Presidente Prudente (SP),

Apresentação da lição em power point

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Pós aula - lição 6

PAULO, UM HOMEM ORGULHOSO E FELIZ PELO RESULTADO DE SEU TRABALHO. NÃO FOI EM VÃO
Pensa em um homem orgulhoso (feliz pelo resultado de seu trabalho, que não havia sido em vão – Fp 2.16).

Ficou feliz quando viu seu filho na fé se dirigindo a Filipos para cumprir suas ordens.

Ficou mais feliz quando viu o crescimento de Epafrodito.

Ficou ainda mais feliz quando viu os dois obreiros enviados dando conta do recado, afinal, ele tinha um “quezinho” (sic) especial pela igreja de Filipos.


EPAFRODITO E TIMÓTEO
Epafrodito foi, viu, gostou, aprendeu e depois colocou em prática.

Amor a primeira vista: Epafrodito amou o estilo de trabalho de Paulo. Imagino ele dizendo: “Eu não sou crente, não conheço nada, nunca fiz nada para Deus, como este homem”. Que exemplo de obreiro Epafrodito viu.

Tristeza sobre tristeza – tristeza de Paulo pela enfermidade de Epafrodtio.


PAULO PENSAVA NO FUTURO
Paulo pensava no futuro da igreja. Obreiros tinham aos montes, mas de confiança eram poucos. Quantos pastores não se preocupam com o futuro da igreja?

Certa feita visitei uma igreja e fiquei espantado pois não vi o pastor. Após o culto perguntei e um irmão me respondeu desta forma: “O nosso pastor morreu e não preparou ninguém. Nos reunimos aqui e administramos o templo. Não vamos entregar o trabalho para os “renovados”, não vamos nos misturar com eles”.

Paulo “botou” a mão no fogo por Timóteo e Epafrodito.


O DILEMA DE PAULO: CIRCUNCISÃO OU FUTURO?
Paulo investiu em Timóteo certo de que teria o retorno. Ele sacrificou um conceito que defendeu dias antes de conhecer o jovem obreiro (a circuncisão – At 15).

Paulo preferiu enfrentar os murmuradores. Ele não mudou de ideia quanto a circuncisão, apenas não queria perder o grande obreiro. Ele dizia no seu coração: “Este menino tem futuro”.


EXEMPLO DE BONS OBREIROS
José e Paulo foram para o Egito e Roma respectivamente para servirem e não para ficarem ricos.

José viu seus irmãos trabalhando e teve ânsia de vomito. Murmuradores, invejosos e possíveis assassinos, creio que ele disse como Paulo: “O morrer para mim é ganho”. Anos mais tarde Benjamim viu José trabalhando no Egito e pensou: “quando eu crescer quero ser igual a ele, que exemplo de homem e obreiro”.

Nós temos que ser “esperto” com Deus. Ele sempre coloca à prova os obreiros e as vezes estas provas são tão simples (Jz 7.5). “aqueles que lamberem a água como cão”. Que simplicidade para aprovar obreiros.

Decisão com razão (dureza de coração). Decisão com emoção (meninice).

Maus obreiros aparecem principalmente no ano eleitoral, depois somem novamente.

Por: Ailton da Silva - Ano IV - caminhando para o ano V

Nenhum comentário:

Postar um comentário