Apresentação da lição em power point

domingo, 1 de abril de 2012

Pós aula - lição 1

1. Uma carta escrita pelo Noivo à sua noiva, que deve ser entendida, mesmo que no início não entenda, mas certamente fará de tudo para compreender, pois ELA AMA O NOIVO, ou não ama?

2. Quem lê e não entende e tampouco procura conhecer a essência do livro, certamente não ama o Remetente; O mundo não conhece Jesus em Glória!

3. Gênesis é tão difícil de compreender quanto o Apocalipse. Êxodo também pode ser incluído nesta relação, pois encontramos registrados no ultimo livro muitos acontecimentos tão estranhos quanto aos dos 5 primeiros livros. Muitos fatos, relações e ações são difíceis de entendermos, no livro da criação, entre os quais (grifo meu) a criação do homem no último dia do processo e não no primeiro. Certamente se fosse no primeiro, jamais tentaríamos usurpar o trono do Altíssimo, pois veríamos as grandes obras de suas mãos;

4. A dificuldade do livro reside justamente nos símbolos e figuras, como associarmos e o que associarmos a ela. Como tentamos buscar na história, na geografia ou na atualidade fatos que muitas vezes não tem nada a ver. O Apocalipse é muito mais profundo que tudo isto: ONU, mercado comum europeu, mercado latino, presidentes de nações fechadas, ditaduras, moedas. Quantas mentes nervosas;

5. Seria difícil entendermos o Apocalipse caso ele fosse puramente números, equações, raiz quadrada, esse + aquele = é igual aquilo. Ai sim ele seria indecifrável;

6. Se o autor do Apocalipse tivesse sido Júlio Verne (1828-1905), estaríamos até hoje sem entendermos o livro. Todas as obras dele começavam ou sempre tinham um mistério que somente era revelado no final. Ainda bem que foi João, que já registrou tudo o que viu, sem omitir nada, aumentar ou diminuir;

7. Cartas a sete igrejas: o juízo de Deus começou pelo seu povo (I Pe 4.17), para depois atingir o mundo. Imaginam que começasse por eles? Seriam salvos e nós continuaremos no erro? Afinal as correções doutrinárias são para nós;

8. Quem tem muita dificuldade para entender e compreender o Apocalipse são os teólogos, teoristas e cientistas ou quem sabe até mesmo João teve alguma dificuldade, no início, para assimilar todas aquelas informações em sua mente;

9. Deus deseja que os homens entendam a revelação e não está nem um pouco preocupado com as nossas interpretações ou com as associações devido aos nossos problemas sócios econômicos, geográficos, étnicos, religiosos, etc. Isto não alterará o teor da revelação;

10. Como encontramos neste livro descrições inéditas do céu, do trono, de Jesus, de Deus. Os outros livros se calam, mas ele diz tudo. Revelação é revelação;

11. Deus não poderia deixar a sua igreja desprotegida diante da perseguição do império romano, mesmo com a mistura, paganismo, tolerância elas precisavam de socorro, consolo e concerto;

12. Onde podemos ver a beleza e o fascínio do livro de Apocalipse? 1.13-20; 16.22-31 e outros;

13. O mundo por si só já revela a sua situação, não há necessidade do livro;

14. Termos medo dos fatos apocalípticos é normal, aceitável, o que não podemos temer é o Livro, revelação de Deus para o homem. São situações bem diferentes;

15. Se o império, que considerou João como inimigo, soubesse que ele produziria muito mais em prisões, certamente o deixaria livre para pregar na igrejinhas da Ásia Menor;

16. Foi João que inventou tudo isto? Sonâmbulo, dorminhoco, solidão, sofrimento, tudo isto foi o combustível para as suas alucinações. Ora, ele disse que tudo foi revelação de Jesus Cristo ou ele disse: Revelações de João, que eu recebi (sequer estava buscando, pois quem em sã consciência poderia imaginar tais revelações);

17. Se João tivesse recebido a revelação ainda em liberdade, teria fundado um ministério: “Igreja das revelações divinas. Aqui o Espírito Santo não nos deixa mentir”;

18. Para falar de liberdade para as igrejas Deus escolheu justamente um homem que estava preso. Para receber a revelação não era preciso sair de Patmos, era somente sair “em espírito”;

19. Havia tantos homens em melhores condições que João para receberem a revelação de Deus, cultos e muitos em liberdade para enviarem e irem pessoalmente entregarem as cartas, mas Deus escolheu João, um prisioneiro, limitado por muralhas e soldados;

20. João produziu mais em prisões do que em liberdade, pelo menos a mensagem foi bem mais impactante. Um verdadeiro escriba, copista. Sua cabeça deve ter virado e revirado. Quantas informações novas e estranhas até então;

21. Para conhecermos a situação do mundo basta abrirmos Folha, Estadão, Veja, Noticias populares, O Imparcial, Oeste Notícias. Quem lê estes jornais e revista certamente se espanta, mas quem lê estuda o Apocalipse não se espanta com nada;

22. As igrejas que receberam as cartas viraram ruínas, em virtude do tempo, pois nada resiste, mas a mensagem correu o mundo. O material virou ruína. O espiritual resistiu ao tempo;

23. Qual dos deuses da antiguidade se revelou ao homem com tamanha perfeição e nitidez? Bel, Baal, Astarote, Moloque, Dagom, Quemos? Segundo o Salmos 115 eles não poderiam fazer nada e nunca fizeram;

24. As cartas alcançaram o objetivo na época, mas com o passar dos tempos, a frieza novamente atacou o povo e as portas para o paganismo foram abertas;

25. Quantos de nós não fomos orientados a não lermos o livro? A justificativa era porque a igreja não estará participando ativamente dos acontecimentos relacionados, mas também a igreja não participou da caminhada no deserto, não esteve com os patriarcas de Israel e tampouco presenciou o ministério terreno de Jesus. Então não precisamos ler a Bíblia?

26. Conforme as igrejas recebiam a mensagem, elas se preocupavam com os outros irmãos do mundo? Saíram correndo para avisá-los? Será que avisaram a igreja de Jerusalém e a alertaram sobre a volta e sobre o sofrimento;

27. Quando as reações em cadeia começar não existirá homens, exércitos, material bélico, armas, tecnologia que poderão deter os acontecimentos;

28. Se a Bíblia fosse vendida por livro, separados, certamente no ranking dos mais vendidos não encontraríamos o Apocalipse?

Por: Ailton da Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário