terça-feira, 28 de setembro de 2021

Os primogênitos: Deixa o meu ir, senão levo o seu. Capítulo 5

Indisciplinados, não estavam preparados para enfrentar inimigos poderosos como os filisteus que habitavam às margens do Mar Mediterrâneo, por isto foram desviados para o caminho mais longo (Ex 13.17-18), que em tese seria fácil e até mesmo seguro.

Esta rota, traçada por Deus, era o caminho mais longo, tanto para irem quanto para voltarem, caso tivesse esta ousadia e coragem. Se tivessem ido pelo caminho mais curto, certamente os revoltosos voltariam mais rápido para o Egito.

Em muitas oportunidades pediram autorização para o retorno ao Egito, mas no fundo sabiam o quanto seria difícil o retorno, mesmo porque como atravessariam o Mar Vermelho? A nado com suas próprias forças? Ou imaginavam que Deus pudesse separar as águas e tornar seco o caminho para os derrotados e indisciplinados?

Em condições normais seria possível percorrer este trajeto em pouco mais de trinta[1] dias, mesmo com toda aquela carga.

Seguiram o caminho mais longo, porém necessário, já que para ficar marcado na história das duas nações algo de extraordinário deveria acontecer e Deus ainda tinha muito por mostrar aos hebreus durante o trajeto.

Se tivessem seguido pelo caminho curto, de poucos dias, certamente não veriam as operações, misericórdias e milagres de Deus e não teriam a certeza da chamada.

Pelo caminho longo, os egípcios seriam eliminados, os filisteus, seus futuros inimigos, seriam evitados e quando chegassem em Canaã já teriam a experiência e estrutura para suportarem e reprovarem a conduta pecaminosa dos cananeus, sem contar que já teriam forças suficientes para lutarem pelas suas próprias terras. Além do mais, pela caminhada amariam mais a obra e passariam este sentimento às futuras gerações.

Mas antes de enfrentarem os cananeus, se depararam com outro grande inimigo, o deserto, que para alguns, era considerado o único obstáculo até Canaã. Todos tinham ciência, mas não queriam encará-lo, desejavam facilidades. Quem sabe não pensaram transladação até o destino final? Isto contrariava a vontade de Deus, que desejava a adoração e o serviço naquele lugar (Ex 5.1), para provarem dignos de na Terra Prometida.

Deus afirmou que se tornariam uma grande nação, mas como poderiam crer com convicção diante daquela precária situação? Famintos, pobres, medrosos, alguns doentes, outros com intenções[2] diferentes. Somente Deus poderia trabalhar em favor deles. O socorro viria do alto, a partir do momento em que para lá olhassem (Sl 121.1).

continua...



[1] Levando-se em conta que dentro da normalidade era possível andar algo entre vinte ou trinta quilômetros por dia, dependendo da carga e do número de pessoas.

[2] Alguns “estrangeiros” (Ex 12.38), assim como alguns hebreus não estavam totalmente convictos da bênção ou convertidos.

Por: Ailton da Silva - 12 anos (Ide por todo mundo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário