quinta-feira, 5 de agosto de 2021

Neemias: como sair do anonimato - Capítulo 12

SITUAÇÃO MINISTERIAL APÓS A RECONSTRUÇÃO 

1) SEGUNDO ESTADO DE JERUSALÉM:

Todos ofertaram voluntariamente e trouxeram os dízimos da terra para manutenção do Templo (10.32-38). Este foi um dos frutos do avivamento produzido.

A destruição do Templo e cidade, por Nabucodonosor, foi uma forma de punição pela apostasia judaica e após os setenta anos de cativeiro (II Cr 36.21), receberam a permissão para retornarem a Jerusalém (II Cr 36.23).

 Zorobabel, Esdras e Neemias foram os responsáveis por três grandes obras: reconstrução do Templo, muros, portas e cidade pelo resgate dos ritos e ensinos da Lei. Bastava aos judeus conservarem, pois estava em questão não somente o presente, mas o futuro daquela nação.

No ano 70 d.C., o Templo foi novamente destruído, agora pelos romanos, sob o comando do general Tito e desde então se passaram muitos anos sem o Templo, sem sacrifícios e sem sacerdotes (Os 3.4). 

 

a) Nova tarefa: Organização do serviço religioso:

Templo reconstruído por Esdras significava o pronto restabelecimento do canal de comunicação com Deus. O muro erguido e as portas levantadas era um sinal de proteção para o povo. O concerto firmado selava a reaproximação com Deus. Estes três acontecimentos colocava definitivamente um ponto final na triste história do cativeiro dos judeus.

Mas a cada dia surgia uma nova tarefa para Neemias, que nunca se mostrou vaidoso, pois nunca gravou seu nome em colunas, portas ou fixou placas para que ficassem registrados nos anais da história judaica os teus feitos.

Então surgiu a necessidade do restabelecimento e organização do ministério levítico. Aos poucos Neemias foi avançando para aquele que sempre foi o alvo principal de sua missão, o Templo.

A reconstrução do muro foi sim para proteger a cidade, o avivamento foi para alegrar o povo e o concerto teve as suas beneficies, porém desde o inicio, ainda na Pérsia, seu ministério mirava algo mais, sempre pensou no resgate da comunhão de seu povo com seu Deus.

Uma santa convocação reuniu todos os responsáveis para que o serviço religioso do Templo fosse restaurado. Todos se purificaram, sacerdotes, levitas, cantores e o povo e desta forma ofereceram grandes sacrifício em meio a jubilo e alegria. O lamento inicial do povo foi transformado em regozijo, pois houve alegria, louvor e cânticos em ações de graças ao Senhor (Ne 12.43).

 

b) Importância do Templo (10.32-39):

O resgate do serviço sacerdotal não dizia respeito ao presente, mas na verdade mirava o futuro dos judeus, por isto se empenharam ao máximo e não permitiram que aventureiros, interesseiros, religiosos ou politiqueiros se aproveitassem da situação.

Os líderes serviram de exemplos e não deixaram suas vaidades dominarem-nos, pois na foram vistas mudanças radicais na engenharia do Templo e tampouco foram incluídos novos ornamentos, monumentos, placas, etc.

A preocupação foi em manter todas as diretrizes entregues por Deus a Moisés ainda no deserto na ocasião da construção do Tabernáculo (Êxodo caps. 25, 26, 27). Não houve inovações e invenções. 

Mas será que os que ajudaram Zorobabel não questionaram a sua intenção de reconstruir o Templo primeiro? Erguer a nossa maior riqueza espiritual e deixar os nossos tesouros expostos? Todos sabiam que sem o Templo os judeus não eram nada. Não seria melhor murar a cidade e proporcionar o mínimo de segurança?

Era necessário que o povo visse o Templo reerguido, para que sentissem a presença de Deus constante. Quando o povo visse o símbolo de sua religiosidade erguido certamente não colocará obstáculos para reconstruir a cidade.

continua...

Por: Ailton da Silva - 11 anos (Ide por todo mundo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário