terça-feira, 19 de outubro de 2021

Os primogênitos: Deixa o meu ir, senão levo o seu. Capítulo 6

b) A despedida de Moisés

Moisés consciente do fim de seu ministério reuniu os hebreus e os instruiu a guardarem a Lei, pois não permitiria que ali mesmo, pertinho da vitória, pudessem se corromper. A sua preocupação com o futuro da nação era constante. Um líder nato, escolhido por Deus, honrou sua chamada e se deixou usar como um valiosíssimo instrumento.

Antes de morrer, Moisés abençoou cada uma das tribos de Israel (Dt 33.1-29). Até neste momento se mostrou obediente, pois sabia do encerramento do ciclo de sua vida (Dt 32.48-52), quem sabe não pensou em clamar a Deus para que esta decisão fosse mudada.

Moisés subiu ao monte Nebo e dali avistou toda a Terra Prometida, pois não seria possível imaginarmos Deus não permitindo que, pelo menos, pudesse contemplar o fruto de seu trabalho. Ali no monte, solitário, o grande legislador vai se encontrar com o seu Deus.

 

c) O presente para o primogênito de Deus

Que alegria entre os hebreus quando conquistaram definitivamente as terras de Canaã. Era a promessa de Deus se cumprindo na vida deles, mas o melhor viria com o tempo, pois receberam como brinde o descanso em relação aos inimigos, que foram surpreendidos e vencidos (Js 21.43-45).

Que visão maravilhosa quando contemplavam aquelas terras. O cumprimento das palavras recebidas por Abraão. Cada tribo recebendo sua herança, felizes da vida. Agora serviriam a Deus e cumpririam sua missão como povo e propriedade exclusiva de Deus (Ex 19.5).

Israel conheceu a verdadeira alegria justamente em pleno deserto, quando peregrinava, nas batalhas diárias com seus inimigos, quando viam a mão de Deus estendidas sobre todos. A cada vitória se sentiam propriedade exclusiva de Deus.

Em Canaã houve muita ilusão e engano, pois alguns de seus inimigos foram preservados. Era momento de vigilância e não de demonstrarem a alegria superficial. Os hebreus não entenderam desta forma e foram enganados. 


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ANDRADE, Claudionor Corrêa de. Geografia Bíblica. Rio de Janeiro . CPAD, 1987. 

Bíblia de aplicação pessoal 

Bíblia Sagrada: Nova tradução na linguagem de hoje. Barueri (SP). Sociedade Bíblica do Brasil, 2000. 

Como deixar de ser filho da filha de faraó. Disponível em: http://coraoquepulsa.blogspot.com/2011/08/como-deixar-de-ser-filho-da-filha-de.html. Acesso em 01 set. 2011. 

COPE, Landa L. Modelo Social do Antigo Testamento: redescobrindo princípios de Deus para discipular as nações. Traduzido por: Andréa Aparício Ribeiro. Almirante Tamandaré JMÍ. Gráfica & Editora Jocum Brasil, 2007. 

CRUZUÉ, João. As quatro propostas de Faraó.  Disponível em: http://olharcristao.blogspot.com/2008/11/quatro-propostas-farao.html. acesso em 15 set. 2011. 

GRENZER, Matthias. Do clã de Jacó ao povo de Israel (Ex 1,1-7). Disponível em: http://revistas.pucsp.br/index.php/culturateo/article/view/15573. Acesso em 03 de agosto de 2014. 

HENRY, Matthew. Comentário Bíblico do Antigo Testamento - vol 1 - Gênesis a Neemias. 

História do povo judeu. Faculdade de teologia Hokemah. São Luís, 2004. 

JOSEFO, Flávio. A história dos hebreus de Abraão a queda de Jerusalém. Traduzido por Vicente Pedroso 

MACEDO, Edir. A fé de Abraão. Rio de Janeiro. Editora Universal, 2001. 

MACKINTOSH, C. H. Estudos sobre o livro de Exodo. 

OLIVEIRA, Admilson. Piedade e a fé de seus pais. Disponível em: http://ministerioemfoco.blogspot.com/2011/07/moises-piedade-e-fe-do-seus-pais.html. Acesso em: 01 de ago. 2011. 

Schultz, Samuel J. A história de Israel no antigo testamento. 

Silva, Antônio Gilberto da. A Bíblia através dos séculos: uma introdução. Rio de Janeiro. Casa Publicadora das Assembleias de Deus, 1986.

Por: Ailton da Silva - 12 anos (Ide por todo mundo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário