Presidente Prudente (SP),

Apresentação da lição em power point

quarta-feira, 7 de março de 2012

Mensagem 51 - Não se preocupe com os serviços atrasados e com os entulhados

Introdução (Mt 8.14-20)
Durante seu ministério, Jesus se deparou com dois casos extremos, uma simples mulher e um escriba. Uma não esperava ou tampouco buscava solução para o seu problema e o outro ousou agir cheio de interesse.

1) Primeiro caso:
a) Mulher que jazia em febre (8.14)
Há quantos dias ela estava naquelas condições? Como estava o seu corpo? Fragilizado pela doença? Durante aqueles dias foi auxiliada por algum vizinho? Eles apareceram somente após o recebimento da bênção para também receberem algo (Mc 1.33). Vizinhos estão sempre perto (Jo 9.8-13) para extrair o máximo para depois condenarem, mas os amigos verdadeiros sempre estão longe (Jo 11.1-6).

Durante o tempo em que ficou acamada todas as suas obrigações e serviços ficaram atrasados, roupas entulhadas, sujeira, casa desarrumada, pois estava sem condições para fazer algo e também porque não recebeu ajuda de ninguém.

b) A mulher que teve seu caso apresentado a Jesus (Mc 1.30):
Desde o início Jesus sabia o que encontraria naquele dia. Tinha ciência do caso daquela mulher, mas queria que seus discípulos se condoessem da situação dela. O desespero tomou conta de todos os presentes a ponto de falarem dela a Jesus. Quem sabe aquela mulher também não havia gastado muito dinheiro com aquela doença (Lc 8.43).

c) A mulher que recebeu a visita de Jesus:
Ela estava na solidão de seu quarto, sem esperança, sequer buscava ou imaginava alguma alteração no seu quadro clínico. O que poderia esperar? Que o próprio Deus entraria em seu quarto para atendê-la? Era demais esperar isto? Quando em sã consciência poderia imaginar que Jesus estendo-lhe as mãos e levantando-a (Mc 1.31).

d) A mulher que serviu Jesus depois da bênção:
Canseira, sequelas, tristeza, desolação pela situação da casa? Nada disto foi impedimento para que ela não se levantasse de imediato para servir a Jesus, bem diferente do caso de Marta (Lc 10.40), que ficou o tempo todo se preocupando com os seus afazeres.

Aquela mulher poderia, ao ser curada, ter se levantado e corrido para colocar sua casa em ordem, pois:
• Estava com visitas;
• Logo seus vizinhos chegariam para atestarem o milagre e certamente reparariam na desordem;
• Queria apresentar o melhor para Jesus.

Mas ela escolheu a melhor parte, pois não se preocupou com fraqueza de seu corpo ou com a situação de sua casa e passou logo a servir Jesus. Ela não olhou para os lados, não atentou para o que estava atrasado, entulhado e sujo, mesmo sabendo que logo sua casa estaria cheia de curiosos e interesseiros.

2º caso:
a) Não diga bobagem – (Mt 8.19)
Um escriba se aproximou de Jesus e prometeu segui-lo por onde quer que Ele fosse, mas foi repreendido, tanto que saiu rapidamente do cenário.

O que aquele escriba poderia apresentar para servir de lastro para esta sua infeliz declaração? Jamais ele conseguiria cumprir o que havia dito. Era algo que não estava ao seu alcance, pois na primeira dificuldade que aparecesse, deixaria Jesus assim como João Marcos deixou Paulo (At 13.13).

b) Diferenças entre a sogra de Pedo e o escriba:
Porque Jesus não fez objeções a sogra de Pedro tanto quanto fez aquele escriba? Porque era parente de seu discípulo? Ela estava necessitada e não esperava receber tamanha bênção e tão rapidamente se prontificou a servir Jesus independente de suas dificuldades e outras necessidades.Graça é graça.

c) Qual era a verdadeira intenção do escriba?
Seguir Jesus? Ou estar ao somente ao seu lado? Aparecer nas fotos, filmagens e nas primeiras cadeiras? Se fosse esta a sua intenção, certamente encontraria resistência, principalmente entre os filhos de Zebedeu (Mt 20.21; Mc 10.37) e com outros discípulos (Mc 9.34).

d) Porque o escriba não foi atendido e a sogra de Pedro foi?
Esaú clamou, junto a seu pai (Gn 27.38), por uma bênção que não poderia ser alterado o portador, era de um e não poderia ser repassada ao outro, mesmo com a constatação do engano. O mesmo aconteceu com os judeus na fortaleza de Susã, que temeram pelo dia 13 de adar, pois não receberam do rei Assuero o livramento de morte através da revogação de seu decreto anterior (Et 8.8), mesmo se inteirando de toda a história e maldade de Hamã..

Será que Jesus não tinha muito mais bênçãos para entregar naquele dia? Ou não havia dignos de receberem-nas? A mulher foi atendida pois teria algo por oferecer, a sua servidão, já o escriba se prontificou a seguir, mesmo antes de receber algo de Jesus, mas não seria capaz de cumprir. Porque dizermos tantas bobagens? Ele sabe tudo.

Conclusão:
A sogra de Pedro foi atentida por Jesus, mas o escriba não! Ela não havia demonstrado qualquer tipo de ação para que despertasse a atenção do Mestre, pois foi visitada por Ele e o serviu após a cura. O escriba demonstrou muita vontade de seguir, mas não de servir.

Por: Ailton da Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário