Álvares Machado, SP -

Apresentação da lição em power point

Mais apresentações em:http://www.slideshare.net/ailtonsilva2000/presentations

domingo, 13 de maio de 2012

Lição 7 - pós aula

Sardes tinha um ponto fraco e seus inimigos descobriram. Descuidaram do portão dos fundos;

A igreja também teve o seu ponto fraco e o “inimigo” conhecia;

Nos antigos duelos, nos bang-bang, o agente funerário sempre ficava ao lado esperando o resultado, mas antes ele fazia questão de medir os duelantes, para providenciar antecipadamente o “caixão”;

A cidade de Sardes queria sepultar a igreja? Não via a hora;

Qual foi a reação da igreja de Sardes ao tomar conhecimento do conteúdo da carta?

O maligno não atuava em Sardes, pois não tinha muito o que roubar, matar ou destruir;

Ele atua hoje, incansavelmente, pois tem muito a roubar, matar e destruir na igreja;

O processo de morte da igreja de Sardes foi lento, doloroso e imperceptível à olhos humanos;

A minoria, que não estava morta, sustentava a igreja;

Historicamente, a igreja copiava a cidade. No passado foi a glória e naquela época foi a ruína. A igreja foi uma boa copista, ou ainda é?

A igreja era tão pretenciosa quanto a cidade. “Com a nossa cidade não acontece isto. Comigo não acontece isto”. Acontece sim;

Pérgamo, Tiatira, Sardes e Filadélfia, enfim chegamos ao estágio final da igreja, ou não?

Cuidado Filadélfia, se não vigiares você pode se tornar uma Laodicéia;

Sardes esqueceu do que Deus houvera feito por eles. Seria possível esquecermos de onde fomos tirados?

Contribuição de um aluno: “A igreja viveu da história, mas não fez história;

Poderíamos chamar os discípulos de Jesus de “igreja”. Por alguns dias ficaram escondidos, esperando a promessa (Lc 24,49), mas no fundo eles temiam as represálias e a perseguição. Qualquer batidinha na porta era capaz de amedrontá-los. O que faltava a eles? Justamente o que daria vida a eles, o Espírito Santo;

As cidades em sua maioria foram erguidas ao lado, ou sob montanhas, colinas e elevações por questões de segurança, mas no fundo a intenção era outra. Eles queriam que suas cidades fossem vistas de longe. Alguns diziam: “Olha lá a minha cidade. Olha lá a minha igreja. Olha lá a minha congregação. Olha lá eu”.

Como Israel perdia facilmente a memória? Josué fez questão de lembrar Israel: “Eu e minha casa serviremos ao Senhor” (Js 24,15). E vocês?

Israel poderia ser considerado a Sardes do Antigo Testamento? Nas trajetórias bíblicas sempre houve a manifestação de remanescentes. Para um Caim existiu um Abel, em meio aos 10 filhos problemáticos de Jacó esteve José e Benjamim, diante da idolatria de Israel ainda havia 7000 fiéis e por ai a fora;

Após o recebimento da carta houve mudanças nos corações?

Faltou a Isaias palavras para descrever o Espírito Santo, então ele definiu daquela forma (11.2). Que riqueza ele nos deixou;

Sardes não conhecia a ela mesma, por isto caiu. E nós?

Deus abre a porta, mas quem tem que passar por ela é o homem. A igreja foi avisada, mas a ação teria que partir dela;

Deus se preocupou com aqueles que não estavam contaminados, pois os mortos não demonstraram nenhuma reação. Assim como muitos hoje desviam e declaram: “Não quero mais, não desejo e não sinto mais nada”;

Por outro lado existem muitos que, mesmo no mundo do pecado, desejam e buscam em Deus uma mudança de vida. E são alcançados;

Se Deus prometesse destruir a igreja de Sardes, será que o remanescente intercederia como Abraão (Gn 18.23-33)?

Por: Ailton da Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário