terça-feira, 22 de junho de 2021

Os primogênitos: Deixa o meu ir, senão levo o seu. - capítulo 1

b) Missão de José: preparar a visita de Deus

Jacó, antes de sua morte previu que algo de ruim poderia acontecer com o seu povo no Egito, no entanto, não ficariam desprotegidos, pois logo seriam visitados por Deus, para serem tirados daquela terra (Gn 48.21, 50.25).

Como Jacó sentia seus últimos dias, fez José jurar que o levaria para ser sepultado com seus pais (Gn 47.30) e, por conseguinte, José fez seus irmãos prometerem o mesmo (Gn 50.25). O pedido foi atendido[1] e nenhum osso do patriarca hebreu permaneceu no Egito (Gn 50.7-11; Ex 13.19).

José, o profeta e governador do Egito, poderia ter sido sepultado em uma pirâmide menor que as dos faraós, mas fez seus irmãos jurarem que levariam seus ossos quando fossem embora, depois da visita de Deus (Gn 50.25).

Não queria ser sepultado no Egito, para não ter seu nome associado à múmias. O bonito da história é que a promessa, que teve um peso incalculável, depois de muitos anos ainda ardia no coração dos descendentes. Seus ossos foram retirados do Egito por Moisés (Ex 13.19) e enterrados posteriormente em Siquém, já na Terra Prometida (Js 24.32).

José, o sábio, preferiu perder a glória momentânea que teria direito no seu sepultamento, para depois receber uma honra ainda maior, pois saiu nos braços do libertador de Israel, Moisés. Ele enxergou o futuro, desprezou o prédio histórico e preferiu a terra de Canaã para esconder temporariamente o seu corpo sem vida.



[1] Promessa feita a um patriarca tinha muito peso. Deveria ser cumprida.

Por: Ailton da Silva - 11 anos (Ide por todo mundo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário