Apresentação da lição em power point

domingo, 14 de julho de 2013

Pós aula - lição 2

O TÚNEL
Pregar “de qualquer maneira”: Paulo cavou um túnel na prisão e saia todas as noite para pregar nos porões e cavernas de Roma. Depois voltava com a benção (abençoado pela igreja) e tapava a entrada do túnel. Bom enredo para um filme.

Paulo poderia ter recebido um companheiro de cela: “tomara que seja um gentio descrente para que eu pregue a ele ou então que seja um gentio ou judeu crente para que nos alegremos neste lugar”. Já imaginaram se fosse um murmurador, reclamador?

O AMOR PELOS GENTIOS – O AMOR PELOS CRENTES
Esperar? Desligar-se ou reiniciar? Nenhuma destas opções foi acionada por Paulo.

O amor pelas almas dos gentios era muito grande, tal como o nosso pelos crentes.

Paulo poderia produzir mais em prisões? Talvez em liberdade a qualidade do resultado não tenha sido tão notória.

Paulo perdeu a voz: não manda mais, não tinha autoridade. Perdeu a visão: não conseguia acusar ou denunciar os cristãos para que fossem presos.

A TECNOLOGIA DA ÉPOCA
A única tecnologia disponível para Paulo fazer uso na época era a tinta e a pena, nada mais.

HOMEM PRESO E EVANGELHO LIVRE X HOMEM LIVRE E EVANGELHO PRESO:
Paulo não era bobo, sabia o que estava acontecendo, sabia que tudo era permissão de Deus, era para o crescimento e que tudo cooperava para o bem daqueles que são chamados.

Quem esteve preso foi Paulo e não o Evangelho. Um livre e o outro preso. Um foi seguro pelas grades, mas o outro não poderia ser contido, pois era puro poder de Deus. As vezes invertemos esta ordem: prendemos o Evangelho e soltamos o homem.

Nós, igreja moderna, não compreendemos alguns conceitos da igreja primitiva, não temos a mesma estrutura e não estamos preparados para enfrentarmos o que eles enfrentaram por amor ao Evangelho.

Paulo nunca usou as prisões como desculpas para justificar, ao contrario, pois mesmo em situações adversas, ele não parou.

Também nunca acusou o Maligno pelas suas prisões, nunca deu credito e ibope para ele, como costumamos fazer: “o Maligno é sujo, está irado” e blá, blá, blá.

Por falar em ibope, o julgamento de Paulo e sua posterior execução seriam muitos concorridos, acredito que existiria muitos que daria o que não tinha para assisti-los,

As vezes, muitos aprendem com os nossos problemas e não percebemos, pois pensamos que ensinaremos assim que sairmos de tais situações, quando recebermos as bênçãos, com os nossos testemunhos estruturemos a muitos, mas nos enganamos, já que estamos ensinando durante as nossas adversidades.

O SOCO E O NOCAUTE DE DEUS:
Quando ele viu Estevão pregando, sentiu desejo de ter a mesma sabedoria, ficou desnorteado, pois como aquele simples cidadão tinha o mesmo conhecimento que ele, quantos anos aos pés de Gamaliel. Ficou tontinho, só mais um empurrãozinho e  o valentão caia por terra.

O nocaute se deu à caminho de Damasco. Um direto de esquerda. O homem desmoronou, caiu por terra, foi na lona. 

Por: Ailton da Silva - Ano IV

Nenhum comentário:

Postar um comentário