Apresentação da lição em power point

domingo, 15 de abril de 2012

lição 3 - pós aula

1. quem poderia chegar em Éfeso e dizer: “Vocês estão no caminho errado. Mudem de igreja, venha para as nossas. Os seus pastores estão ensinando errado. Vocês estão fora da direção de Deus”;

2. Será que na igreja de Éfeso ouvíamos algo do tipo? “Deus mandou dizer, isto é de Deus. Deus manda dizer eu digo, oh glória! Cutuca o seu irmão, diz ai para ele, cutuca”. E com isto o tempo vai passando e nada de mensagem;

3. por isto que aquelas cartas não foram enviadas somente para elas ou por acaso não estamos enfrentando os mesmos problemas;

4. A mensagem enviada para Éfeso cabe tão bem na nossa era atual! Enquanto está no elogio tudo bem, mas a partir do momento que Deus coloca o dedo na nossa ferida, sai de baixo;

5. paralelo entre a cidade e igreja: será que havia liberdade em Éfeso? Era fácil pregar entre os efésios? A educação e a filosofia greco-romana pedia pregadores e ensinadores à altura e até mais gabaritados? Em outras palavras, o ensinador e o discipulador deveria estar muito bem preparado;

6. se sentarmos com alguns membros de outras igrejas, certamente ficaremos de boca aberta, devido ao preparo, mas em outros casos (ministérios que não prezam pelo genuíno estudo, QUE TOLERAM E ACEITAM QUALQUER COISA) sairemos felizes com o nosso desempenho na Palavra;

7. pregar para uma pessoa do nosso nível cultural, é fácil, mas pregar para uma pessoa de um nível intelectual mais adiantado. Apesar que é bem raro ou ainda acontece?

8. podemos até mesmo encontrar alguns que desejam conhecer a Palavra, que nos interrogam, mas cuidado, a intenção dele é avaliar o nosso conhecimento para depois desestimular a nossa fé. E aqueles que não estão preparados viram presas fáceis. Exemplo disto foi Paulo quanto estava pregando entre os gregos no Areópago (At 17.32), mas eles não puderam nada contra o missionário;

9. pregar em Éfeso o básico, tipo 1+1=2 não servia, pois eles viriam com raiz quadrada, equações e inequações de todos os graus, logarítimo etc, por isto que a igreja foi bem preparada teologicamente pelos seus dirigentes, por aquela gama selecionadíssima de obreiros;

10. o mundo passava por Éfeso e deixava cada qual um pouco do seu lixo;

11. como foi fácil para os apóstolos pregarem entre os judeus, mesma língua, mesma esperança, mesmos pais, mesma literatura, mas quando alcançaram os confins da terra, os povos não conheciam nada da história judaica. Neste momento entrou em cena um doutor, um homem doutorado em amor aos gentios;

12. ah, se aparecessem homens em Éfeso dizendo: “eu sou apostolo, eu andei com Jesus”. A igreja o colocaria a prova facilmente (At 1.22). “Conta-nos algo sobre as multiplicações dos pães. Você também viu Ele andando sobre as águas? Você viu o paralítico descendo de elevador do telhado para ser curado? Você viu ele entrando pelo telhado e saindo pela porta da frente? Você viu Zaqueu, é verdade que ele ficou “30 dias” na figueira esperando para ver Jesus? É verdade que ninguém reparou nele? Você esteve no batismo, morte, ressurreição e ascensão?

13. no dia da escolha do substituto de Judas será que os candidatos fizeram fila? Depois que Pedro apresentou os requisitos (At 1.22), diminuiu o número. E se ele tivesse falado que um apóstolo deveria sofrer pelo Evangelho, por amor à causa e que não era somente para viajar pelos confins da terra, então ficaram somente 2;

14. nas reuniões da igreja primitiva quando era dada oportunidade para alguns dos apóstolos testemunharem, todos paravam e ficavam ouvindo, meu Deus que testemunhos foram estes? Valia a pena sentar e ouvir;

15. quando Paulo apresentou o batismo com o Espírito Santo ele logo incentivou a igreja a buscar, na certeza que receberiam;

16. conversão com confissão publica (At 19.18), é uma chamada forte, que demonstração do poder de Deus? Quantos de nós, por este Brasil afora fizeram isto. “Não importam o que pensam, digam, a partir de agora, SOU CRENTE”;

17. o comercio idólatra foi abalado pela pregação do Evangelho, a cidade ficou alvoroçada, agora deveriam ter coragem para continuar na cidade pregando:

18. a igreja de Éfeso poderia ser conhecida como a igreja dos dedinhos, das plaquinhas (quando uma pessoa era condenada deveria carregar uma placa para que todos conhecessem o seu erro). Hoje temos muitos que carregam out-doors e não plaquinhas, outros são verdadeiros celeiros, depósitos, carregamentos e não pequeninos pés de joio, mas não podemos fazer nada, não podemos tirar, pois mesmo que aparentam, nós não sabemos o que fizeram na madrugada anterior? Não sabemos se houve arrependimento, clamor? Por isto é que não podemos mexer;

19. que geração de obreiros foi esta que ensinou a igreja de Éfeso;

20. estes dias eu procurei uma programação no radio, queria ouvir um testemunho para alimentar a fé, algo para estimular, corri todas as estações e cheguei a conclusão que era melhor desligar o radio e dormir;

21. o prazer dos perseguidores não era a morte e sim a tortura para que os cristãos negassem a fé;

22. qual perseguição é a pior: a do passado, a espada, a lança, os aparelhos visíveis ou a de hoje, que são armas invisíveis, sorrateiras, que também matam da mesma forma e são mais piores;

23. Jesus colocou o dedo na ferida de Éfeso. Quando isto acontece o homem fica bravo, a mulher fica nervosa, o jovem desvia, a criança fica birrenta. O problema não é a ação, mas sim a reação;

24. a igreja de Éfeso não estava na U.T.I., estava no corredor a espera da vaga. A qualquer momento poderia morrer;

25. Deus é tão perfeito que até mesmo o maná caia no meio do deserto embaladinho para cada família, alguns engraçadinhos tentavam pegar o pacotinho do outro;

26. primeiras praticas: antigamente vocês arrecadavam 5 kilos de mantimentos e entregavam para os necessitados. Hoje vocês arrecadam toneladas e ajudam muitos mais famílias, mas vocês chamam as tv, rádios, jornais para cobrir o evento. Qual prática demonstra mais amor;

27. para encerrar leiamos Hb 3.18 – oh glória!

28. desculpe eu errei, a referencia, a correta é Hb 3.17-18.

Por: Ailton da Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário