Presidente Prudente (SP),

Apresentação da lição em power point

domingo, 1 de julho de 2012

Lição 1 - pós aula


A igreja sabe o que Jó não soube. As lutas, sofrimentos e provações são benéficas e permitidas por Deus (Jo 16.33; I Pe 4.12);

Será que ao final do trimestre ainda veremos crentes aflitos? Sim, veremos, mas certamente serão aqueles que, na hora da aflição, saberão reagir;

Digo isto para que: “tenhais paz”. Um dia, tudo terá fim, mas por enquanto é necessário passarmos por tais situações;

Um dos mantras muitos usados em nossas igrejas é: “No mundo tereis aflições...... Eu venci o mundo e vós vencereis também”. Jesus venceu o mundo, mas nós.......?

Todos desejam a segunda parte do texto áureo. Eu particularmente inverteria a sequência: “No mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo. Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz”;

Não temos e não existem anti-virus para as aflições;

Deus não retirou Elias da aflição do tempo presente de Israel (I Rs 17.1), que era a seca e fome. Ele não foi poupado. Ele enfrentou o que havia profetizado;

Porque Deus não retirou ele para que não enfrentasse aquela situação? Afinal ele era o servo de Deus e não poderia passar por aquilo. "É inadmissível vermos um profeta do quilate de Elias passando fome e necessidade". Ele somente foi retirado deste mundo depois de ter passado por tudo aquilo (II Rs 2.1);

O apóstolo Paulo recebeu uma mensagem de Jesus: “Diga a ele o quanto deverá padecer pelo meu nome” (At 9.16);

Principio da fé: Hb 11.34-40. Principio do desfrute da fé: Hb 11.33, mas qual o homem prefere? A vitória, a conquista do impossível ou as aflições dos grandes homens e mulheres de Deus?

Hb 11.33 – quantos milagres grandiosos, quantas vitórias;
Hb 11.34-40 – quantas aflições, tribulações. As vitórias foram grandes, mas as aflições foram muito maiores;

As aflições do tempo presente são melindrosas e traiçoeiras;

Deus não envia relatórios ou tampouco dá satisfações, aos provados, de algo que diga respeito a sua soberania. Ele age, permite e faz;

Deus não revelou o motivo da provação para Jó e tampouco ao Maligno foi permitido que soprasse em seus ouvidos (fofoca), pois se ele soubesse o porque daquela prova, certamente se engrandeceria, se mostraria forte. Ele não soube, por isto falou coisas loucas (Jó 42.1-3);

Para o Maligno seria tão bom se Jó soubesse os motivos da prova. Como ele reagiria se soubesse que Deus havia dado testemunho dele? Quem sabe não diria: “Eu sou o cara? E não permitiria a afronta e desconfiança de seus amigos, mulher, e se fosse um Jó atual não permitira nenhuma palavra a seu respeito vinda da “igreja”, tipo: Deus está cobrando, você está em pecado e blá, blá, blá, que conhecemos muito bem;

Se soubéssemos que todas as nossas lutas, provas e aflições são permitidas por Deus para o nosso bem, crescimento e fortalecimento, certamente nos sentiríamos mais fortes e confiantes. MAS NÓS SABEMOS (Jo 16.33; Hb 12.11; I Pe 4.12);

Conheci um pastor aqui da região que me contou a tua história, nos meus primeiros anos de conversão. Ele enfrentou a mesma situação de Jó, perdeu tudo, morou de favor em uma “tuinha”, quase um chiqueiro, que ele e a família limparam, enquanto isto os companheiros de ministério diziam: “Pastor ...... confessa o teu pecado e saia desta situação”;

Cuidado!  As aflições do tempo presente vão embora, mas costumam levar a salvação de muitos;

Teoria do vencimento (minha): Antigamente não havia datas de validades nos produtos, principalmente enlatados e ninguém sofria tanto quanto hoje. Certa feita fui defender esta minha teoria e comi uma mortadela vencida há alguns dias, para provar que nada aconteceria. Me dei mal, a noite na igreja, a visão sumiu, tudo escureceu e pedi ao segundo dirigente que desse continuidade no culto. Os produtos vencem porque recebem uma química monstruosa que realçam seus sabores e mantém a qualidade, mas os consumidores ficam propensos a todos os tipos de doenças e consequências;

As aflições de ordem natural, econômica e física são, muitas delas, provocadas pelo próprio homem, através do seu consumismo desenfreado, produção loucas em escalas e grandes investimentos que não retornam com os lucros desejados. Depois quem sofre somos nós, nos supermercados e postos de gasolina da vida;

Perguntei aos alunos qual seria a reação deles se contemplassem um irmão na igreja, na mesma situação de Jó? E se ele perdesse tudo, ficasse doente, câncer, aids, depressão e se ficassem na porta da igreja todos os dias se coçando com cacos de telhas? Imaginem as respostas?  

Perguntei as irmãs, qual seria a reação delas caso isto acontecesse com seus maridos. Imaginem as respostas?

Mesmo com a formação técnica, universitária, é necessário força para estarmos diante de algumas enfermidades. A igreja foi preparada, capacitada e comissionada para enfrentá-las (Mc 16.18);

A teologia da prosperidade ensina que basta colocar um sinal nos umbrais da porta (Ex 12.7) para que as doenças, aflições e sofrimentos não entrem nas casas. Ah! Se fossem tão fácil assim;

Lameque pediu um nota musical para suas esposas e cantou: “porque eu matei um homem por me ferir, e um jovem por me pisar” (Gn 4.23), lá, lá, lá, lá;

Esta pergunta foi providencial e louvável: “Os profetas do AT não foram tão perseguidos ou sofreram tanto quanto os servos do NT”? Lembrei da seguinte situação: Como os patriarcas morreram? Abraão, Isaque, Jacó, José e Moisés? Todos fartos de dias e todos foram sepultados pelos seus filhos, irmãos ou pelo próprio Deus (Moisés). Morreram com posses, inclusive José era um estadista, respeitado. Moisés morreu feliz com a sua derradeira visão (Dt 34.4). O profeta Elias foi retirado deste mundo e conduzido por uma comitiva especial. Davi morreu em boa velhice. E os apóstolos e a igreja primitiva? Como morreram? Quanta diferença;

Plantamos ventos e colhemos tempestades (Os 8.7), tenta abanar alguém do seu lado para ver se ele não reclama, ainda mais se for uma mulher com cabelo chapeado;

Caim matou Abel porque suas obras eram más (I Jo 3.12) e não foi propriamente na ocasião do sacrifício. A situação já vinha deteriorando o seu caráter. A rejeição da oferta foi o estopim;

A mesma situação pode ser vista na reação da mulher de Jó, pois o que ela disse foi muito mais profundo do que somente amaldiçoar a Deus, na verdade ela quis dizer: “Saia da presença deste seu Deus e morra”. Mas é nestas que devemos ficar perto Dele;

Por duas vezes Jó se mostrou coluna de sua casa, a primeira foi na preocupação com seus filhos (Jó 1.5) e quando repreendeu sua mulher (Jó 2.10);

Especial: A mulher de Jó:
Realmente concordo com a ala feminina da classe que afirmou que foi muito difícil para aquela mulher ver seu marido perdendo os bens, os filhos, que ela havia gerado e cuidado, perdendo a saúde, apodrecendo, cheirando mal, quase um mendigo. E tudo isto foi do dia para a noite. Não tinha outra reação. A sua condição psicológica estava totalmente abalada. Eu nunca havia pensado nisto. Por isto é que é bom a EBD, aprendemos em todas as aulas.


Por: Ailton da Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário