terça-feira, 31 de agosto de 2021

Os primogênitos: Deixa o meu ir, senão levo o seu. Capítulo 4

c) A terceira proposta indecente (Ex 10.7-11)

Faraó permitiria a saída, somente dos pais de família e dos adultos solteiros, sem as suas respectivas famílias. Um ataque a esta instituição tão importante, tal como seu antecessor quando ordenou a matanças dos recém-nascidos dos hebreus no passado.

Indiretamente a sua ordem tentava anular ou impedir o crescimento das famílias hebreias, já que muitos pais temeram e não tiveram filhos. Moisés não aceitou a proposta, pois conhecia a importância deste primeiro grupo social.

Esta proposta foi um verdadeiro golpe de mestre, pois as esposas ficariam desprotegidas no Egito juntamente com os jovens e crianças, enquanto que os chefes de família e demais adultos seriam libertos e fatalmente contrariam novos casamentos no deserto com as mulheres de outras nações.

A saída parcial do povo, como queria Faraó, resultaria no fracionamento e fragilização das famílias, dividindo-as. Neste caso veríamos um número elevado de viúvas de maridos vivos e de órfãos de pais vivos. Esta proposta de Faraó traria resultados nefastos para o povo de Deus:

  • Famílias sem o governo dos pais, sem provisão, sem proteção e sem direção;
  • Maridos sem as esposas e viajando no deserto enquanto que as crianças e jovens estariam no Egito sendo preparadas para uma futura escravização;
  • Uma miscigenação devastadora, pois os pais de família e demais adultos estariam sozinhos no deserto, supostamente a caminho de Canaã, mas não resistiriam aos enganos das mulheres pagãs e idólatras. Por sua vez, as jovens deixadas no Egito se casariam com os incrédulos egípcios. Enfim, haveria a total perda de identidade espiritual.

Faraó enxergou o potencial dos jovens hebreus, mas também por outro lado viu a fragilidade, o que poderia facilitar no caso de um novo período de escravidão, ou seja, a opressão na mente das crianças e jovens produziria uma mão de obra escrava ou barata no futuro. Era uma espécie de liberdade provisória comemorada no presente que se tornaria uma escravidão garantida no futuro.

continua...

Por: Ailton da Silva - 11 anos (Ide por todo mundo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário