Apresentação da lição em power point

quinta-feira, 22 de março de 2012

mensagem 83 - Fui escolhido? Foi. Fui ungido? Foi. Estou preparado? NÃO

Introdução (Ex 12.11)
A saída era certa, já estava determinada por Deus, querendo ou não, acreditando ou não, a nação de Israel sairia do Egito, era uma bênção incondicional (3.9-10), não dependia da fé dos israelitas. Deus determinou. Mas era necessário que antes eles se preparassem para receberem a bênção prometida, pois a qualquer momento poderiam receber a ordem para saírem.

1) Vocês ainda não estão preparados. Atenção para os “VOSSOS”:
• Lombos cingidos; (falta de interesse);
• Sapatos nos pés (falta de condições)
• Cajados nas mãos (surgiriam os pastores);
• Comerem a páscoa apressadamente (fiquem atentos ao toque da trombeta de Deus);
• Santifiquem os primogênitos (13.2), mas logo “eu” (cfe Nm 8.14);
• E antes de saírem recolham os ossos de José (13.19), pois foi prometido a ele (Gn 50.25). Passaram tantos anos e não esqueceram da promessa ao grande patriarca.

Estejam preparados, pois a qualquer momento vocês receberão a bênção, mas ainda somos escravos no Egito. Temos que comemorar e agradecer a Deus antes da bênção (cfe 12.51)? Porque Deus requer isto de nós, pobres israelitas que acabamos de conhecê-lo (Ex 3.13). Ele bem que poderia decretar a nossa saída e pronto.

2) Podemos diminuir um pouco a carga?
Lombos cingidos, sapatos, cajados e atenção redobrada. É muito para nós, não podemos simplificar? Em vez de fazermos tudo isto podemos apenas passar o sangue do cabrito nas ombreiras das portas (12.7)? Proteção contra a mortandade é bem diferente de gratidão pré bênção. Não misturem as coisas?

O sangue nas ombreiras das portas não era sinal de liberdade, mas sim de entregas das vidas a Deus, para que Ele cuidasse e protegesse da morte.

3) Período de preparação para recebimento da vitória:
a) Porque comemorar se ainda somos escravos!
Ainda eram escravos no Egito. Não tinham armas. Não tinham exércitos. Não contemplavam a terra prometida. Comemorar e agradecer pelo que? Até aquele momento apenas viram aflição em dobro por parte de Faraó.

Durante a caminhada no deserto aconteceu o mesmo. Onde estava a terra prometida? O que poderiam esperar naquele ambiente hostil? Não contemplavam a bênção, montes, carne, água, apenas areia. Momento ideal para crescerem na fé ou não.

Estevão afirmou que Israel cresceu no Egito, justamente no momento em que aguardavam a bênção de Deus (At 7.17), tanto que foi reconhecido pelos egípcios este estrondoso crescimento (Ex 1.9). A cada dia que se aproximavam da terra prometida eles cresciam, confiantes no recebimento da vitória, ou pelos menos deveriam crescer.

Quando, em sã consciência, alguns deles poderiam imaginar que Deus enviaria um profeta para libertá-los da escravidão? O crescimento numérico era sinal da aproximação da vitória.

b) Porque comemorar se ainda não se cumpriu a promessa de Deus:
Noé, sua família e os animais entraram na arca. Para reuni-lo foi fácil, o difícil foi reunir os animais, mas Deus sabe trabalhar! Eles entraram na arca (Gn 7.7) e nada de chuva ou de rompimento das fontes do grande abismo ou da abertura das janelas do céu. Deus fechou a arca por fora (Gn 7.16) e nada de água. E agora? Como enfrentar a família?

Este era o momento ideal para:
• Buscarem a Deus em oração;
• Agradecerem por estarem protegidos;
• Louvarem a Deus por terem sido escolhidos e separados.

Ou foi o momento propicio para reclamações, dúvidas? Do lado de fora da arca estava uma multidão zombando, rindo da suposta loucura de Noé. E os filhos? Talvez se fosse hoje, alguns encontrariam uma forma de saírem da arca, pois ela havia sido fechada por fora (Gn 7.16), não poderia ser aberta, mas alguns fariam cordas para saírem, derrubariam a porta, fariam buracos no teto, na parede, algum jeito dariam.

Será que os filhos ou das noras sentiram vontade de darem uma olhada no mundão lá fora? Olharem pela última vez? Ou quem sabe a mulher se lembrou dos tempos anteriores (Gn 19.26) ou talvez tenha dito a Noé para desacreditar e tomar uma outra atitude (Jó 2.9).

Eles ficaram esperando por 7 dias (Gn 7.10), depois da entrada, ou do fechamento, mas ficaram esperando por um período, e foi justamente para crescerem, se prepararem para verem o cumprimento da promessa de Deus. Foram escolhidos? Foram, mas ainda não estavam preparados para receberem tamanha bênção. A terra seria de Noé e sua família quando saíssem da arca (Gn 8.15-16), pois não encontraram ninguém para reclamar a posse.

c) Porque comemorar antes se ainda não subi ao trono de Israel?
Davi foi ungido pelo profeta Samuel (I Sm 16.13) e nos 15 capítulos restantes do livro não o vemos subindo ou recebendo o trono de Israel, vimos ele preservando a todos custo, tanto a sua vida quanto a do rejeitado rei Saul (I Sm 16.1).

Mas a noticia deve ter corrido por aquelas terras. “Davi foi ungido rei no lugar de Saul”, mas porque não assume? Está esperando o que? Todo aquele período de fuga, nada mais foi do que uma preparação, pois ele andou por boa parte do território de Israel, conhecendo as suas necessidades, os amigos, os inimigos, fazendo alianças e principalmente se apresentando ao seu povo.

Não era momento para reclamar, murmurar, mas sim crescer, na fé, no conhecimento, nas táticas de guerra. Crescer como homem, crescer como rei. A bênção dele se aproximava. Foi ungido rei sobre Judá (I Sm 2.4) e depois sobre todo Israel (II Sm 5.2-3)

Ele não tentou contra a vida do rei, não tentou usurpar o trono, não tomou a iniciativa, esperou o momento certo. Foi ungido? Foi, mas ainda não estava preparado para receber tamanha bênção.

d) Porque comemorar antes se ainda estamos condenados a morte:
Os judeus estavam desesperados pelo decreto de Hamã, mas Deus já havia resolvido o problema, da forma Dele. Porque não permitiu que Assuero revogasse seu decreto (Et 3.8-9)? Seria muita humilhação, transtornos, falta de sabedoria, coragem, sinal de fraqueza por parte do rei (Et 8.8)? Deus é Deus, poderia ter feito isto, mas o desenrolar foi totalmente diferente. “Vocês lutarão. Darei as armas e se preparem para aquele dia (13 de Adar), pois a luta será ferrenha, grande, não queiram abreviar a luta para receberem vitória antes da hora.

Eles esperaram o dia da luta e muitos que não eram judeus os ajudaram, pois não suportaram tamanho temor (Et 8.17). A vitória foi fácil, pois lutaram com as armas que tinham nas mãos. Quem imaginava eliminar os judeus, os viu glorificando  Deus pelo livramento e se assenhorando de seus inimigos.

4) Conclusão:
Fomos escolhidos? Fomos. Fomos ungidos? Sim. Estamos preparados para recebermos algo de Deus? Não. Como fazer então? Devemos nos preparar, pois a luta é tremenda, zombaria, ameaças, nossa fé é colocada em prova em todos os momentos. Devemos estar atentos.

O que Noé ouviu de Deus era verdade. A chuva viria. Israel seria liberto do Egito, Davi assumiria o trono do reino, os judeus seriam livrados da morte certa em Susã, mas Deus permitiu um período de espera, preparação, de crescimento da fé, do conhecimento, da coragem, do caráter, para que valorizassem o agir de Deus. O mesmo acontece com a igreja do Senhor nos dias atuais.

Por: Ailton da Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário