Apresentação da lição em power point

domingo, 22 de janeiro de 2012

Isto diz tudo!

Na íntegra: 

Teologia da Prosperidade e neopentecostalismo de A a Z...

Embora o tema já tenha sido explorado em outros blogs, deixo aqui a minha versão para esse mal que nos causa aversão e tem contaminado as igrejas pelo mundo afora. Senhoras e Senhores: apresento-lhes a Teologia da Prosperidade e o neopentecostalismo de A a Z:

Apóstolo: é aquele que, cansado de ser pastor, se intitula bispo e, cansado de ser bispo, quer ser chamado por esse título (por vezes, auto-auferido). Seu próximo passo na hierarquia eclesiástica é receber o epíteto de vice-Deus.
Bênção: aquilo que, supostamente, se pode comprar mediante a entrega de determinada quantia num envelope. Mas, atenção: o simples fato de entregar o envelope não traz a garantia da bênção. Pode ser que, por falta de fé de sua parte, você não receba.

Crentes: ou clientes. Consumidores em potencial.

deus: ser autômato para quem você “exige”, “determina”, e ele tem que obedecer. Não se trata do Deus Todo-Poderoso dos cristãos.

Evangelho: mero pano de fundo para a difusão de doutrinas espúrias e exploração da fé.
Fé: sentimento que leva o fiel a colocar R$ 1000,00 num envelope e entregar ao “homem de deus”.

Graça: esqueça!!! Nada nesse mundo é de graça.

Hermenêutica: a arte de distorcer textos bíblicos.

Igreja: hipermercado da fé. Quanto maior a oferta, maior a promessa de bênção.

Jesus: personagem bíblico que, de vez em quando, é citado com correção. Bem de vez em quando... Raramente, eu diria...

K. H.: as iniciais do papai. - esta foi a melhor!

Lavagem cerebral: destruição da capacidade dos fiéis de fazer juízos racionais, de maneira a transformá-los em escravos da liderança.

Mamom: o único deus.

Novo Testamento: é até interessante. Mas o Antigo tem nomes melhores para campanhas: “Campanha Fé de Abraão”, “Jejum de Gideão”, “Fogueira Santa do Monte Sinai”, “As sete semanas do manto de Elias”, “Jejum de Calebe”, e por aí vai.

Oferta: a palavra-chave do culto. É através dela que você move o coração de “d”eus.

Pastor: alguém que possui apurada lábia e é profundo conhecedor de técnicas de venda. Não é necessário que conheça muito a Bíblia. Também conhecido como animador de auditório, sabe anunciar produtos diversos como ninguém. É um apóstolo em potencial.

Queimar: é o que fazem com os pedidos de oração. Talvez porque acreditem que, se não queimar, o pedido não vai ser atendido.

Rhema: “determine” a vitória e “tome posse”. Afinal, você tudo pode através de sua confissão positiva.

Salvação: casamento, casa nova e carro do ano.

Tempo templo: é dinheiro.

Ungido: classe “especial” de pessoas em quem não se deve tocar e que não se deve corrigir ou criticar, por mais que estejam errados. Afinal, “ai daquele que tocar nos meus ungidos”. Aliás, esse é o versículo preferido deles (I Cr 16.22), usado fora de contexto para colocar medo nos fiéis.

Vida eterna: algo com o que não se deve ter preocupação. Importa é o “aqui” e o “agora”.

What is it?: It´s a embromation.

Xô!: interjeição utilizada para espantar a miséria.

Yes, we can!: nada a ver com Barack Obama. Para os adeptos da Teologia da Prosperidade: Sim, nós podemos tudo! Temos poder em nossas palavras! enfim... (continua na letra Z)

Zoe: Você é um pequeno-deus andando sobre a Terra, assim como Jesus o foi (dizem eles). Afinal, a própria vida de Deus está em você!

Não caia nesse engodo. Abrace o verdadeiro Evangelho de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. O Evangelho da cruz. Sem misturas.

Soli Deo Gloria - Alessandro Cristian

Fonte: http://www.alessandrocristian.blogspot.com/2009/11/teologia-da-prosperidade-e.html#comment-form

Por: Ailton da Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário