Apresentação da lição em power point

terça-feira, 13 de setembro de 2011

PIB de Israel

Não desejo entrar já no 4º trimestre, antes da hora não, mas estava pensando agora há pouco, enquanto andava de moto e me detive na diferença entre os cerca de 400 anos de escravidão de Israel no Egito e os 70 anos de cativeiro na Babilônia.

1) Qual foi o PIB de Israel durante "400" anos no Egito?

2) Qual foi o PIB durante os 70 anos na Babilônia?

Proporcionalmente descontanto o tempo em que os egpcios foram gratos a José, pela ajuda, daria mais ou menos 1/6. Então vejamos:

a) Israel não produziu nada no Egito, somente trabalhou forçadamente;

b) Na Babilônia, devemos levar em conta, que muitos preferiram ficar quando foram autorizados a retornarem do exílio, porque? Medo da viagem da volta, mas ele voltaram com júbilio. Ou porque tinham propriedades, produziram riquezas naquelas terras

c) Os babilônicos foram espertos, pois a intenção deles não foi aumentar seus gastos com "INSS". Não tinham pretensão de socorrer os doentes, aposentados, encostados por acidentes de trabalho. Eles queriam produção, riqueza, queria aumentar o PIB deles.

d) Não foi a toa que levaram somente os que tinham forças, vigor, inteligência, não deixaram ninguém com competência em Jerusalém.

Sempre tive na mente que o cativeiro babilônico não foi um período para sofrimento, isto eles conheceram no Egito. O que Israel estava precisando era de correção, de sentir a importância da liberdade de expressão, religiosa e outros.

e) PIB de Israel em 2008: 200,7 bilhões - 52° lugar (http://pt.wikipedia.org/wiki/Economia_de_Israel). É muita coisa para a sua pouca idade ou muito pouco para toda a sua tradição e história.

Por: Ailton da Silva

Um comentário:

  1. No Egito construiram (para eles) piramides, esfinges, cidades estados, fortalezas, palácios. Tudo para satisfação do ego farônico.

    No exílio alavancaram a economia babilônica, se enriqueceram a ponto de não deixarem o filé

    Hoje, pouco mais de 60 anos, está entre os 30% de países mais ricos, um grande avanço, mas se levarmos em conta a sua histórica tradição, que remota os idos abraâmicos, ainda é muito pouco, era para estarem em melhores condições, mas fizeram por onde.

    ResponderExcluir