Presidente Prudente (SP),

Apresentação da lição em power point

domingo, 8 de janeiro de 2012

lição 2 - pós aula

1. Lutar contra seita é fácil, basta não irmos ao encontro dela, mas no caso da heresia é diferente, pois ela vem ao nosso encontro;

2. Quais as duas únicas formas do homem alcançar a prosperidade? Trabalho e favor de Deus. Se apresentarem outra a considere anátema;

3. O rei Acabe já se considerava um homem bem sucedido, com riquezas e para que desejou a vinha de Nabote? Somente para aumentar o seu quintal (I Rs 21.1-2)? Quanto mais tem, mais quer?

4. Qual a atitude do justo quando ouve o “não de Deus”? Dobrar-se para clamar pela misericórdia;

5. A única igreja que se achava rica, abastada era justamente a que era pobre, cega, miserável e nua (Ap 3.17);

6. Qual seria a nossa reação diante de Jó? Também o acusaríamos? Ou ainda o consideraríamos um homem próspero, mesmo diante da situação?

7. Conheci um pastor em Prudente que um dia me disse: “morei em um lugar que era tipo de um galinheiro, sofri, perdi tudo na vida, alguns no ministério me acusaram de estar em pecado, mas quando a prova passou Deus me restituiu tudo”;

8. Testemunho de um dos alunos: sitiante, certa vez perdeu muitas cabeças de gado e um de seus irmãos disse a ele: “Confessa o teu pecado para a sua situação mudar”. E era o próprio irmão;

9. Alguns reis de Judá foram (mais ou menos), promoveram concertos, resgataram festa, a Lei e outros de Israel (a maioria fora da direção de Deus), estes reis foram bem sucedidos, mas de prosperidade não tinham nada. Eliseu disse isto ao rei Jorão, filho de Acabe (II Rs 3.14);

10. A situação de Jó foi capaz de corromper o seu coração? Atingiu a sua integridade e espiritualidade? Não, tanto que ele não amaldiçoou a Deus conforme conselho de sua mulher;

11. Jó ficou sozinho na luta, sumiram todos. Somente alguns “amigos” apareceram depois, respeitaram a tradição, ficaram ao lado em silêncio, pois eram zelosos, mas depois que passaram os 7 dias eles (Jó 2.13) ascusaram-no;

12. O sol nasce para todos, ricos, pobres, fiéis, infiéis, mas a enchente também. Eu sempre, nas EBD, dava exemplo disto falando que no caso de uma calamidade todos sofrem, o que poderia acontecer era, pela oração, ser preservado alguma coisa. Exemplo: os tsunames e enchentes não arrasam as casas também dos crentes? O ano passado, durante a tragédia nas regiões serranas, creio que do Rio de Janeiro, um homem teve a sua casa rodeada pelas águas da enxurrada, elas se dividiram, pois a residência ficava em uma pequena elevação. Se fosse um afastado, certamente deve ter voltado e se não conhecia a Palavra creio que alguém foi pregar para ele;

13. Homens comuns que desejam assumir a natureza divina e não suportam um tapa na cara;

14. Em alguma época Israel deve ter falado: “nós somos o povo escolhido, abençoado, não existe pobres entre nós, doenças do Egito. A nossa cidade nunca será vencida ou destruída”. Doce ilusão;

15. Todos leprosos eram pobres? Ou todos eram ricos? A lepra não escolhia condição social, que nos diga o rei Uzias;

16. Pela nossa cultura aproveitamos tudo, no momento da colheita, mas a tradição judaica previa diferente. Caiu no chão não é do dono. Os pobres e estrangeiros seriam saciados com aquilo. Se tornaria maldição caso o dono recolhesse. OS POBRES CONHECIAM A LEI, não precisa divulgar na tv. Eles já estão esperando na cerca. Assim que a colheita nesta propriedade terminasse eles iriam para outros lugares, pois a colheita não cessa;

17. Atenção! O que respingar no chão não será do dono, mas sim do pobre e necessitado. Então não era para mim a bênção? Estou há tanto tempo buscando, louvando, orando e nada acontece comigo. Volte para a propriedade e “rebusca”;

18. A mulher cananéia é um bom exemplo: Viu o senhor sentado na mesa com os filhos, banqueteando e sabia que poderia aproveitar as migalhas que “caiam” no chão, da mesma forma como estavam na colheita o proprietário com os filhos e empregados em um grande banquete, mas as migalhas sempre caiam;

19. Se Jesus pregasse para Israel apenas recitando esta parte da Lei (a rebusca) certamente eles não dariam crédito, foi preciso uma didática diferente, para que aprendessem, por isto usou aquele mulher em seu ensino;

20. Que benção de Deus? Trocou de carro? Sim, troco todo ano, meu emprego me dá esta segurança. Este tipo de prosperidade é resultado do trabalho. A outra forma será pelo favor Divino, neste caso o salário será um mero coadjuvante;

21. A fazenda (riqueza) maior chama um número maior de pessoas para comerem em sua mesa?

22. Testemunho de uma das irmãs: um conhecido estava com a mãe com câncer terminal, ele chorava e ela sorria;

23. Eu mesmo testemunhei em um quarto de hospital: a mulher sem pulmão, alegre, pedindo para que parassem de chorar, pois ela estava ansiosa por se encontrar com Jesus. Somente pediu para que todos seguissem o seu passo;

24. Como é possível a doença ao mesmo tempo endurecer um coração e amolecer outro? Paradoxo. O sol que amolece a lama asfáltica é o mesmo que endurece o vasinho feito de argila, que nossos filhos fazem quando pegam aquela laminhas a beira dos córregos;

25. Bastava morrer o juiz para que Israel tornasse a fazer o que era mal aos olhos do Senhor;

26. Tem muitos ministérios buscando as bênçãos de Deus na marra, na raça, no laço, confiando nas suas habilidades, pois as janelas do céu estão fechadas;

27. Citação de um dos alunos; Jacó antes do reencontro com Esaú dividiu seu povo. À frente ficaram as servas e os filhos, no meio Leia e os filhos e ao final Raquel e seus filhos (a que ele mais amava ficou por último). Ele havia mudado. Já tinha todas as bênçãos materiais e queria uma do céu lá no vau de Jaboque e foi fácil de conquistá-la. Teríamos a coragem e disposição dele?

28. Todos os patriarcas foram bem sucedidos. Não morreram por doenças ou fatalidade e não sofreram com seus inimigos. Todos foram enterrados pelos seus filhos, exceto Moisés (Dt 34.5-6);

29. Ah! Se o rei Ezequias decretasse: “Eu morro, mas não hoje e tampouco desta doença”. Adiantaria algo? Mudaria os desígnos de Deus? Ele se virou para o lado e disse: “MISERICÓRDIA”

30. José se condoeu da situação de seus irmãos quando eles desceram no Egito para comprarem comida, pois aquela situação (fome) ele conhecia muito bem, já havia passado por tudo aquilo;

31. Fiz esta citação na aula: “estava ensinando sobre isto numa igreja quando um irmão me disse que pediu uma esposa ao Senhor, tomando todo o cuidado de especificar suas preferências ao orar. Pediu alta, veio baixa, pediu loira, veio morena, tudo ao contrário. O melhor de tudo é que o irmão está muito feliz com a esposa que o Senhor lhe deu” (Super crentes. Paulo Romeiro, p. 36).

Por: Ailton da Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário