segunda-feira, 18 de outubro de 2021

Escatologia - aula 4

V – SEQUÊNCIA DE EVENTOS ESCATOLÓGICOS

1) SINAIS PRECURSORES DA VINDA DE JESUS (EM DUAS FASES)

  • Surgimento de falsos profetas;
  • Fome, guerras, terremotos;
  • Maior perseguição e desobediência à Palavra;
  • Desobediência na relação familiar; aumento da crueldade, do orgulho, da ganância, da traição (Mt 10.21; 24.4-11; 1 Tm 4.1; 2 Tm 3.1-9; 4.3-4; 2 Pe 2.1-3; 2 Pe 3.3-5; Jo 15.19-20; At 14.22).

 

2) ARREBATAMENTO (PRIMEIRA FASE DA VINDA DE JESUS)

  • A segunda vinda de Cristo se manifestará em duas fases, primeiramente com o arrebatamento da Igreja, momento em que os crentes vivos e mortos serão transladados até a presença de Jesus nos ares (1 Ts 4.13-18; 1 Co 15.51-52); A segunda fase da segunda vinda diz respeito à manifestação física e pessoal e Jesus, acompanhado dos seus santos e anjos (At 1.7; Mt 24.36; Mc 13.32);
  • O arrebatamento é um mistério só plenamente compreendido quando ocorrer (1 Co 15.51). Ele será um evento inicial de uma série, abrangendo a Igreja, Israel e as nações em geral.

 

3) TRIBUNAL DE CRISTO

  • Será o julgamento das obras dos crentes arrebatados. Neste julgamento não estará em questão a salvação, mas sim o galardão pelas obras (Mt 5.11-12; 25; Jo 5.22; Rm 14.12; 1 Co 3.12-15;9.25-27; 2 Co 5.10; Gl 6.8-10; Cl 3.23-25; Hb 6.10; Ap 2.26-28);
  • O Tribunal de Cristo ocorrerá imediatamente após o arrebatamento da Igreja e será fora da esfera terrestre (Lc 14.14, 1 Ts 4.13-17);
  • Quando Jesus retornar à Terra para reinar, a noiva já estará recompensada (Ap 19.8) e galardoada;
  • O exame das obras será conduzido diante da presença de Jesus (Jo 5.22; Rm 14.10);
  • Serão galardoados os que ganharam almas (1 Ts 2.19), os que suportaram a provação (Tg 1.12), os que amaram a vinda de Jesus (2 Tm 4.8) e os que se dispuseram a apascentar o rebanho de Deus (1 Pe 5.4).

 

4) BODAS DO CORDEIRO

  • Será o encontro esperado entre a Igreja e Jesus, a Noiva e o Noivo (Jo 3.29; Rm 7.4; 2 Co 11.2; Ef 5.25- 33; Ap 19.7-8; 21.2). Bem aventurados serão os que forem chamados para esta ceia (Ap 19.7-9);
  • Acontecerá entre o arrebatamento e a segunda fase da segunda vinda de Jesus;
  • No período das bodas, a Terra estará enfrentando o período de Tribulação e Grande Tribulação (7 anos);
  • As Bodas devem ocorrer nos céus. Nenhum outro local seria adequado (Fp 3.20);
  • A ceia das Bodas do Cordeiro foi confirmada e prometida por Jesus, enquanto celebrava a ceia com os seus discípulos (Lc 22.15-18; Mt 26.29; Lc 22.29-30);
  • Nos assentaremos à mesa com o Senhor (Mt 8.11), e Ele próprio nos servirá (Lc 12.37).

 

5) A TRIBULAÇÃO – MANIFESTAÇÃO DO ANTICRISTO

  • Alguns eventos antecederão o período da Grande Tribulação, serão grandes sinais e maravilhas realizadas pela trindade satânica. Haverá considerável aumento da apostasia;
  • O Anticristo se manifestará logo no inicio da tribulação, como uma pessoa inteligente, carismática, um grande líder mundial (2 Ts 2.3-9; 1 Jo 2.18; Ap 13.1-10);
  • Neste período o Anticristo fará uma aliança com muitos, várias nações, dentre eles os judeus (Dn 9.27);
  • No inicio deste pacto surgirão as duas testemunhas, (Ap 11.2-14), que profetizarão durante a primeira metade da Grande Tribulação, que é a duração do pacto de paz. Com o rompimento do pacto, as duas testemunhas serão mortas e o Anticristo desencadeará uma guerra contra os judeus;
  • Será um tempo de paz, porém uma falsa paz (Ap 6.2; Ts 5.3), pois o Anticristo com sua demagogia atrairá para si multidões (Dn 7.8; Ap 13.7-8) para estabelecer um governo centralizado no mundo. Ao final dos três anos e meio, o Anticristo rompe com o pacto e passa a mostrar sua hostilidade diabólica.

 

6) A GRANDE TRIBULAÇÃO

  • Este período é conhecido como a septuagésima semana da profecia de Daniel, que ainda está para se cumprir. Estas semanas de Daniel são de anos e não de dias (Gn 29.27; Lv 25.8).
  • Com o rompimento do pacto com Israel (Dn 9.27), o Anticristo, ferido de morte, será curado pelo falso profeta que se projetará no cenário mundial como autoridade religiosa (Ap 23.3-5,12,13);
  • Será um momento de grande perseguição aos que permanecerem fiéis (Dn 12.10; Ap 6.9-11; 20.4). Nesse tempo o povo judeu será massacrado (Ap 13.7; 14-18; Dn 12.11; Mt 24.15);
  • Será um tempo de aflição sem medida. As manifestações demoníacas alcançarão o grau máximo. Deus continuará derramando seus juízos sobre a terra (Ap 9.1-21; 16.1-21);
  • O mundo estará sob o domínio da trindade satânica, o dragão, o Anticristo e o falso profeta (Ap 12.9-12; Dn 7.7-8; Ap 13.1-2; 11-13; 16.13);
  • A Grande Tribulação terá por propósito inicial preparar a nação de Israel para o Messias, a hora da angústia de Jacó, um período de extremo sofrimento para os judeus (Dt 4.30; Jr 30.7; Ez 20.37; Dn 12.1; Zc 13.8-9; Mt 24.9-26; Ap 7.4-8; 12.1,2,17). Será o momento da conversão em massa dos judeus para entrarem no Milênio;
  • O segundo proposito da Grande Tribulação é tornar conhecido o tratamento de Deus com as nações gentias rebeldes;
  • Nesse período o Espírito Santo não estará residindo na Terra e inversamente do que ocorreu no dia de Pentecostes, Ele se retirará de cena para que o mal seja manifesto (2 Ts 2.7-8);
  • A salvação durante este período será conforme o ocorrido com os heróis da fé (Hb 11.1-40).

 

7) A BATALHA DO ARMAGEDON

  • As nações se levantarão contra Israel (Ap 16.14-16; Zc 12.3), mesmo assim os judeus lutarão heroicamente (Zc 14.14), mas quando estiverem a ponto de serem derrotados haverá um sinal no céu e Jesus aparecerá (Ap 24.30) da mesma forma como subiu ao céu (At 1.7);
  • Jesus de forma visível e triunfará sobre o Anticristo e seus exércitos;
  • Jesus virá com os crentes, os anjos e os santos da tribulação e Satanás será preso por mil anos (Zc 12.10; 14.3-7; Ap 20.2; 19.11-21);
  • Jesus pisará o monte das Oliveiras (Zc 14.4) e estará acompanhado da Igreja (Zc 14.5; Jd 14) e todo olho o verá (Ap 1.7);
  • As nações lideradas pelo anticristo, a besta, tentarão guerrear contra Jesus (Ap 19.19; Sl 2.1-5), mas serão vencidas pela espada da boca de Jesus (Ap 19.21).

 

8) O JULGAMENTO DAS NAÇÕES

  • Neste julgamento serão selecionados os povos que participarão do Milênio (Dn 7.9- 14,22; Jl 3.2,11,12,14; Mt 25.31-46 Ap 11.15).
  • Será julgada a maneira como estas nações se portaram perante Israel (Mt 10.6; Jo 1.11; Rm 9.), diante do pacto feito entre Deus e Abraão. “...abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei aos que te amaldiçoarem” (Gn 12.1-3);

 

9) O MILÊNIO

  • Será um período de mil anos sob o reinado de Jesus (Ap 20.4; 2 Tm 2.17; Rm 8.17), enquanto que o Maligno estará aprisionado;
  • No Milênio os propósitos de Deus para Israel serão totalmente realizados na Terra (Ez 11.18-20; 16.60-63; 37.26; Rm 11.26-29);
  • Haverá reprodução, pois os que entrarem no milênio terão filhos durante o período. Os que nascerem no milênio também serão provados, para mostrar que a natureza humana continuará pecaminosa, logo a salvação será necessária (Jr 30.20; 31.29; Ez 47.22; Zc 10.8). Será o último teste pelo qual passará o homem;
  • O mundo será unificado sob o reinado de Cristo e será próspero (Is 2.4; 9.4-7; 11.6-9; 32.17-18; 33.5-6; 54.13; 55.12; 60.18; 65.25; 66.12; Ez 28.26; 34.25-28; Os 2.18; Mq 4.2-3; Zc 9.10);
  • Haverá plena alegria (Is 9.3-4; 12.3-6; 14.7-8; 25.8-9; 30.29; 42.1, 10-12; 52.9; 60.15; 61.7-10; 65.18-19; 66.10-14);
  • A santidade será manifesta por meio do Rei e de seus súditos (Is 1.26-27; 2.3-4; 29.18-23; 31.6-7; 31.8-9; 52.1);
  • Será um Reino glorioso (Is 24.23; 4.2; 35.2; 40.5; 60.1-9);
  • Jesus ministrará pessoalmente (Is 12.1-2; 29.22-23; 30.26; 40.1-2; 49.13; 51-3; 61.3-7; 66.13-14; Sf 3.18- 20; Zc 9.11-12; Ap 21.4);
  • A justiça será perfeita (Is 9.7; 11.5; 32.16; 42.1-4; 65.21-23; Jr 23.5; 31.23; 31.29-30);
  • Haverá pleno conhecimento (Is 11.1-2-9; 41.19-20; 54.13; Hc 2.14);
  • A maldição original colocada sobre a Criação (Gn 3.17-19) será eliminada. Animais nocivos perderão o veneno e a ferocidade (Is 11.6-9; 35.9; 65.25);
  • Doenças e até mesmo a morte, exceto como medida de castigo de pecado público, serão eliminadas (Is 33.24; Jr 30.17; Ez 34.26);
  • Haverá cura de toda a deformidade na instituição do milênio (Is 29.17-19; 35.3-6; 61.1-2; Jr 31.8; Mq 4.6-7; Sf 3.19);
  • Não haverá opressão social, política nem religiosa (Is 14.3-6; 42.6-7; 49.8-9; Zc 9.11-12);
  • Não haverá tragédias de corpos e mentes fracas e débeis (Is 65.20). A longevidade será restaurada;
  • Haverá um sistema econômico perfeito, uma sociedade plenamente produtiva, para suprir as necessidades (Is 62.8-9; 65.21-23; Jr 31.5; Ez 48.18-19);
  • Haverá aumento da luz solar e lunar nessa era (Is 4.5; 30.26; 60.19-20; Zc 2.5);
  • Não haverá barreiras por idiomas (Sf 3.9);
  • O mundo se unirá em adoração a Deus e ao Messias (Is 45.23; 52.1-7-10; 66.17-23; Zc 13.2; 14.16; 8.23; 9.7; Sf 3.9; Ap 5.9-14);
  • Haverá mortes durante o milênio (Is 65.20; Zc 14.17-19), pois a presença do pecado ainda estará entre a humanidade, porém com suas forças e consequências bem diminuídas devido a prisão do Maligno neste período (Ap 20.1-3) e pelo fato da morte ser o último inimigo a ser aniquilado (1 Co 15.23-26).

 

10) ÚLTIMA REVOLTA DO MALIGNO

  • Quando se completarem os mil anos, Satanás será solto da sua prisão, e sairá a enganar as nações a fim de ajuntá-las para a batalha. Mas descerá fogo do céu, e o consumirá. Então o Maligno será lançado no lago de fogo e enxofre, onde já estarão a besta e o falso profeta para serem atormentados para sempre (Ap 20.7-10).

 

11) JUÍZO FINAL

  • Os ímpios de todas as épocas ressuscitarão para serem julgados segundo suas obras (Ap 20.11-15). Ressuscitarão sem glória, em seus respectivos corpos e carregados de pecados;
  • Serão apresentados os livros da consciência (Rm 2.15; 9.1), da natureza (Jó 12.7-9; Rm 1.20; Sl 19.1-4), da Lei (Rm 2.12; 3.20), do Evangelho (Rm 2.16), da nossa memória (Lc 16.25; Mc 9.44; Jr 17.1), das ações (Ap 2.12; Mc 12.36; Lc 12.7; Ml 3.16), o livro da vida (Ap 20.12; Sl 69.28; Dn 12.1; Lc 10.20; Fp 4.3) e o livro dos livros, a Bíblia (Jo 12.48).

 

12) NOVOS CÉUS E NOVA TERRA

  • Então vi um novo céu e uma nova terra, pois já o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe (Ap 21.1);
  • As obras humanas serão consumidas (Hb 12.27; 2 Pe 3.10). O mesmo Deus que preservou a sarça para não ser consumida (Ex 3.2) e tornou imune ao fogo os três jovens hebreus (Dn 3.25), também preservará o povo salvo, saído do milênio (Is 51.16);
  • Os céus e Terra serão expurgados devido a contaminação ocorrida pelo pecado (Jó 15.15; Mt 13.4-19; Ec 10.20).

Fonte: Apostila Curso Básico de Teologia do SETEM – Seminário Teológico Manancial. Elaboração: Pb. Ailton da Silva

Por: Ailton da Silva - 12 anos (Ide por todo mundo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário