Presidente Prudente (SP),

Apresentação da lição em power point

sábado, 1 de setembro de 2012

Mulheres: de Ló e Jó. Iguais em tudo.



“Meu Deus e meu Pai, graças te dou, pois me livrastes de tais”.

1) A MULHER DE LÓ:
Quando aquela mulher se condoeu da situação da sorte de Sodoma e Gomorra (Gn 19.24-25), ela deixou transparecer toda a intenção maligna que residia em seu coração. Na verdade ela não queria abandonar a cidade, seu circulo social e outros atrativos que estavam ao seu dispor, sem falar de seus bens.

Ela não entendeu a obra que Deus tinha na vida de sua família e para tal seria necessário sua atuação como esposa e mãe, uma verdadeira matriarca.

A sua atitude impensada, pois olhou para trás desejando a vida anterior (cfe Is 43.18), colocou em risco sua vida e de seu marido e principalmente a de suas filhas e de três futuras nações, Israel, Moabe e Amon (Gn 19.35-38).

a) Fogo de Deus (Gn 19.24).
O verdadeiro fogo de Deus caiu do céu para destruir Sodoma e Gomorra, bem diferente do fogo que caiu do céu para aniquilar o rebanho e servos de Jó (Jó 1.16), que certamente teve outra origem que não de Deus (cfe Jo 10.10).

O fogo que veio sobre Sodoma e Gomorra teve por função limpar o mal que existia naquelas terras enquanto que o fogo de Deus que caiu do céu (segundo relato do mensageiro) serviu para tomar as posses do patriarca Jó.

A mulher, que hoje está na vitrine em frente ao mar Morto, exposta para quem quiser conferir a veracidade da história, não atrapalhou a caminhada de Ló, mesmo que ele tenha se entristecido pelas perdas materiais, pois certamente não deu tempo para reunir seus bens e riquezas no momento da fuga (os anjos apressaram-no – Gn 19.15-16). Saiu sem nada e ficou sem mulher no meio da fuga. Quantas perdas.

Mas isto não foi capaz de abalar a estrutura do sobrinho de Abraão, ou foi? Em relação as filhas eu não me arriscaria a dizer o mesmo (cfe Gn 19.31).

2) A MULHER DE JÓ:
Da mesma forma esta mulher também presenciou seus bens, circulo de amizade e o orgulho pela vida que levava, caírem por terra de uma hora para outra, tal como a mulher de Ló. Assim como a primeira personagem esta também olhou para trás e elegeu o estado anterior muito mais benéfico e proveitoso do que aquele que estava vivendo.

Igualmente a primeira, a segunda também colocou em risco sua vida (2.29), “amaldiçoa Deus e morra”. Ora quem garante que não poderia ser ela a que estava prestes à morrer, devido a sua ousadia? Ela, sem dúvida nenhuma, deu um rasante, passou bem perto, fez por onde, pois antes de entristecer o marido, ela afrontou o Deus Todo Poderoso.

Talvez ela tenha pensado nisto ou não. O certo é que filhos para caírem nas mãos do Deus Vivo (Hb 10.31) ela não tinha mais. Quanto ao seu marido não havia mais nada que pudesse receber como “castigo”, segundo o entendimento dela.

A morte do marido seria um alívio para ambos, pois um ficaria livre do sofrimento e a outra parte ficara livre para outro relacionamento ou pelo menos para viver sua vidinha.

3) SEMELHANÇAS ENTRE OS HOMENS (LÓ E JÓ)
  • Possuíam bens e posses (Gn 13,7; Jó 1.1-3);
  • Famílias felizes e crescendo (Gn 19.14; Jó 1.1-5);
  • Ló tinha condições de vida agradável (cfe Gn 13.10), pois o lugar em que escolhera para habitar era como o “jardim do Senhor”. Jó era muito respeitado e tinha um padrão de vida elevado (Jó 1.3-4);
  • De uma hora para outra perderam e deixaram tudo para trás, pois não deu tempo para Ló recolher seus bens e riquezas, ainda mais com a pressa demonstrada pelos anjos para retirarem sua família daquele lugar (Gn 19.15-16), o mesmo aconteceu com Jó, que não pode fazer nada ante as mensagens que ouviu. Não deu tempo para salvar nada;
  • O fogo de Deus esteve presente na vida dos dois. No caso de Ló a origem foi realmente de Deus, mas no caso de Jó não.

4) SEMELHANÇAS ENTRE AS MULHERES (DE LÓ E JÓ):
  • Sentiram as perdas;
  • As duas olharam para trás (Gn 19.26; Jó 2.9), “amaldiçoa Deus que mudou o seu grupo social, pois agora ninguém mais te aplaude, eles cospem em teu rosto (cfe Jó 30.10);
  • Se o fogo do céu fosse interrompido em Sodoma e Gomorra, certamente a mulher de Ló não pensaria duas vezes para retornar para aquela cidade, tal como a mulher de Jó, que o ajudaria na vã tentativa de reerguer seu patrimônio;
  • Mas o plano de Deus não era este, no caso de Ló era necessário que prosseguissem avante, tal como no de Jó que deveria seguir em seu oficio de testemunho vivo da reviravolta e providências futuras de Deus. Certamente haveria espaço para que elas ajudassem seus maridos nesta nova empreitada;
  • Uma foi convertida em estátua de sal, enquanto que a outra se transformou em um zumbi, uma viva morta, que não foi capaz de estender a mão para ajudar o marido, pelo menos a se coçar;
  • Uma está até hoje como exemplo, forte, pujante, às margens do mar Morto, servindo como exemplo, enquanto que a outra desapareceu do cenário bíblico, alias não foi sequer mencionadas no rol de bênçãos recebidas por Jó.
“Mulher virtuosa, quem a achará? O seu valor muito excede ao de rubis”. (Pv 31.10).

Por: Ailton da Silva (18) 8132-1510

Nenhum comentário:

Postar um comentário