Apresentação da lição em power point

sábado, 3 de março de 2012

PROSPERIDADE: A MUDANÇA DA SITUAÇÃO DA TERRA E DO HOMEM.

1) A TERRA
a) Situação:
A Terra era sem forma e vazia, mas não estava condenada. Ainda havia esperança, porém não dependeria dela e tampouco do homem, caso já existisse. Então quem poderia fazer algo? Somente Deus pelos seus decretos diários teve condições de mudar aquela situação caótica, portanto a mudança para melhor (entenda-se mudança de situação, prosperidade) da Terra viria do céu e não dela própria.

b) Sinais da prosperidade (mudança de situação) da Terra, pois ela não continuou vazia, sem forma e em trevas:
• Luz;
• Separação entre as águas da terra e dos céus;
• Solo firme;
• Sol, lua, estrelas, calor e claridade;
• Fauna, flora;
• Por fim o homem.

Caso não ocorressem estas transformações, o que poderia favorecer a estadia do homem neste planeta?

2) O HOMEM/IGREJA:
Os apóstolos estavam reunidos, a espera da promessa (Lc 24.49), mas ainda não possuíam estrutura para fazerem algo além do que Jesus havia feito (Jo 14.12). Naquela situação não teriam condições de ganharem os confins da Terra.

Matias preencheu a vacância promovida por Judas (At 1.25-26), que havia perdido a parte naquele apostolado e ministério, mas que obra era aquela que ainda não possuía forma ou obreiros valorosos e qualificados? Eles já se consideravam igreja? Creio que estavam esperando o aval, o empurrão, a combustão, que logo chegaria.

a) Sinais da prosperidade do homem/igreja
A Terra recebeu elementos para melhorar o seu aspecto, o mesmo aconteceu com o homem/igreja, pois semelhantemente estavam sem forma, vazios e em trevas (At 1.14, cfe Gn 1.2).

• 2.1 – Som de um vento veemente e impetuoso encheu a casa (primeiro), depois encheu os apóstolos (At 1.4). O mesmo aconteceu com a Terra, que recebeu uma tão semelhante rajada de vento ao ouvir: “...Haja luz” (Gn 1.3);

• 2.4 – Depois os apóstolos foram cheios do Espírito Santo (todos). No segundo dia as águas que estavam abaixo e sobre a expansão foram separadas. O que fosse debaixo seria da terra e do alto seria do céu. De um lado ficaram os pentecostais, recém cheios do Espírito Santo e do outro, o restante da humanidade, não entendendo o que estava acontecendo. Deus separou um do outro;

• 2.14 – Pedro pôs se de pé e pregou a Palavra sólida, assim como, no terceiro dia, Deus separou a porção água da porção seca. Revelou o solo firme. Foi revelado ao mundo os futuros pregadores, missionários, pastores, ganhadores de almas e igualmente foi apresentado a Palavra, o nosso solo firme;

• 2.37 – As primeiras conversões surgiram tão logo a Palavra foi pregada, o mesmo aconteceu com as sementes das árvores frutíferas que foram produzidas tão logo surgiu a terra firme;

• 3.1-7 – Surgiram as primeiras curas, demonstração do poder de Deus, assim como foram criados os luminares na expansão para separarem dia e noite e para determinarem anos e estações. Aquela cura deu início a um novo tempo, uma nova história, um novo ministério, nunca visto antes entre os homens;

• 4.32 – Era um o coração da multidão. Produziram (At 5.12), deram testemunho (At 5.29), pregaram (At 5.42), geraram obreiros (At 6.17) e mesmo dispersos por todos os cantos (At 8.1) deram continuidade a obra. O mesmo ocorreu quando Deus ordenou que as águas produzissem abundantemente répteis de alma vivente e que nos céus fossem vistas as aves de asas. A ordem foi: frutifiquem, multipliquem e se espalhem pela Terra;

• 9.4 – De onde não se esperava veio o homem, do pó da terra (Gn 2.7), das mesmas condições em que Paulo se encontravam quando se levantou, após sua chamada, para dar inicio a obra missionária (At 13.3). O homem foi expulso do paraíso para viver em outro local que não o seu de criação. O apóstolo Paulo foi “tirado para fora, convocado” para sair dos seus costumes e conhecer os confins da Terra.

Caso não ocorressem estas transformações, o que poderia favorecer o trabalho da igreja primitiva?

Assim como os levitas não viravam as costas para o povo, ao receberam os dízimos (Nm 18.21-23), pois administravam e serviam no Tabernáculo/Templo, os apóstolos também trabalharam a favor do crescimento do reino de Deus.

No principio a Terra não oferecia condições de sobrevivência para o homem, houve necessidade de que Deus intervisse para mudar esta situação. Na igreja primitiva, se não fosse cheia do Espírito Santo, jamais teria alcançado os confins da Terra. Tornaram-se prósperas, para receberam o homem: a Terra e a igreja, ambas no seu início.

Por: Ailton da Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário