Presidente Prudente (SP),

Apresentação da lição em power point

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Aparência de uma igreja morta

Contribuição do Pastor Geraldo Carneiro Filho
V- A APARÊNCIA DE UMA IGREJA MORTA:

(1) – HÁ UM PREGADOR MORTO - No púlpito, um homem su­perficial fala a pessoas superficiais, encorajando-as a serem mais superficiais.

(1.1) - Suas mensagens acham-se cheias de poemas, literatura, opiniões pessoais, sociologia e histórias interessantes.

(1.2) - É eloquente, mas não ungido.

(1.3) - Tem dicção apropriada, mas não dinâmica.

(1.4) - É como um aquecedor quebrado: o vento, para ativar a combustão, continua sendo produzido, continua traba­lhando, mas o calor se foi, não existe mais.

(2) – POSSUI ADORAÇÃO MORTA - É como andar em museu de cera: Não há vida.

(2.1) - Adoram como se Jesus Cristo ainda estivesse morto e enterrado.

(2.2) - Não há améns, apenas bocejos.

(2.3) - Os cantos congregacionais são desanimadores.

(2.4) - Faz tanto frio nestas igrejas que até se pode esquiar em seus corredores.

(3) – TEM MINISTÉRIO MORTO - Não há evangelismo ou missões.

(3.1) - Há teias de aranha no tanque batismal.

(4) – POSSUI ESPERANÇA MORTA - Tudo o que fazem é reviver o passado.

(4.1) - Adoram no santuário da tradição.

(4.2) - Vivem dos bons velhos dias.

(4.3) - Não têm avivamento, apenas reuniões.


Por: Ailton da Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário