Presidente Prudente (SP),

Apresentação da lição em power point

sábado, 2 de julho de 2011

Reino de Deus ou reino dos homens

Ontem na aula (13) disse algo, depois fiquei pensando: O movimento pentecostal tomou direções que não é a direção estabelecida por Deus. Dei o exemplo de Berg e Vingren, que largaram tudo, nos EUA, possibilidades, ministérios já reconhecidos e aceitos para: virem neste país? Não sabiam ao menos o que encontrariam, índios, bichos, mato.

A pergunta que faço agora é: Que pensamento tiveram aqueles homens? Somente um, temos que fazer a vontade de Deus, vamos ao Pará. Não temos promessas de ajuda humana, perspectiva de organizarmos grandes trabalhos, somente vamos pregar a Palavra.

Creio que, guardada as devidas proporções, Deus olhou para o Brasil e não viu um justo sequer. Meu Deus!

O que fiquei pensando a noite e hoje de manhã foi nos planos que os missionários traçaram, vejamos: tiramos alguns crentes do ministério batista (reconhecido, estabelecido e aceito) e fundamos uma igreja, depois abrimos congregações espalhamos pelo país afora a mensagem, mas é claro, que devemos ter o retorno ($).

Graças a Deus que isto não aconteceu. A preocupação deles foi com a pregação da Palavra e com o ensino sistemático aos crentes novos que eram acrescentados pelo Senhor.

Outra pergunta que faço: Se fosse hoje, ano 2011, e os dois aqui no Brasil vendo trabalho crescer, certamente comprariam redes de tv, rádio, jornais, imaginem a influência destes homens no cenário atual, convenções, Brasília, conchavos, "daqui ninguém me tira, somente saio morto", grandes impérios inatingíveis, etc.

O Reino é de Deus ou do homem? Para isto o homem enxerga longe, olhos de águia. Mas não é isto o que Deus quer dos verdadeiros adoradores.

Esta geração deve ser condenada por isto? Não, os discipulos agiram da mesma forma, se corromperam, desejaram algo que não suportariam (Mt 20"21-22).

"Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas" - MT 6"33

por: Ailton Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário