Apresentação da lição em power point

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

mensagem 33 - "Quero um lugar mobiliado. Grande festa pede um lugar especial.

QUERO UM LUGAR MOBILIADO
GRANDE FESTA PEDE UM LUGAR ESPECIAL

INTRODUÇÃO – LC 22.8
Jesus e os seus discípulos precisavam de uma lugar para comemorarem a páscoa, por isto Ele ordenou a Pedro e João esta tarefa, excetuou Tiago, mas para oração ele sempre era incluído (Mc 14.36), mesmo não suportando muito tempo de oração (Lc 22.45).

Seria um lugar apropriado, pois não teria cabimento o Rei dos reis comemorar uma das festa solentes judaicas junto ao relento. Para o seu nascimento Ele não fez questão do lugar mobiliado e tampouco mandou os magos (Mt 2.1) ou pastores (Lc 2.8) que preparassem qualquer lugar para Ele. Quando eles chegaram o local estava preparado, mas para a Páscoa Ele fez questão de um lugar.

1) AS ORIENTAÇÕES E COORDENADAS (PALAVRA) – LC 22.8-9
Jesus enviou seus dois discípulos, mas antes forneceu-lhes todas as coordenadas, para facilitar ao máximo a tarefa, pois conhecia a fragilidade e limitação de seus seguidores e também porque, sem Ele, aqueles homens nada poderiam fazer (Jo 15.5). Se não fizesse desta forma certamente desistiriam, já que entrar na cidade, procurar e encontrar um homem, entre tantos, segui-lo, entrar em uma casa e pedir um lugar mobiliado ao pai de família, realmente não seria uma tarefa fácil. O único trabalho que teriam era seguir as coordenadas. O mesmo aconteceu com Ananias, que se não tivesse recebido as coordenadas de Jesus (vá, rua Direita, casa de Judas, homem de Tarso, chamado Saulo, que está orando, que já teve uma visão, que te viu orando por ele e sendo restabelecida a visão):

• Os dois discípulos – representam o homem caído, sem rumo e sem perspectivas. Como ovelhas sem pastor, cada um seguindo para o seu próprio caminho (Is 53.6). Porque somente os dois? Foram os dois que iniciaram o ministério público de cura, sendo presos e interrogados no Sinédrio (At 3.2; 4.3)

• As orientações e coordenadas – representam a Palavra, a verdade, a que pode direcionar o homem ao encontro de Jesus (Jo 17.8;17);

• Seria difícil encontrar o homem do cântaro? Por isto foi revelado as características. Faltou apenas o nome, RG e CPF.


2) O PLANO DE JESUS – LC 22.9
Eles perguntaram qual lugar deveriam preparar. Jesus queria mostrar aos discípulos como seria o seu trabalho após a morte. Como convenceria o pecador e como reuniria-os em torno de seu nome. Como estava se aproximando o momento de sua glorificação, era necessário que seus discípulos fossem “treinados”, para que entendessem tudo o que aconteceria com eles quando iniciassem a obra:

• Jesus queria mostrar que a Páscoa não era somente comida e bebida ou ritual anual obrigatório. Representava muito mais do que imaginavam. Ela simbolizava a libertação do Egito, apesar que os seus pais (ainda no Egito) comemoraram a primeira antes mesmo de serem libertos (Ex 12.11;18). Então não eram assim tão duros de coração. Este foi o dia que Deus ignorou a casa dos israelitas;

• Queria mostrar a forma correta de se apresentarem as suas festa solentes (Ex 23.14; Dt 16.16), pois não poderiam se apresentar vazios perante o Senhor. Eles levariam o Cordeiro, álias o Cordeiro estava com eles;

• O seu objetivo era mostrar que o lugar ideal era o coração deles;

• Revelar a sua tarefa, mostrar o caminho da salvação, dar água ao sedento e principalmente substituir o pecador no sacrifício


3) O HOMEM DIFERENTE (O SUBSTITUTO) – LC 22.10
Deveriam encontrar um homem, segui-lo, mas não seria um homem qualquer, um diferente, um que estivesse desempenhando uma função que não era sua de costume, algo espantoso, um que estivesse carregando um cântaro de água, assim ficaria fácil para eles identificarem, não teriam como errar, mesmo a cidade sendo grande e populosa.

