Presidente Prudente (SP),

Apresentação da lição em power point

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Arrependimento, a base para o concerto. Plano de aula.

ARREPENDIMENTO, A BASE PARA O CONCERTO

A EXPOSIÇÃO DA PALAVRA:
• LEITURA
• ENSINO
• EXPLICAÇÃO
• ENTENDIMENTO
• APLICAÇÃO

PROPOSTA DA LIÇÃO
• Avivamento: humilhação, arrependimento e confissão;
• Sinais do verdadeiro arrependimento–sinceridade e profunda humilhação;
• O avivamento despertou o povo para se apartarem dos estranhos;
• 6 horas de ensino da palavra;
• 6 horas de confissão e adoração;
• Resgate da história e das atuações de deus;
• Deus permaneceu fiel a israel, mesmo diante de sua incredulidade;
• Os judeus clamaram pela misericórdia e firmaram concerto com deus.

INTRODUÇÃO
A exposição da Palavra (leitura, ensino, explicação, entendimento e aplicação) promoveram um grande avivamento entre os judeus, conduzindo-os ao arrependimento, condição essencial para o concerto.

O avivamento gerado pela exposição (leitura, ensino, explicação, entendimento e aplicação) da Lei não se restringiu apenas a cânticos e celebrações, apesar, que eles não encontravam motivos para cantarem em terras estranhas (Sl 137), então agora poderiam sem nenhum problema. Motivos para alegria não faltavam, haja vista estarem diante da obra concluída e terem resgatados parte da tradição, da religiosidade e do nacionalismo. O essencial era que este avivamento gerasse contrição, confissão de pecados e arrependimento e foi isto o que realmente aconteceu.

Os judeus reconheceram o desprezo que manifestaram pela Palavra e que todos os anos em que estiveram no exílio foram consequências de seus próprios erros, mas tinham ciência que Deus estava lhes proporcionando uma nova chance, uma oportunidade para se aproximarem (II Cr 7.14) a fim de serem restaurados.

O avivamento abriu as portas para um verdadeiro arrependimento que foi a base para o novo concerto. Esta regra não se aplicou apenas aos judeus durante o exercício de Neemias e Esdras, mas é valido para toda e qualquer época.

I. OS RESULTADOS DE UM GENUÍNO AVIVAMENTO
1. Arrependimento e confissão de pecados (Ne 9.1).
Israel sempre foi alertado sobre o perigo da desobediência, mas sempre ignoraram estes avisos imaginando que não estariam assim tão próximos do juízo de Deus. Após o avivamento, algo que como escamas lhes caíram dos olhos, e entenderam que o tempo do cativeiro houvera sido uma conseqeência da apostasia, imoralidade e injustiça. Aquele convívio com os babilônicos foi de muitas perdas e prejuízos à identidade de Israel, mas por outro lado foi um tempo de refrigério e concerto para sua nação.

Os judeus não resistiram ao quebrantamento promovido pela exposição da Palavra (leitura, ensino, explicação, entendimento e aplicação), pois Ela é viva, eficaz e penetrante (Hb 4.12), tanto que firmaram um novo concerto com o Senhor. Tradicionalmente havia somente uma forma de demonstrarem que estavam realmente avivados e arrependidos dos seus pecados, que era o jejum e as vestes de panos de sacos. Isto era prova de que o avivamento produziu o efeito desejado. O verdadeiro arrependimento seria fruto do verdadeiro avivamento.

Ao ouvirem e entenderem a Palavra, choraram pelos pecados (8.9), se humilharam e quebrantaram os corações diante de Deus, ações suficientes para que evitassem novamente os erros. Naqueles dias houve mudança de vida e quebrantamento, sinais evidentes do verdadeiro arrependimento (abandono do pecado para voltar-se a Deus) que é uma das doutrinas fundamentais da fé cristã (Rm. 2.4; II Pe. 3.9).

2. Sinais do verdadeiro arrependimento.
O verdadeiro arrependimento move o coração de Deus e implica em mudança de vida e não em remorsos. O resultado destas atitudes humanas é a restauração. Vestir-se de panos de sacos e trazerem terras sobre si (Jó 2.12; 1 Sm 4.12; Lm 2.10) eram sinais de profunda humilhação diante de Deus, mas não caracterizavam o verdadeiro arrependimento (Jl 2.12-13).

A exposição da Palavra (leitura, ensino, explicação, entendimento e aplicação) produziu o efeito desejado no povo (8:9) e permitiu uma aproximação a Deus. Neemias e Esdras estiveram preocupados, desde o início, com o entendimento e não com o sentimento e agora diante do resultado contemplavam o povo agindo com a consciência e não movidos pelo emocionalismo.

3. Apartaram-se dos povos idólatras (Ne 9.2a).
O grande problema de Israel após a sua entrada em Canaã foi a relação com os seus vizinhos e com os povos que não foram expulsos, pois sempre ficaram propensos a idolatria, abominação para Deus (Dt 18.9-12). Uma das principais evidências de que estava ocorrendo uma mudança no povo foi justamente o fato de terem que se colocar na posição que agradaria a Deus, desta forma se afastariam de outros povos e de seus inúmeros deuses.

A grande preocupação de Esdras, o sacerdote, era com os casamentos mistos, por isto determinou que os judeus despedissem suas mulheres estrangeiras (Ed 10), pois elas não tinham a mesma fé e o mesmo Deus (II Co 6.14; Jo 3.19-21). Isto não caracterizava um conflito racial, mas sim uma preocupação teológica (10.28). A união com outros abria as portas para a idolatria e para o maldoso sincretismo disfarçado. Apartando destes povos, os judeus, ficavam livres de seus costumes pagãos. O resultado desta atitude foi o despertamento espiritual de todos.

O casamento misto foi um dos grandes problemas do rei Acabe que casou-se com Jezabel, uma estrangeira (I Re 16.31) e o mesmo fato foi repetido pelo rei Salomão que se casou com muitas mulheres estrangeiras, pervertendo o seu coração (I Re 11”1-2).

II. A LEI DO SENHOR E REMINISCÊNCIA
1. Valorizando a Lei do Senhor.
Foram exatamente seis horas de exposição da Palavra (leitura, ensino, explicação, entendimento e aplicação). Todos se reuniram como um só homem, com os ouvidos atentos, reverentes, chorando, se prostrando, se alegrando e se prontificando a obediência (8.3).

2. A confissão dos pecados.
Da mesma forma procederam com a confissão dos seus pecados, pois se ajuntaram novamente em jejuns, vestidos de pano de saco e trazendo terra sobre si para ouvirem a lei e confessarem os seus pecados em duas quartas partes do dia (9.1-3).

A leitura gerou contrição e resultou na confissão de pecados (Pv 28:13), que é o sinal do arrependimento, por isto o avivamento espiritual não demorou a acontecer.

3. Relembrando a história do seu povo.
O povo poderia até mesmo ter esquecido da história de seus antepassados, mas os lideres fizeram questão e tiveram o zelo em lembrar-lhes. Resgataram a história e trouxeram a memória somente o que pudesse aumentar a esperança deles (Lm 3.21), pois reconheceram Deus como Criador, lembraram das promessas a Abraão, das misericórdias e operações no Egito e no deserto, da glória no Sinai, das provisões mesmo diante da dureza dos corações e das inúmeras vitórias antes e depois de entrarem em Canaã. Na saída do Egito foram cerca de 3 milhões, felizes com a libertação, mas com Zorobabel, Esdras e Neemias menos de 50.000 retornaram que aliados com o restante que não foram levados cativos (1.3) reconstruíram o muro, viveram o verdadeiro avivamento seguido do arrependimento e firmaram o novo concerto com Deus.

III. A GRANDE MISERICÓRDIA DE DEUS
1. “Deus clemente e misericordioso” (Ne 9.31).
Israel nunca foi desamparado, apesar dos seus inúmeros pecados cometidos, pois todas as vezes que o povo se arrependia e voltava-se para Deus alcançava o livramento.

A aliança feita com Abraão, Isaque e Jacó sempre foi mais forte do que qualquer ato impensado dos judeus e não poderia ser quebrada por qualquer manifestação insanidade judaica. O que diriam as outras nações, caso Deus interrompesse a sua misericórdia para com Israel devido aos seus constantes erros?

2. A súplica de Israel.
Diante do arrependimento demonstrado bastava aos judeus suplicarem pela misericórdia de Deus (9.32) para que fossem novamente visitados, agraciados e libertos, de uma vez por todas, das conseqüências do cativeiro (9.32-37). Eles ainda se encontravam na situação de escravidão, mesmo estando em seu próprio território.

3. Um firme concerto.
Os sacerdotes, levitas e os lideres do povo (9.38) se uniram em prol de um concerto pelo qual se comprometeriam em andar segundo a lei de Deus. As conseqüências pós exílio ainda perturbavam a mente dos judeus, por isto eles mesmo enxergaram a necessidade de mudança em suas vidas, ainda mais após o extenso e detalhado histórico de queda de Israel e das providências de Deus (9.4-38).

Reconstruíram os muros, resgataram tradições e participaram de um grande avivamento justamente no momento em que se julgavam sem condições e sem esperanças.

CONCLUSÃO – OBJETIVOS DA LIÇÃO
A exposição da Palavra proporcionou ao povo o avivamento e os conduziu a renovação do concerto com Deus.

1) Saber: O arrependimento é condição para um genuíno mover:
• Não resistiram ao quebrantamento, mudaram de vida;
• Se arrependeram e se apartaram dos idólatras.

2) Conscientizar-se: Deus se faz presente em todos os momentos:
• Resgataram a história, trouxeram a memória os feitos de Deus;
• Lembraram das misericórdias e das operações de Deus em Israel.

3) Confiar: Na grandeza da misericórdia divina:
• Nunca foram desamparados, apesar dos erros;
• A aliança com Israel era bem mais forte e jamais será quebrada.

REFERÊNCIAS:
BARBOSA, Francisco A. Arrependimento, a base para o concerto. Disponível em: http://auxilioebd.blogspot.com/2011/11/4-trimestre-2011-licao-7-arrependimento.html. Acesso em 09 de nov. 2011.

BARBOSA, José Roberto A. Arrependimento, a base para o concerto. Disponível em: http://subsidioebd.blogspot.com/2011/11/licao-07.html. Acesso em 09 de nov. 2011.

Bíblia de estudo aplicação pessoal. CPAD, 2003

Bíblia Sagrada: Nova tradução na linguagem de hoje. Barueri (SP). Sociedade Bíblica do Brasil, 2000

Bíblia Sagrada – Harpa Cristã. Baureri, SP: Sociedade Bíblica do Brasil, Rio de Janeiro: Casa Publicadora das Assembléias de Deus, 2003.

LOURENÇO, Luciano de Paula. Arrependimento, a base para o concerto. Disponível em: http://luloure.blogspot.com/2011/11/aula-07-arrependimento-base-do-concerto.html. Acesso em 09 de nov. 2011.

REDE BRASIL DE COMUNICAÇÃO. Arrependimento, a base para o concerto. Disponível em: http://www.rbc1.com.br/licoes-biblicas/index/. Acesso em 10 de nov. 2011.

JESUS, Isaías de. Arrependimento, a base para o concerto. Disponível em: http://rxisaias.blogspot.com/2011_11_01_archive.html#4213044883120450998. Acesso em 10 de nov. 2011.

Por: Ailton da Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário