segunda-feira, 31 de maio de 2021

Geografia Bíblica - aula 1

I – GEOGRAFIA BÍBLICA

A Geografia Bíblica estuda as terras, fenômenos físicos, biológicos, personagens, povos, culturas e tradições, com a intenção de proporcionar um melhor entendimento das histórias do Antigo e do Novo Testamentos. Contemplando cenários, entendendo comportamentos, se aprofundando em culturas, tradições e se localizando histórica e geograficamente, então entenderemos que os acontecimentos bíblicos mudaram tempos, espaços, fronteiras, comportamento e que manifestam a glória de Deus na Terra. 

 

I – O CRESCENTE FÉRTIL E ISRAEL

1) O CRESCENTE FÉRTIL

O Crescente Fértil era uma insignificante área localizada na Ásia Ocidental, berço da civilização, com uma área de 2.184.000 km, entre o Golfo Pérsico e o Sul da Palestina, uma espécie de arco, meia lua crescente. Essa região enfrentou uma serie de lutas entre seus habitantes e os povos nômades do deserto. Todos queriam tomar conta dessas terras.

Na Mesopotâmia (meso – entre; potamos – rios), floresceram duas grandes civilizações: ao norte, a Assíria e ao Sul, a Babilô­nia. Os rios Tigre e Eufrates cercam esse miste­rioso território, ocupado, atualmente, pelo Iraque e parte do Irã. Foi em Ur dos Caldeus que Abraão foi chamado e deu inicio ao surgimento do que seria no futuro Israel, berço de grandes patriarcas, profetas, juízes, reis, sábios e justos, desde sempre guardada pelo Todo-poderoso para acolher o Salvador da humanidade.

 

2) OS PRIMEIROS HABITANTES DA TERRA SANTA E ISRAEL

Bem antes de Israel conquistar suas terras, outros povos há habitavam nessa região (Dt 7.1), principalmente os heteus, girgaseus. amorreus, cananeus, fereseus, heveus e jebuseus, que tinham como vizinhos os amalequitas, midianitas, moabitas, amonitas, edomitas, fenícios e sírios. 

Os hebreus, descendentes de Sem, filho de Noé, se originaram a partir de Abraão, Isaque e Jacó. Os dez filhos de Jacó, juntamente com dois filhos de José, formaram a espinha dorsal da nação: Rúben, Simeão, Judá, Dã, Naftali, Gade, Aser, Issacar, Zebulom. Benjamim, Manassés e Efraim, estes dois últimos filhos de José. A tribo de Levi não teve herança, pois era considerada uma tribo à parte devido a consagração a Deus (Nm 1.47-49).

Assim Israel surgiu no cenário mundial, ainda em terras estranhas e hoje é a região mais visada da Terra, pois tem despertado o interesse e se tornou palco de sangrentas batalhas.

 

3) A ENTRADA DOS HEBREUS NA TERRA PROMETIDA

Josué introduziu os hebreus na Terra Prometida e a dividiu conforme as tribos, porém os vizinhos sempre estiveram à espreita de Israel, ora induzindo à idolatria, ora roubando suas colheitas, mas pela misericórdia, Deus levantava juízes para julgar o povo e libertá-los da opressão.

 

4) MONARQUIA – O REINO UNIDO

O profeta Samuel, chamado de fazedor de reis, representou a transição do período da judicatura e mo­narquia. Os dois primeiros reis foram ungidos por ele, Saul e Davi. As doze tribos foram unificadas em um reino, que durou cerca de cento e vinte anos. Nesse período as fronteiras de Israel foram alargadas. O sucessor de Davi, Salomão foi o responsável pela construção do grande Templo em Jerusalém, reinado marcado pela paz interna e externa.

 

5) REINO DIVIDIDO

Com a morte de Salomão, o reino foi dividido e dez tribos formaram o reino do Norte, ou Israel, sob o comando de Jeroboão, enquanto que as tribos de Judá e Benjamim, leais a Davi, formaram o reino do Sul ou Judá.

 

6) O CATIVEIRO ASSÍRIO E BABILÔNICO E A RESTAURAÇÃO

A divisão do reino enfraqueceu os dois lados, principalmente o Norte, mas ambos os reinos não perceberam o perigo que se aproximava, os assírios e os babilônicos. O reino do Norte foi levado cativo para a Assíria e o reino do Sul foi levado por Nabucodonosor para Babilônia. Após o fim do exilio na Assíria as dez tribos do reino do Norte nunca mais foram mencionadas, ficaram perdidas na história, pois ao retorno da Babilônia, após setenta anos, a nação de Israel foi restabelecida e ficaram conhecidos como judeus. 

Foram anos de lutas, glórias que se seguiram até o advento do Império Romano, que no ano 70 d.C. destruiu o Templo e dispersou os judeus pelos confins da Terra. Somente em 1948 com a promulgação da criação do Estado de Israel, os judeus puderam voltar e tomar posse da Terra Prometida.


Fonte: Apostila Curso Básico de Teologia do SETEM – Seminário Teológico Manancial. Elaboração: Pb. Ailton da Silva 

Por: Ailton da Silva - 11 anos (Ide por todo mundo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário