sexta-feira, 28 de maio de 2021

Terra. A preparada para o homem - Capítulo 5

Continuação...

AQUI NÃO HABITA PECADO!

A situação se tornou caótica, após este acontecimento, pois Deus ordenou a saída do homem do paraíso, já que se dependesse dele, jamais sairia, uma vez que o pecado somente afetou a sua natureza santa e não criou desapego ou ódio por aquele lugar.

O plano do inimigo era fazer com que os dois desobedecessem a Deus, exteriorizando o desejo de se tornarem iguais a Ele. Talvez imaginasse que seriam mantidos no jardim, mesmo em pecado, para então dar o golpe final com a ajuda deles. Uma nova derrota para o inimigo se desenhava, pois não seriam permitidas brechas para o pecado e para piorar a situação houve a revelação da promessa da restauração da humanidade.

O homem foi colocado em um mundo totalmente oposto ao que ele vivia até aquele momento e ficou sujeito a todos os sentimentos, além de ser preciso desprender força física para obter o seu sustento.

Assim o pecado contribuiu para a proliferação do mal, porém, por outro lado, Jesus veio diminuir esta força maligna com a sua eterna Graça, a única capaz de salvar o pecador.

Logo após a queda a situação do homem seria outra, bem diferente daquela vista após o sexto dia:

  • Homem mau, imperfeito, pecador e destituído da Glória, sem a semelhança e somente com a imagem de Deus;
  • Homem em guerra com a natureza, pois a sua exploração desenfreada seria diária a fim de tirar dela o sustento, através do suor;
  • Homem limitado: o passado não poderia ser apagado (Gn 2.7), o homem veio do pó e não passava disto;
  • Homem carente: seria possível haver solução para aquele caso? Teria como mudar (Gn 3.7) o presente? Primeira ocorrência na Terra da lei da semeadura, plantou, colheu. E a salvação, perdão ou restauração à condição original? Houve somente misericórdia e promessa de restauração. Ainda não era hora da manifestação da plenitude do amor de Deus, que se concretizaria com o envio de seu Filho Amado;
  • Homem passivo diante do seu futuro: O suor, trabalho, dores, tristezas, tragédias e morte deveriam ser enfrentados.

Mesmo diante deste quadro catastrófico Deus não se arrependeu[1] de toda a sua obra, pelo menos até aquele momento.


[1] Não somente o homem seria destruído como também os animais.

Por: Ailton da Silva - 11 anos (Ide por todo mundo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário