Apresentação da lição em power point

domingo, 3 de julho de 2011

lição 1 - pós aula

alguns comentários dos alunos e outros que acrescentamos no decorrer da aula:

1) Mt 4”8-9 – que reino era aquele que o maligno ofereceu para Jesus? Segundo a BAP na anotação de rodapé, o maligno tinha o controle temporário no mundo devido ao pecado do homem;

2) caso Jesus tivesse aceito a oferta dele, poderia ter abreviado o seu reinado milenial, pois assumiria o controle de tudo, visivelmente, desta forma a humanidade acreditaria;

3) o maligno é tão displicente que sequer valorizou, o que temporariamente, estava em seu controle, pois ofereceu o seu “reino e glória deste mundo”, bem diferente do reino de Deus (Dn 2”44) que jamais passaria para outras mãos ou domínio;

4) caso Jesus adorasse o maligno, naquela oportunidade, certamente ele deixaria de lado a sua missão neste mundo, que é roubar, matar e destruir, pois já havia conseguido o que queria, a adoração do filho de Deus. O maligno estava convidando Jesus para jogar no seu time, dividir as tarefas e principalmente, ele queria dividir a Trindade, deixando Jesus na terra com o reino e a glória (humanos), o Pai e o Espírito Santo (que não viria como Consolador pois Jesus não teria sido assunto aos céus). Em matéria de dividir ele é mestre;

5) a hierarquia somente tem função na igreja, já no reino de Deus não terá espaço (isto se aplica somente na relação homem x homem, na relação homem x Deus ainda existira, devido a soberania Divina);

6) Juízes 21”25 – povo sem rei, povo sem lei e povo sem Deus;

7) eles não aprenderam com Saul, Davi e Salomão, pois o primeiro falhou em seu reinado, o segundo pecou e o terceiro fez alianças com povos vizinhos, casando e se misturando, com a intenção de manter a paz. Os outros reis que seguiram somente promoveram divisões, guerras, apostasia e idolatria. Deus deu uma chance para avaliarem o sistema de governo monárquico, sequer perceberam. Poderiam ter implorado pela volta do governo Divino;

8) nos dias de Noé o povo casava-se, dava-se em casamento, comiam, bebiam, vendiam e compravam, até o dia que iniciou o dilúvio, ou continuaram casando e dando-se em casamento, bebendo, comendo, comprando e vendendo mesmo com as chuvas caindo do céu e as águas brotando da terra. Será que cancelaram todos os compromissos naquele dia? Ou procuraram honrar todos? Naquele dia eles cancelaram porque viram que era verdade o que Noé havia pregado, mas era tarde. Qualquer semelhança com a atualidade é plano de Deus;

9) porque a igreja deve buscar o reino de Deus? Será que de vez em quando ela sai da direção, começa ir por outros caminhos?

10) Israel era uma grande congregação (de desviados?), afastados, incrédulos, que estavam distantes de Deus, somente pensando no seu bem estar, esperava somente a libertação de Roma, para avivarem o sentimento nacionalista judeu. Por isto que esperava a manifestação física, corpórea, potente do reino de Deus, jamais aceitariam um nascido em manjedoura, um que usava um jumento como meio de transporte e um que teve o seu trono em uma cruz, esperava justamente o contrário;

11) até mesmo os discípulos esperavam isto: “Senhor restaurarás Tú neste tempo o reino a Israel? Jesus havia confirmado, para eles, o recebimento do Batismo com o Espírito Santo e eles entenderam outra coisa;

12) a igreja (congregados) é o único agente autorizado a falar sobre o reino de Deus (mesmo que tentem ou provem o contrário através da Bíblia, literatura, blá, blá, blá);

13) no reino de Deus não existe espaço para o dedão do homem;

14) assim como no caso do Espírito Santo, os pormenores sobre o reino de Deus não foi totalmente revelado ao homem (sua composição, base, estrutura, localização, condições, etc), justamente para que o homem não interferisse ou criasse mecanismos para aprisionar outros homens ou para que apresentassem suas placas e ideologias. Seria uma briga feia;

15) Teoria da transferência de reinos (Cl 1:13). Fomos transportados (transferidos) do reino das trevas para o reino do Filho. Ele, próprio, nos tirou das trevas. Quando é para sair Ele nos tira, mas em nenhum momento seremos re-transportados para aquele estágio anterior de sofrimento, trevas, pecado. Isto se dá pelas nossas próprias pernas, ou seja, quer sair das trevas Deus retira, mas se quiser voltar, volte por conta própria (o mar vermelho foi aberto para Israel atravessar uma única vez, para vitória. Caso voltassem, e muitos desejaram, teriam que atravessá-lo a nado, pois Deus abriu para os vitoriosos, jamais abriria para os derrotados);

16) quantos reininhos são vistos hoje? Ou, pelo menos, assim se consideram;

17) A igreja teria coragem de apresentar a humanidade o reino de Deus com características físicas, mortais, humanas, como muitos apresentam de porta em porta, na atualidade?

18) Testemunho de um dos alunos: ele bateu a porta de uma residência para entregar um folheto e a pessoa que o atendeu disse que não daria ouvidos, pois já tinha a sua própria religião, mas quando é para apresentarem "o seu reino" através de suas literaturas eles não respeitam a religião de ninguém, insistem até conseguirem. Faça o que eu mando, mas não faça o que eu faço. Assim é fácil!

19) o trabalho de João Batista foi endireitar o caminho, pelo menos conseguir alguns poucos dariam lugar. Praticamente ele abriu caminho na floresta, mato fechado, orgulho, incredulidade, dureza de corações. Israel estava em trevas espirituais.

20) o plano de salvação da humanidade foi promessa de Deus ainda no Éden. Este plano deveria ter inicio e foi o que aconteceu com a escolha de Israel. O ponto crucial foi a rejeição, onde se abriram as portas da salvação para todos os homens. Ninguém constrói uma casa fazendo no mesmo instante o alicerce, erguendo as paredes, cobrindo, pintando, etc, ou seja, a construção se dá por etapas, passo a passo, porque então o plano de salvação já deveria contemplar a humanidade desde os primórdios? Esta seria praticamente a parte final, Glória!

21) se a igreja é parte integrante do reino de Deus e se o joio está dentro da igreja e não pode ser arrancado pelo homem, então o joio, por enquanto, faz parte do reino de Deus? E mesmo uma igreja (ministérios antigos e ou novos) pode se encontrar nesta situação? Ela vai se afastando aos poucos do centro do reino, mas vai chegar um dia que estará completamente fora. Como tratado na lição anterior, Deus tolera muita coisa, assim como tolerou com Israel;

22) os apóstolos, no momento em que entenderam o sentido da obra e quando já estavam trabalhando, sentiram algo maravilhoso. Eles perceberam o valor da chamada, pois entre tantos foram eles os escolhidos. Não poderia ter entre eles o orgulho, mas a satisfação por fazer parte daquele grupo eles sentiram, assim como nós, devemos valorizar a chamada, o comissionamento, a capacitação e a disposição para a obra. Isto tudo deve ser valorizado. Fazemos parte do grande reino de Deus e devemos buscá-lo constantemente para que estas coisas nos sejam acrescentadas (Mt 6"33);

23) o certo é que continuamos sendo cristãos do Brasil e fazemos parte da igreja universal do reino de Deus, a grande igreja invisível, espiritual.

Nenhum comentário:

Postar um comentário