segunda-feira, 13 de dezembro de 2021

Ministério Cristão - aula 2

II – O MINISTÉRIO

Segundo o dicionário da língua portuguesa, ministério nos remete à ideia de "trabalho ou serviço na igreja". Biblicamente trata-se de todo serviço cristão desempenhado de forma contínua, que abrange desde a liderança até as tarefas operacionais de caráter permanente.

 

Não é emprego, não é transferível e tampouco hereditário e difere do exercício dos dons espirituais concedidos por Deus. Trata-se de vocação, portanto carece de prudência por parte da liderança para que tais sejam separados para a obra.

 

1) Apóstolos

Apóstolo (enviado) foi o primeiro ministério estabelecido na igreja (I Co 12.28). A tarefa dos primeiros apóstolos era pregar o Evangelho com autoridade e em nome de quem havia enviado eles, ou seja, com autoridade e em nome de Jesus, que foi o maior de todos os apóstolos. Ele foi enviado e executou sua obra na Terra (Hb 3.1 Jo 4.34) que teve continuidade após sua ascensão através do oficio dos apóstolos por Ele escolhidos (Mt 10.1-2; Jo 20.21; At 1.16-26).

 

Esses homens foram escolhidos, capacitados e dotados de autoridade para operarem milagres e pregarem com ousadia. Alguns defendem que esse ministério tenha se encerrado com esses apóstolos, no entanto, muitos outros foram levantados por Deus em seguida, tais como Paulo e Barnabé (At 14.14). Mas para o desempenho desse ministério é imprescindível o conhecimento e experiência em todos os outros ministérios, a fim de atender todas as necessidades, oferecer socorro espiritual, atuar na administração, preparar ensino para a igreja e para pastorear o rebanho.


 

2) Profetas

O profeta recebe a mensagem diretamente de Deus e a transmite ao povo, por meio de revelação, admoestação ou predição. Esse ministério foi de fundamental importância para Israel (Pv 29.18).

 

João Batista, em o Novo Testamento, continuou esse ministério nos mesmos moldes dos profetas antigos, se assemelhando a Elias (Lc 1.76; Mt 11.9-14; Mc 11.32) e preparou o caminho para o maior profeta, Jesus. Outros foram levantados para orientar a igreja primitiva, alguns deles em Jerusalém, Antioquia, Corinto e outras cidades. (At 13.1; At 11.27; 1 Co 14.29) e foram, de igual modo, fundamentais para manter a unidade, paz, fé e a sã doutrina entre os primeiros crentes.


 

3) Evangelistas

Pessoa dotada de capacidade especial para pregar o Evangelho, levantada por Deus (At 21.8; 2 Tm 4.5). Não se trata de um mero pregador, mestre ou preditor do futuro. Na verdade é um ministro de Cristo, que não apela para a lógica, erudição, oratória, psicologia, igorância ou misticismo. O evangelista equivale ao cargo de pastor, coordena evangelismo, abre ou dirige trabalhos e prega a Palavra com maestria.


4) Missionários

Obreiro enviado para uma missão dentro ou fora de seu país. Sua tarefa é evangelizar, abrir congregações e alcançar povos. Muitas vezes são enviados para lugares difíceis, sob risco de deportação e perseguição, por isso deve ser um crente nascido de novo, cheio de amor pelas almas e que esteja pronto a servir a Deus e fazer a obra em terras estranhas.

 

5) Pastores

Pastor, o anjo da igreja e líder espiritual do rebanho, administrador (1 Pe 5.1-3) e responsável pelo cuidado dispensado as ovelhas. Recebe orientações diretamente de Deus para desempenho de suas funções (Ap 2.1,7,12,18; 3.1,7,14). O trabalho vai desde a procura de melhor alimento, através da Palavra bem pregada e ensinada até a defesa contra ladrões, lobos e salteadores, cuidando, protegendo e conduzindo o rebanho até o sumo Pastor. De todos os ministérios, esse é o que mais fica em contanto com as ovelhas, se comprometendoe dispensando atenção primaria.

 

Além de batizar, celebrar casamentos, funerais, pregar sermões, o pastor também deve se preocupar com o aperfeiçoamento dos santos no desempenho de suas respectivas funções, além de proporcionar meios para edificação do Corpo de Cristo, através de escolas bíblicas, ensinos, sermões, cursos teológicos e encontros.

 

6) Bispos

Bispo (gr. Episkopos), que significa inspetor, supervisor, superintendente. Trata-se de um pastor dotado de visão administrativa e indica uma função que vai além do pastoreio. Algumas igrejas “neopentecostais” possuem em sua hierarquia a posição episcopal, sendo o bispo o seu representante máximo e em outros casos, algumas denominações apenas se referem a bispo como um pastor regional subordinado a outro bispo ou “apostolo”.

 

7) Presbíteros

Na igreja primitiva foram ordenados para desempenharem funções pastorais na Palavra, batismos, ceias, etc. (At 14.21-23). Deveriam ser homens de certa idade, firmes na fé, inabaláveis no amor, constantes na obra do Senhor e homens experimentados na vida espiritual. Os presbíteros são os defensores e guardiães da sã doutrina.

 

Em o Novo Testamento, equivale a pastor e ao bispo (At 20.17-18) e devido essa equivalência atualmente se constituem em auxiliares ou substitutos dos pastores. São responsáveis pelas funções administrativas, ensino, aconselhamento, direção dos trabalhos da igreja (Tt 1.5-7) e unção com o óleo, entre outras atribuições.


  

8) Mestres

O ensino da Palavra sempre ocupou lugar de destaque na igreja primitiva, pois os cristão não poderiam permencer na ignorância da doutrina bíblica, já que a falta de conhecimento pode acarretar a destruição (cfe Os 4.6). Para tanto, Deus estabeleceu mestres e doutores, revestidos do dom da palavra do conhecimento e da sabedoria (1 Co 12.8), com capacidade intelectual e facilidade de comunicação.

 

O dom da palavra da sabedoria é a mensagem vocal sábia, enunciada mediante a operação sobrenatural do Espírito Santo. É o poder de falar com discernimento divino. Tal mensagem, revelação da Palavra ou sabedoria do Espírito Santo, aplica-se em situações ou problemas específicos (At 6.10; 15.13-22), quer na defesa da fé, na resolução de conflitos, em conselhos práticos ou ao pleitear uma causa perante autoridades hostis. Estevão manifestou de tal modo a palavra da sabedoria que seus adversários não resistiram à sabedoria e ao Espírito, pelo qual ele falava (Atos 6.10).  Esse dom vem do Espírito Santo de Deus e visa a edificação da igreja, por isso é manifestado diante de momentos em que a igreja precisa de soluções para os seus problemas.

 

Já o dom da Palavra da ciência é o dom que revela os segredos ocultos que somente Deus pode esclarecer. Está relacionado ao ensino das verdades da Palavra e não é resultado de estudos. É a mensagem verbal, inspirada pelo Espírito Santo, para a edificação, consolação e exortação da igreja, revelando sobrenaturalmente, e instantaneamente, diante de uma situação específica, um conhecimento que não poderia ser acessado pelas vias da razão ou experiência (At. 5.1-10; I Co. 14.24,25; At.16.16). Pela revelação divina (palavra da ciência), Deus fez conhecer a Pedro a fraude de Ananias e Safira (Atos 5.1-11).


 

9) Diáconos

Diácono (gr. diakonos), nos remete a ideia de "atendente", "servente" ou “obreiro voluntário”. O diaconato surgiu na igreja primitiva durante as murmurações dos primeiros cristãos, ocasião em que os apóstolos escolheram sete homens para a direção do trabalho social na igreja de Jerusalém (At 6.1-7).

Os diáconos cuidam das necessidades físicas e logísticas da igreja, auxiliando e diminuindo a carga horária de pastores e presbíteros (cfe At 6.1). Esses obreiros devem ser respeitáveis, não avarento, irrepreensíveis, marido de uma só mulher, não dado ao vinho, um bom governante de filhos e casa, de uma só palavra, não cobiçoso de sórdida ganancia, sólidos na fé e na vida (1 Tm 3.1-13), que por servirem bem alcançarão para si boa posição na fé que há Cristo Jesus (1 Tm 3.13).

Basicamente serviriam à mesa, no entanto, devido ao crescimento e ascensão da igreja tiveram uma acúmulo de funções. O ideal seria que todos os obreiros passassem por esse ministério, pois se trata de um cargo que melhor expressa a intenção de Jesus (Jo 13.12-15). As mulheres também desempenham essas funções e são separadas e consagradas para tal.

 

10) Cooperadores

Os cooperadores fazem parte de um grupo que precede ao diaconato, chegando a desempenhar algumas funções. Trata-se um período de experimento, de observação para posterior aprovação do obreiro. O apóstolo Paulo fez menção de várias pessoas que cooperaram durante seu ministério (Rm 16.22; Fm 1.24; 1 Co 16.19)

Por: Ailton da Silva - 12 anos (Ide por todo mundo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário