Presidente Prudente (SP),

Apresentação da lição em power point

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

lição 6 - A importancia da Disciplina na igreja

I - INTRODUÇÃO:

EXISTE UMA TENDÊNCIA DE RESSALTAR QUE A IGREJA É UMA GRANDE AGÊNCIA MISSIONÁRIA, PORÉM, ANTES DISTO, ELA É A “ASSEMBLÉIA DOS SANTOS”, NA QUAL NÃO PODEM SER TOLERADOS OS QUE VIVEM EM PECADO.

UMA IGREJA SEM DISCIPLINA FAVORECE O APARECIMENTO DA LIBERALIDADE, DO RELATIVISMO, HIPOCRISIA E MENTIRA, TUDO COM APARÊNCIA DE ALTRUÍSMO.

A DISCIPLINA EM EXTINÇÃO, ESTÁ AMEAÇADA PELO INDIVIDUALISMO E PELA LIBERDADE DE ESCOLHA PREGADA PELO PÓS-MODERNISMO. NESSA “NOVA ERA” ANTROPOCÊNTRICA, A IGREJA É VISTA COMO UMA ORGANIZAÇÃO ALTAMENTE DEPENDENTE DO INDIVÍDUO QUE PRECISA SER CONSERVADO AO CUSTO DE VÁRIAS EXCEÇÕES.

A IGREJA SOBREVIVE HOJE, DIANTE DO TRIPLÉ:

A) SINAIS – SEGUINDO A FIEL PREGAÇÃO DA PALAVRA

B) MARAVILHAS

C) DISCIPLINA

II - A DEFINIÇÃO BÍBLICA DE DISCIPLINA

O TERMO “DISCIPLINA” EM GERAL, É EMPREGADO EM VÁRIOS SENTIDOS:

A) ENSINO;

B) EXERCÍCIO DA ORDEM E DA PIEDADE;

C) MEDIDAS CORRETIVAS NO SEIO DA IGREJA;

D) NÃO É SINONIMO DE EXCLUSÃO.

A DISCIPLINA TEM O PROPÓSITO DE:

A) EDUCAR;

B) CORRIGIR;

C) LIVRAR O INDIVÍDUO DO MAU CAMINHO.

A DISCIPLINA DEVE SER EXERCIDA COM:

A) AMOR (HB 12.6-11; EF 4.15; 2 TS 3.15; 2 JO 6; 2 CO 2.6-8; PV 13.24);

B) MANSIDÃO (2 TM 2.24,25; GL 6.1);

C) BONDADE (RM 15.14);

D) PACIÊNCIA (1 TS 5.14);

E) COM PESAR (1 CO 5.1,2).

A DISCIPLINA EVITA QUE UM ERRO SEJA REPETIDO. UMA PESSOA SEM DISCIPLINA NÃO CONSEGUE ENTENDER SEUS PRÓPRIOS LIMITES, NEM A CONSEQUENCIA DE SEUS ATOS.

NO ANTIGO TESTAMENTO A DISCIPLINA TEM A VER COM A INSTRUÇÃO POR MEIO DE RECOMPENSAS E PUNIÇÕES A FIM DE ORIENTAR A CONDUTA DO COMPORTAMENTO.

NO NOVO TESTAMENTO A DISCIPLINA TEM O SENTIDO DE INSTRUÇÃO, ORIENTAÇÃO, TREINAMENTO E PRÁTICAS DEVOCIONAIS E OU SOCIAIS, TUDO ACOMPANHADO DO AMOR, MAS TAMBÉM NOS REMETE A IDÉIA DE CORREÇÃO COM DIREITO DE DEFESA, MAS QUE DEFESA, QUE DIREITO?

A) A DISCIPLINA NA IGREJA

A DISCIPLINA É NECESSÁRIA NA IGREJA, MAS ESSA DEVA SEMPRE SER CONDUZIDA EM AMOR, DANDO AOS OFENSORES, A AMPLA OPORTUNIDADE DE DEFESA, E QUANDO IDENTIFICADA A CULPA, ESTE DEVE SE POSSÍVEL, SER CONDUZIDO AO ARREPENDIMENTO (I CO. 1.10,11; FP. 4.2,3).

A DISCIPLINA PREVENTIVA, POR MEIO DO ENSINO DA PALAVRA, É A MELHOR MANEIRA DE SE EVITAR MEDIDAS MAIS AMARGAS NO FUTURO (II TM. 2.24-26; TT. 1.9).

JESUS DECLAROU QUE A IGREJA NECESSITA DE DISCIPLINA, MAS DE ACORDO COM A PALAVRA. POIS ELA SE TORNA NECESSÁRIA PARA:

A) PROTEGER A INTEGRIDADE DA IGREJA (AT. 20.28-31; HB. 12.14-16);

B) RESTAURAR O TRANSGRESSOR À IGREJA, CONDUZINDO-O AO ARREPENDIMENTO (GL. 6.1; TG. 5.19,20).

A DISCIPLINA VISA À RESTAURAÇÃO. PORTANTO, O DISCIPLINADO DEVE SER ACOMPANHADO E ORIENTADO PELA IGREJA EM TODO O TEMPO DA SUA DISCIPLINA.

A IGREJA TEM AUTORIDADE, DADA POR DEUS, PARA DISCIPLINAR (MT 16.19; 18.18). A AUTORIDADE NA DISCIPLINA NUNCA VEM DAQUELE QUE A APLICA, MAS DAQUELE QUE A ORDENOU.

A PERGUNTA A SER FEITA NÃO É “COM QUE DIREITO A IGREJA DISCIPLINA?”, MAS: “COM QUE DIREITO UM MEMBRO DA IGREJA DO CORDEIRO PROFANA O SANGUE DA ALIANÇA E ULTRAJA O ESPÍRITO DA GRAÇA?” (HB 10.29).

B) OS PROPÓSITOS DA DISCIPLINA SÃO:

A) MANTER A REPUTAÇÃO DE DEUS (RM 2.23,24). DEUS É SANTO E EXIGE QUE O SEU POVO TAMBÉM O SEJA E QUE HAJA SANTIDADE NA SUA CONGREGAÇÃO (DT 7.6; 28.9; 23.14);

B) PROTEGER A PUREZA MORAL E A INTEGRIDADE DOUTRINÁRIA DA IGREJA (1 CO 5.6,7; 2 JO 7-11; 1 TM 1.13). A IGREJA NÃO PODE TOLERAR O PECADO (AP 2.20);

C) SALVAR A ALMA DO CRENTE E RESTAURÁ-LO À COMUNHÃO COM DEUS E COM A IGREJA (MT 18.15; TG 5.19,20; 2 CO 2.7,8; 10.8; HB 12.6-11; 2 TS 3.6-15; 2 TM 2.22-26);

D) DISSUADIR OUTROS A NÃO PECAREM, TEMENDO A DISCIPLINA (1 TM 5.20; AT 5.11).

C) MOTIVOS PARA DISCIPLINA:

A) AFASTAMENTO:

B) DIVISÕES E ESCÂNDALOS (RM 16.17; TT 3.10-11; AT 20.29,30; 16.17-20);

C) DEVASSIDÃO, IDOLATRIA, BEBEDICES, ROUBO, MALEDICÊNCIA (RM 5.11);

D) HERESIA (2 JO 6,9,10);

E) IMORALIDADE (1 CO 5.1);

F) BLASFÊMIA - ENSINAR DOUTRINA ERRADA SOBRE A PESSOA E OBRA DO SENHOR JESUS CRISTO (1 TM 1.20).

1) O POVO DO MUNDO RECEIA O AMBIENTE ENTRE NÓS, PORQUE O PECADO É DESCOBERTO E DISCIPLINADO PELO ESPÍRITO SANTO?

2) SE OS APÓSTOLOS TIVESSEM TOLERADO O PECADO DE ANANINAS E SAFIRA, PERMITINDO O CASAL FICAR EM SEU MEIO, OS PECADORES TERIAM ENTREGADO SUAS VIDAS AO SENHOR?

3) A COMUNIDADE OBSERVOU QUE EXISTIA UM POVO QUE NÃO SUPORTAVA PECADO! ANELOU EM VIVER NUMA IGREJA ONDE TINHA CERTEZA DE QUE TODO ENGANO E PECADO ERAM CORRIGIDOS! OS QUE SE CONFORMAM COM O PECADO E NÃO QUEREM VIVER UMA VIDA SANTA, SEMPRE EVITAM TAIS IGREJAS!

D) CASOS QUE PRECISAM DE ORIENTAÇÃO, MAS NÃO PUNIÇÃO:

A) TROPEÇO (GL 6.1). NESTE CASO O PECADO NÃO FOI PLANEJADO E NÃO ERA COSTUME DA PESSOA AGIR ASSIM;

B) DÚVIDAS SOBRE DOUTRINA (JD 16-23). ESTAS PESSOAS NÃO SÃO FALSOS ENSINADORES, MAS PRECISAM DE COMPAIXÃO E ESCLARECIMENTO;

C) DESORDENADO (2 TS 3.6-14). ESTA PESSOA INTROMETE NA VIDA DE OUTROS; OU NÃO QUER TRABALHAR PARA GANHAR A SUA VIDA MATERIAL; PASSA MUITO TEMPO NAS CASAS DOS OUTROS FALANDO O QUE NÃO DEVE; USA A PALAVRA PUBLICAMENTE PARA ATACAR OUTROS.

E) FORMAS DE DISCIPLINA A SEREM APLICADAS

CONFORME A GRAVIDADE DO CASO, ALGUMAS FORMAS DE DISCIPLINAS DEVEM APLICADAS NA IGREJA:

A) ADVERTÊNCIA E EXORTAÇÃO PESSOAL (MT 18:15; GL 6:1);

B) VISITAÇÃO ACOMPANHADA (I COR 4:14-21; MT 18:15-17);

C) ADVERTÊNCIA PÚBLICA (I TM 5:20);

D) COMUNICAÇÃO ESCRITA (II COR 7:8-10);

E) A SUSPENSÃO DA IGREJA - II TS 3:14-15 - É UMA FORMA MENOS RIGOROSA, EM QUE O FALTOSO FICA SUJEITO A UMA SUSPENSÃO DE ALGUM CARGO QUE OCUPA, DA SANTA CEIA, ETC. CONTUDO, ELE CONTINUA MEMBRO DA IGREJA OU, COMO DIZ A BÍBLIA, DEVE SER TRATADO COMO IRMÃO. TUDO COM A FINALIDADE DE AJUDÁ-LO A DESPERTAR E CONSERTAR-SE;

F) A EXCLUSÃO - QUANDO AS OUTRAS MEDIDAS NÃO SURTIREM EFEITO, ENTÃO RESTA SOMENTE O ÚLTIMO RECURSO: A EXCLUSÃO DA IGREJA. O FALTOSO É ENTÃO SEPARADO DA COMUNHÃO COM A IGREJA, ISTO É, NÃO É MAIS CONSIDERADO MEMBRO, MAS COMO GENTIO E PUBLICANO. NESSE CASO, O ATO DE EXCLUSÃO É APENAS UMA EXPRESSÃO DAQUILO QUE O SENHOR DA IGREJA JÁ FEZ – MT 18:17.

II. A OFERTA DE ANANIAS E SAFIRA

ANANIAS E SAFIRA DESEJARAM IMITAR O ATO DE BARNABÉ A FIM DE SEREM HONRADOS PELA IGREJA. SE DESEJASSEM PODERIAM TER RETIDO TODO O DINHEIRO DA VENDA, NÃO PRECISARIAM MENTIR, MAS O INIMIGO QUIS INSTAURAR A HIPOCRISIA NO SEIO DA IGREJA PRIMITIVA.

ELES SE IMPRESSIONARAM COM A GENEROSIDADE DE BARNABÉ E OUTROS (ATOS 4:36,37). POR ISSO VENDERAM UMA PROPRIEDADE E DERAM PARTE DA RENDA AOS APÓSTOLOS. O PECADO DELES FOI FINGIREM UMA ENTREGA TOTAL QUANDO, NA REALIDADE, TINHAM RETIDO UMA PARTE. PEDRO ACUSOU ANANIAS E SUA ESPOSA DE MENTIREM NÃO APENAS AOS HOMENS, MAS TAMBÉM AO ESPÍRITO SANTO.

PEDRO NÃO DENUNCIOU A FALTA DE HONESTIDADE (TRAZER APENAS UMA PARTE DO DINHEIRO DA VENDA), MAS A FALTA DE INTEGRIDADE (TRAZER APENAS UMA PARTE, FINGINDO QUE ERA TODO O DINHEIRO). ELES NÃO ERAM AVARENTOS; ERAM LADRÕES E - SOBRETUDO - MENTIROSOS. QUERIAM O CRÉDITO E O PRESTÍGIO DA GENEROSIDADE SACRIFICIAL, SEM TEREM QUE ARCAR COM AS INCONVENIÊNCIAS. ASSIM, A FIM DE CONQUISTAR UMA REPUTAÇÃO À QUAL NÃO TINHAM DIREITO, MENTIRAM. A MOTIVAÇÃO DO CASAL, AO DAR, NÃO ERA ALIVIAR OS POBRES, MAS INFLAR O PRÓPRIO EGO“.

ANANIAS E SAFIRA DEIXARAM-SE INFLUENCIAR PELO ADVERSÁRIO DE NOSSAS ALMAS QUE ENCONTROU OCASIÃO PARA ENCHER O CORAÇÃO DAQUELE INFELIZ CASAL, A TAL PONTO QUE AMBOS ENTENDERAM NÃO HAVER PROBLEMA ALGUM EM MENTIR SOBRE O PREÇO DA HERDADE DIANTE DAS AUTORIDADES CONSTITUÍDAS SOBRE A IGREJA. É INTERESSANTE OBSERVAR QUE, QUANDO A BÍBLIA NOS FALA A RESPEITO DE JUDAS ISCARIOTES, DIZ QUE O DIABO HAVIA ENTRADO EM SEU CORAÇÃO(LC 22:3) E, EM OUTRA PASSAGEM, QUE HAVIA POSTO NO CORAÇÃO O DESEJO DA TRAIÇÃO (JOÃO 13:2), MAS, COM RELAÇÃO A ANANIAS E A SAFIRA, É DITO QUE O CORAÇÃO DELES FOI CHEIO POR SATANÁS, A DEMONSTRAR, PORTANTO, COMO ERA FUNESTA A SITUAÇÃO ESPIRITUAL DAQUELE CASAL, BEM PIOR QUE A DO PRÓPRIO TRAIDOR DO SENHOR.

A) A MALDIÇÃO É RETIRADA DO ARRAIAL DOS SANTOS.

A PRÁTICA DE ANANIAS E SAFIRA SE ASSEMELHA À DE ACÃ (JOSUÉ 7), OCORRIDA LOGO NO INÍCIO DA ENTRADA DE ISRAEL NA TERRA PROMETIDA (CANAÃ). O COMPORTAMENTO HIPÓCRITA DESSE CASAL FOI MAIS UM EXEMPLO DA ESTRATÉGIA DE SATANÁS PARA DESTRUIR A COMUNHÃO E PUREZA ESPIRITUAL DA IGREJA. ALGUÉM DISSE QUE A HISTÓRIA DE ANANIAS É PARA O LIVRO DE ATOS O QUE A HISTÓRIA DE ACÃ É PARA O LIVRO DE JOSUÉ. EM AMBAS AS NARRATIVAS, UMA MENTIRA INTERROMPE O PROGRESSO VITORIOSO DO POVO DE DEUS.

A DISCIPLINA DO CRENTE COMO SOLDADO - II TM 2:3,4 - A IMAGEM DO SOLDADO COM A DO CRISTÃO DISCIPLINADO É EXTREMAMENTE APROPRIADA, PORQUANTO O SENHOR, QUANDO DISSE QUE IRIA EDIFICAR A SUA IGREJA, DISSE QUE ELA ESTARIA EM CONSTANTE LUTA CONTRA OS PODERES DO MAL (MT 16:18). A VIDA ESPIRITUAL SOBRE A FACE DA TERRA, PORTANTO, É CARACTERIZADA POR UMA CONSTANTE LUTA ENTRE OS SERVOS DE DEUS E O INIMIGO DE NOSSAS ALMAS, UMA LUTA QUE É MUITO MAIS DIFÍCIL E RENHIDA DO QUE A LUTA ENTRE OS HOMENS, POIS NÃO ENVOLVE A CARNE E O SANGUE, MAS AS HOSTES ESPIRITUAIS DA MALDADE (EF 6:12).

A DISCIPLINA DO CRENTE COMO ATLETA(LER 1CO 9:24-27). UM ATLETA, PARA PODER TER CHANCE DE VENCER UMA COMPETIÇÃO, PRECISA DIRIGIR SUA VIDA TENDO EM VISTA ÚNICA E EXCLUSIVAMENTE O PRÊMIO QUE PRETENDE CONQUISTAR. COMO VEMOS TODOS OS DIAS, OS GRANDES ATLETAS ESTABELECEM UMA MANEIRA DE VIVER LEVANDO EM CONTA TÃO SOMENTE OS OBJETIVOS A QUE SE PROPÔS. TEM UMA ALIMENTAÇÃO DIRIGIDA PARA A SUA ATIVIDADE ESPORTIVA, UM PERÍODO DE SONO TAMBÉM RELACIONADO COM SUA ATIVIDADE, UM CRONOGRAMA EXTREMAMENTE RIGOROSO, ONDE CADA AÇÃO SUA TEM EM VISTA TÃO SOMENTE A COMPETIÇÃO, A OBTENÇÃO DO PRÊMIO.

A DISCIPLINA DO CRENTE COMO AGRICULTOR. O AGRICULTOR É UMA PESSOA PACIENTE. ELE ESPERA O PRECIOSO FRUTO DA TERRA E, POR ISSO, É DOTADO DE PACIÊNCIA(TG 5:7), POIS SABE QUE A FRUTIFICAÇÃO NÃO ESTÁ SOB SEU CONTROLE, MAS, SIM, SOB O CONTROLE DO SENHOR. ESPERAR COM PACIÊNCIA NO SENHOR É ALGO QUE SOMENTE O VERDADEIRO CRISTÃO DISCIPLINADO TEM CONDIÇÕES DE FAZER. O SALMISTA AFIRMA QUE O FAZIA PORQUE HAVIA, REALMENTE, TIDO UMA TRANSFORMAÇÃO DE VIDA (SL 40:1-3).


fonte: http://www.ebdweb.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário