Apresentação da lição em power point

segunda-feira, 4 de julho de 2011

plano de aula - trimestres anteriores

3º semestre de 2007

A busca do caráter cristão - Aprendendo com homens e mulheres da Bíblia
Lição 5 – José um líder piedoso e temente a Deus
05/08/2007

1) Contexto familiar:
• Jacó trabalhou 7 anos por Raquel e depois mais 7. Ela era estéril e não poderia ter filhos, mas mesmo assim ele perseverou. Ele sabia que o milagre seria grande e já estava acontecendo antes mesmo de José nascer. Sara e Rebeca também sofreram com a esterilidade;

• José era filho predileto de Jacó, pois era justamente o filho de Raquel, porém ele não soube trabalhar esta questão entre os seus filhos e deixou transparecer. Nestas condições seria fácil José servir a Deus?

• Jacó transferiu o seu amor por Raquel para José e não fez o mesmo com os outros filhos e deu a ele como presente uma túnica colorida (somente os importantes e obres possuíam) e o colocou como vigia de seus irmãos;

• Jose foi vendido como escravo justamente para os ismaelitas que eram descendentes do irmão do próprio avô. Estes parentes não poderiam ser condenados por esta compra, pois se os próprios irmãos efetuaram a venda porque então os parentes distantes não poderiam comprar?



2) O caráter dos irmãos de José:

• Todos invejavam a situação de José perante o pai e possuíam algum tipo de distúrbio. Eram maus exemplos e desta forma como Jacó não amar mais a José, que aos seus olhos tinha uma conduta diferente dos outros.



3) A consolidação do caráter de José:

Caráter é o conjunto de atitudes boas ou más que definem a conduta de um individuo. O caráter é conhecido por uma ação exterior. O homem nasce vazio e o seu caráter será construído aos poucos. A família influenciará, a igreja, escola e outros grupos sociais, ou seja, o meio influenciará, porém no caso de José esta teoria não teve efeito.



4) A primeira fase na vida de José:

Ainda não tinha a túnica de várias cores (momento que foi exaltado o seu exterior):
• Era imaturo (contava os seus sonhos para qualquer um). Devemos ser prudentes com as revelações de Deus para a nossa vida;

• Trazia noticias ruins de seus irmãos para seu pai;

• Manchava a reputação de seus irmãos. Não podemos nos fortalecer com a desgraça dos outros;

• Contava vantagem nos sonhos, incitava a inveja e a ira de seus irmãos;

• Quis adiantar o plano de Deus;

• Não se preparava para ir ao encontro dos inimigos (quando foi ao encontro de seus irmãos e quando esteve sozinho com a mulher de Potifar);



5) Segunda fase na vida de José:

A túnica colorida dava a idéia de privilégios, era feliz, tudo ia bem, porém ainda não estava preparado para os planos de Deus. Perdeu a túnica, mas foi salvo da morte, pois seus irmãos pouparam a sua vida. Um pedaço de túnica serviu para provar a sua morte:
• Perdeu a túnica colorida;

• Ganhou vestes de escravos, perdeu os privilégios. Enquanto estava na cova não poder ver ou ouvir seus irmãos planejando a sua morte. As vezes é bom ficarmos sós com Deus e não ouvirmos o que o mundo planeja a nosso respeito;

• Ganhou as vestes de servos quando chegou ao Egito. Tudo parecia que ia bem. Tinha acesso a todos os bens de Potifar exceto um. Ele sabia disto, mas a mulher não. De novo perdeu os privilégios que tinha e um pedaço das vestes serviu para condená-lo, porém foi salvo da morte;

• Na prisão recebeu vestes de prisioneiro, na verdade estava com a reputação manchada, mas o seu caráter ainda era integro. Ganhou a confiança do carcereiro mor;

• Ganhou vestes de administrador das mãos de Faraó e esta era bem melhor e mais bonita que aquela colorida que seu pai havia lhe dado. Ganhou também o anel e um colar de ouro. Agora sim estava do jeito que Deus queria, tanto que em contraste com o passado não se auto indicou para o cargo, se fosse antes certamente tomaria esta atitude. Interpretou os sonhos na hora certa e não esperou vantagem por isto.



6) Vitória de José:

Em todas as situações de sua vida José esteve trabalhando ou fazendo algo que alguém determinasse.
• Fazia tudo o que se pedia, mesmo se fosse perigoso ou longe, não tinha preguiça;

• Serviu na casa de Potifar mais ou menos por 11 anos;

• Permaneceu na prisão por mais ou menos 2 anos e auxiliava o carcereiro mor;

• Como administrador do Egito, a sua primeira providência foi percorrer todo o território para conhecer o que estava recebendo como missão (temos que conhecer aquilo que Deus está nos confiando);



7) O plano de Deus para a vida de José:

• José imaginava que o plano de Deus era usá-lo e exaltá-lo ali mesmo em suas terras, no meio de seus irmãos (isso seria pouco, muito menos do que Deus havia planejado);

• Ao ser jogado no poço e depois enquanto rumava para o Egito deve ter imaginado, que talvez, o plano de Deus, em exaltá-lo seria ali entre os miseráveis e escravos;

• José pensou que seria usado e exaltado na casa de Potifar entre os servos, que naquele momento não seria de todo ruim;

• Pensou que seria exaltado entre os encarcerados. Talvez tenha imaginado que Deus o havia tirado do seio da família para abençoar os presos;

• E Deus disse: “Não, José, o que vou fazer com você é coisa grandiosa, nunca visto antes. Vou mostrar para esta nação impiedosa, arrogante, idolátra, prepotente que eu sou o Senhor e que além de mim não há outro. Quero ver se eles registrarão nos anais de sua história este acontecimento ou se desprezarão o fato de terem sido libertos por um hebreu, humilde, porém sábio, levantado na hora certa e no lugar certo. Do poço ao trono preparei e guardei. Quero ver se nos séculos vindouros eles ensinarão os seus filhos que o Deus de Israel usou um tal de José para livrá-los da fome;

Mesmo diante de maus exemplos, José foi preservado por Deus. Teve as suas falhas, mas não foi um criminoso, imoral, idolatra, tanto que quando pode, não se vingou de seus irmãos pelo passado.

O que fez ele diferente não foi a túnica colorida (já que esta o diferenciava apenas de seus irmãos), mas sim as vestes de administrador do Egito que o tornava diferente e destacado na história da raça humana.

Teve que passar por todo este processo, pois caso tivesse sido salvo da cova e exaltado ali mesmo entre seus irmãos ou dos escravos, somente deixaria evidenciado que o plano de Deus na vida dele era bem pequeno, mas quando contemplamos um hebreu, filho de pastores (profissão que os egpicios desprezavam) governando e salvando o Egito de uma crise, certamente fica bem claro a grandeza de Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário