administração. Jetro era sogro de Moisés e sacerdote; ele logo percebeu a dificuldade que Moisés estava tendo no exercício da sua liderança.

Elias também mostrou uma total falta de percepção, quando disse que somente ele havia ficado em Israel (1Rs 19.10,14) e quando pediu a morte (1 Rs 19.4). Ainda restavam sete mil fiéis, que precisavam de um líder e havia também um jovem que deveria ser preparado para sucedê-lo.

Eliseu, o sucessor, também não percebeu que os discípulos dos profetas enfrentavam uma séria necessidade atinente à moradia (2Rs 6.1), eles, no silêncio, exigiam uma atitude do líder.

Talvez você, líder, não esteja percebendo as necessidades do seu rebanho, mas elas existem e não devem ser ignoradas.

3. O LÍDER NECESSITA DE AJUDANTES (ÊX 18.18). 
Caso Moisés continuasse a trabalhar sozinho, logo estaria enfrentando um severo esgotamento físico e mental. Ao mesmo tempo o povo também iria se cansar pela longa espera em pé (vv.13,14), ou seja, todos sairiam perdendo com a teimosia do então líder.

Quem sabe ele respondesse afirmativamente quando ouvisse de Deus o desejo de consumir a todos e fazer dele uma nova nação (Ex 32.9-10). O cansaço, devido ao muito trabalho, bem como o desapontamento poderiam influenciar em sua decisão. Mas com os ajudantes em ação ele teria muito tempo para clamar e para se preocupar com seus liderados.

O mesmo aconteceu com a igreja primitiva, no momento em que os apóstolos se viram sobrecarregados de serviços, principalmente no zelo e trato com aqueles que haviam sido criados fora da terra de Israel (At 6.1 – NTLH).

Moisés separou homens para ajudá-lo a guiar o povo para a Terra Prometida e muitos anos depois a igreja primitiva repetiu o ato (At 6.1-6), quando separou homens para ajudar um povo que retornou, motivado pela pregação ou pela perseguição, apesar que em Jerusalém era mais ferrenha, mas um diferencial era notório: na companhia dos apóstolos havia testemunho de livramento, encorajamento e estimulo para resistirem a perseguição.

Isto prova que ninguém é capaz de cuidar do rebanho do Senhor sozinho. O líder não deve tentar fazer mais do que pode. Também precisamos nos conscientizar de que nenhuma pessoa é insubstituível na obra de Deus. Mais cedo ou mais tarde cada um de nós será substituído, contudo, a obra de Deus prosseguirá.

II. OS AUXILIARES DE MOISÉS NO MINISTÉRIO
1. DEUS LEVANTA AUXILIARES (ÊX 18.21). 
Para fazer a sua obra, Deus levanta líderes principais, como Moisés, e de igual modo levanta líderes auxiliares. Foram escolhidos setenta homens que estavam enquadrados nos critérios estabelecidos por Deus (Nm 11.16). Se uniram ao líder na árdua tarefa de resolver os problemas do povo.

Será que estes homens enfrentaram problema devido a escolha? Deus deixou bem claro que deveriam ser lideres e respeitados entre os povos, mas por outro lado, se o próprio Moisés teve a sua autoridade questionada, imaginem então estes homens. Será que ouviram algo do tipo: “por que ele? Conheço o passado dele? Sei tudo sobre sua família? Ele não tem condições, não governa nem mesmo sua própria casa e vai querer mandar agora”?

Em determinado momento da caminhada Moisés teve a sua autoridade questionada, justamente pelos mais próximos a ele, mas Deus tratou de resolver o problema e confirmou diante de todos que o líder era seu servo e estava sob suas ordens: “Agora, escutem o que vou dizer. Quando há profetas entre vocês, Eu apareço a eles em visões e falo com ele em sonhos. Com o meu servo Moisés é diferente, pois Eu o coloquei como RESPONSAVEL(grifo meu) por todo o meu povo. Pois Eu falo como ele face a face, claramente, e não por meio de comparações; ele já ate viu a minha forma! (hum...., grifo meu). como é que vocês se atrevem a falar contra o meu servo Moises? (Nm 12.6-8 - NTLH). Será que restaram duvidas a Miriã e Arão, primeiros auxiliares do irmão? Eu particularmente não gostaria de ajudantes como eles.

Todo obreiro que está à frente do trabalho do Senhor, seja qual for a tarefa, necessita de auxiliares, cooperadores, colaboradores (Rm 16.3,21; 2Co 8.23).

2. OS AUXILIARES DE MOISÉS (ÊX 18.25).
Certamente Moisés teve muitos auxiliares cujos nomes não foram registrados nas Escrituras Sagradas, mas vejamos apenas alguns que o ajudaram durante a caminhada do povo até a Terra Prometida.
a) Miriã era auxiliar de Moisés e também sua irmã. Era profetisa e cantora (Êx 15.20,21). Seu nome, em hebraico, corresponde em grego a Maria. Certa vez, levantou-se contra Moisés e pagou caro por sua rebeldia (Nm 12).

b) Arão, irmão de Moisés, seu porta-voz (Êx 4.14-16; 7.1,2) e líder dos sacerdotes.

c) Os anciãos, também chamados príncipes no período mosaico. Eram líderes e representantes do povo (Dt 1.13-15; Êx 3.16,18). Outros auxiliares eram os juízes e os levitas (Js 8.33; 24.1).

d) Jetro, o sogro de Moisés, não era israelita, mas demonstrou ser um homem cheio de sabedoria. Ele muito ajudou Moisés, quando inspiradíssimo, o aconselhou a escolher auxiliares e dividir parte de suas atribuições com eles.

e) Josué, sucessor de Moisés (Nm 27.18-23), é mencionado pela primeira vez na Bíblia em Êxodo 17.9, num contexto que destaca a sua obediência a Moisés (33.11). Por ter sido fiel e obediente a Moisés foi o escolhido de Deus para suceder o Legislador.

III. QUALIDADES DE MOISÉS COMO LÍDER
1. MANSIDÃO E HUMILDADE (NM 12.3). 
Deus falava com Moisés face a face. Todavia, ele com humildade parou para ouvir os conselhos de Jetro, que não era nem mesmo israelita. Onde Moisés herdou tamanha humildade? Por todos os privilégios que tivera era de se esperar que rejeitasse até mesmo um pedido de audiência, quanto mais um conselho ou algo do tipo: “deixa eu te ensinar a trabalhar”. Ah, se tivesse acontecido isto enquanto ele ainda estava no Egito, nos primeiros quarenta anos de vida, certamente Jetro teria o mesmo fim do egípcio morto.

Se você deseja ser bem-sucedido em sua liderança, seja humilde. A soberba, além de ser pecado, impede o líder de crescer. A Palavra de Deus diz que na “multidão de conselheiros, há segurança” (Pv 11.14), todavia, a soberba impede que o líder ouça seus auxiliares.

2. PIEDOSO E OBEDIENTE. 
Moisés era um exemplo de obediência e integridade e da mesma forma o obreiro precisa ser modelo dos fiéis (1Pe 5.3). O verdadeiro ministro de Cristo precisa viver uma vida digna, não só diante de Deus, mas também dos homens (2Co 8.21; 1Tm 6.11,12). O servo deve viver e agir de modo honroso no trabalho, na vizinhança e na família. A santidade é um imperativo na vida do obreiro. Um bom ministro de Cristo não apenas dá ordens, mas em tudo é o exemplo para o rebanho.

3. FIEL (Nm 12.7; Hb 3.2,5). 
Esta é uma das qualidades primordiais de um líder, pois “requer-se nos despenseiros que cada um se ache fiel” (1Co 4.2). De nada adianta o líder cristão pregar e ensinar a Palavra, se ele é desobediente, displicente, e nem sequer pratica o que ensina.

A verdadeira fidelidade revela-se em nossos atos cotidianos. Os olhos do Senhor estão à procura dos que são fiéis (Sl 101.6). Moisés foi fiel a Deus, ao seu povo, à sua família. Sigamos seu exemplo, que mesmo sabendo que não pisaria na Terra Prometida permaneceu fiel e cumpriu o desejo de Deus (Dt 3.23-29).

CONCLUSÃO
Ninguém pode fazer a obra de Deus sozinho. O líder cristão precisa de auxiliares dados por Deus que o ajude. Não sejamos como muitos líderes que não sabem delegar tarefas. Estes acabam sofrendo e fazendo a obra de Deus sofrer danos. Sigamos o exemplo de Moisés e seus auxiliares, que o ajudaram na missão de conduzir o povo de Deus até à Terra Prometida e principalmente por ter dado crédito ao conselho de um expectador de seu trabalho, que tinha uma visão melhor e privilegiada.

OBJETIVOS DA LIÇÃO

FORAM ALCANÇADOS?

1) A obra do Senhor precisa de trabalhadores.
2) Moisés humilde, ouviu conselhos e separou auxiliares.
3) Líder: Manso, humilde, piedoso, obediente e fiel.

REFERÊNCIAS
Bíblia de estudo aplicação pessoal. CPAD, 2003.

Bíblia de Estudo Temas em Concordância. Nova Versão Internacional (NVI). Rio de Janeiro. Editora Central Gospel, 2008.

Bíblia Sagrada: Nova tradução na linguagem de hoje. Barueri (SP). Sociedade Bíblica do Brasil, 2000.

Bíblia Sagrada – Harpa Cristã. Barueri, SP: Sociedade Bíblica do Brasil, Rio de Janeiro: Casa Publicadora das Assembleias de Deus, 2003.

LOURENÇO, Luciano de Paula. Os dez mandamentos do Senhor.Disponível em: http://luloure.blogspot.com.br/2014/02/aula-08-moises-sua-lideranca-e-seus.html. Acesso em 20 de fevereiro de 2014.

Por: Ailton da Silva - Ano VI

Nenhum comentário:

Postar um comentário