Não questionem, não perguntem nada, apenas sigam o homem, ele é o condutor, entrem na casa que ele entrar. O homem do cântaro não é o fim, é o meio:

a) Jesus (Lc 22.9) – substituiu o homem no sacrifício da cruz:
• O homem com o cântaro cheio de água representa Jesus que veio substituir o pecador no sacrifício, veio desempenhar uma função que não era Dele. Carregar um peso e dar água aos sedentos e mostrar o caminho da salvação, pois Ele é o Cordeiro (Jo 1.29);

b) O Espírito Santo (Lc 22.10) – substituiu Jesus e deu continuidade a obra. Mesma espécie mas com ministérios diferentes (Jesus – evangelização caseira e o Espírito Santo evangelização mundial). Jesus veio salvar o que se havia perdido na nação de Israel enquanto que o Espírito Santo veio para os perdidos entre os gentios:
• Por isto os discípulos foram orientados a ficarem em Jerusalém (Lc 24.49) até serem cheios (At 2.1). Espírito Santo que tem a função de convencer o homem do pecado, do juízo e da maldade. Ele não força o homem, espera que estes não endureçam os seus corações ao ouvirem o chamado. Assim como aquele homem estava desempenhando uma função, estava substituindo, o mesmo ocorre com o Espírito Santo. A função de alcançar os confins da terra é Dele, pois veio substituir Jesus e dar continuidade na obra (Hb 3.15);

c) A Igreja (Lc 22.11-12) – substituta de Jesus na pregação do Evangelho. Sua função é cumprir a grande comissão e fazer obras ainda maiores que a de Jesus (Jo 14.12)
• Simboliza a igreja, pois após a ascenção de Jesus ela desempenharia a função para a que foi criada. Daria continuidade ao ministério de Jesus. Formada inicialmente pelos discípulos que receberam as últimas instruções como discípulos e as primeiras como igreja (At 1.8-9), antes de serem cheios do Espírito Santo (At 2.1) e os quais pregaram ousadamente (At 2.14) de casa em casa, todos os dias sem se cansarem (At 5.42) .


4) O DONO DA CASA (O DONO DA OBRA) – LC 22.11
Quando chegassem na casa deveriam intimar o dono para que mostrasse o como que cederia para eles. Agora era o momento de questionamento, perguntas. Onde está o cômodo mobiliado para o Mestre? Onde está a nossa benção? Não estamos autorizado a negociar ou pedir, somente preparar o lugar para Jesus. O dono não tinha como negar.

• O dono da casa representa Deus, que deu as coordenadas para o caminho da salvação Não é fácil seguir o homem do cântaro cheio, mas é fácil identificá-lo em meio a multidão. Ele é diferente, esta desempenhando a sua função;

• O dono da casa não teve como negar o pedido de Jesus. O cômodo já está preparado juntamente com a mobília. Deve ter pensado que seria a chance de ter o Mestre em sua casa, conhecer sua realidade e problemas. Enquanto uns ficavam subindo em figueira, se apertando em meio a multidão, descendo por telhado, ele simplesmente teria que dizer “sim” ao pedido;

• Do dono da casa é o dono da obra, ele permite que seu Filho se reúna com seus servos a fim de adorá-lo.


5) LUGAR MOBILIDADO (LUGAR DE REUNIÃO, O MELHOR) – LC 22.12
A casa pequena ou grande possuía os seus cômodos, mas Jesus não desejava qualquer um, deveria ser o que já estava preparado, mobiliado. O dono cederia o lugar para comemorarem aquela festa grandiosa. Não teve que preparar ou correr atrás dos moveis, tudo estava lá. Grandes ocasiões pedem lugares especiais. Aquela festa era especial assim como os convidados.

• A casa – representa a igreja que é o lugar destinado a reunir aqueles que respondem sim ao chamado e que não endurecem os corações. Lugar especifico com varias acomodações para atender os vários tipos de pessoas que se achegam a ela;

• O cômodo mobiliado – representa os melhores lugares. Mesmo a casa possuindo alguns cômodos um seria especial. O local para comemorações, comunhão, alegria e um lugar para estarem com Jesus, constantemente para esperarem a comemoração da grande e maior festa ansiosamente aguardada pela igreja, o arrebatamento.


6) CONCLUSÃO
A festa era solene, os convidados também, mas o importante era a resposta do dono da casa, que abriu as portas para receber o Mestre.

Por: Ailton da Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário