sábado, 10 de julho de 2021

Anticristo. A solução material com implicações espirituais! - Capítulo 7

A GRANDE TRIBULAÇÃO. O INÍCIO DA ADMINISTRAÇÃO 

O medo tomará conta de muitos no futuro, mas o que temer? A humanidade pelo menos conhece o que provocará tamanho medo? Os trágicos acontecimentos que estão reservados para a humanidade são capazes de conscientizar a Igreja na atualidade?

A Grande Tribulação é um período conhecido, não esperado ou ardentemente desejado, tal como arrebatamento da Igreja. Na verdade será um evento extraordinário que antecederá a manifestação do Mal.

Como será doloroso para os que não forem arrebatados quando contemplarem, com ciência, os primeiros atos do governo do Anticristo. Uma dor imaginável, diante de uma alegria incontrolável do Maligno, que estará concretizando um de seus maiores desejos desde então, que é o de governar, enganar e destruir o homem, a coroa da glória da criação de Deus.

Será um período de dores, angústias, sofrimento, aflição, opressão, infortúnio, calamidade, perseguição e pressão, em proporções nunca vista antes na Terra, portanto a Igreja deve alertar a humanidade quanto aos riscos e consequências. Este período também é reconhecido biblicamente por outros nomes, tais como:

  • Tempo de destruição (1 Ts 5.3);
  • Tempo de eclipse e escuridão (Is 24.20-23; Am 5.18);
  • Tempo de castigo (Ez 20.37-38);
  • Tempo de choro (Am 5.16-17);
  • Tempo de aflição (Mt 24.21);
  • Dilúvio de açoites (Is 28.15-18);
  • Tempo de angústia de Jacó (Jr 30.7; Sf 1.15);
  • Última semana de Daniel (9.24-27);
  • Ira futura (1 Ts 5.9).

O mundo conhecerá o salvador das pátrias falidas e desesperadas. Mesmo nestas condições ainda haverá alguns valentes pregadores, os ditos anunciadores de elite aparecerão que continuarão a labuta sob o peso da espada do Anticristo, poucos, mas ainda existirão alguns que não temerão.

 

A) QUANDO SE INICIARÁ A GRANDE TRIBULAÇÃO:

A Grande Tribulação terá início no momento em que o Detentor cumprir sua última missão, que é de levar e entregar a noiva ao Cordeiro em plenos ares (Lc 21.35-36; 1 Ts 1.10; 5.9).

 

B) SITUAÇÃO DA IGREJA DURANTE A GRANDE TRIBULAÇÃO:

A Igreja será retirada antes, por ocasião do arrebatamento e estará, neste momento, se regozijando nas Bodas do Cordeiro, após passar pelo tribunal de Cristo.

Portanto a Grande Tribulação está destinada aos ímpios e judeus inconversos (Dn 9.24-27), pois a última semana de Daniel está reservada para o povo judeu, para a sua santa cidade e para todos aqueles que não creram, que desprezaram ou que não aceitaram Jesus como Salvador.

Alguns sinais evidenciam que a Igreja não estará presente na Terra durante este período:

  • Na metade da última semana, o Anticristo fará cessar os sacrifícios[1] diários, uma prática exclusividade judaica não adotada pela Igreja;
  • Os judeus inconversos não serão arrebatados juntamente com a Igreja, por isto ficarão sujeitos ao Anticristo e firmarão um pacto, que jamais poderia ser feito com a Noiva do Cordeiro. Portanto a Igreja não será exposta ao mal que virá sobre a humanidade.

continua...

[1] A Igreja não se utiliza mais deste artifício para se achegar a Deus, uma vez que o nosso sacrifício atende pelo nome de Jesus, o Cristo

Por: Ailton da Silva - 11 anos (Ide por todo mundo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário