Presidente Prudente (SP),

Apresentação da lição em power point

sábado, 31 de dezembro de 2011

Confissão positiva: estrelas internacionais e nacionais

a) Internacionais:
Essek W. Kenyon, KennethHagin, Ken Hagin Jr., Kenneth e Glória Copeland, T. L. Osborn, Fred Price, Hobart Freeman, Charles Capps, Jerry Savelle, John Osteen e Lester Sumrall, Bob Tilton, Rex Humbard, Marilyn Hickey, John Avanzini, Benny Hinn, Paul Yonggi Cho. Dentre todos estes o mais famoso, talvez seja Benny Hinn, autor do livro “Bom Dia, Espírito Santo”, que histericamente já levou seus membros a proclamá-lo um deus-homem, um deusinho caminhando por este planeta.

Entre seus muitos ensinos heréticos um se destaca pela criatividade (grifo meu), vejamos:

“Adão era um ser sobre-humano quando Deus o criou. Não sei se as pessoas chegam a saber disso, mas ele foi o primeiro super-homem que já existiu. Adão não só voava [como os pássaros], mas também voava para o espaço (...) com um pensamento ele estaria na Lua (...) podia nadar [debaixo d'água] sem perder o fôlego, e sua esposa fazia o mesmo (...) Ambos eram sobre-humanos” ROMEIRO (1993, p. 17).

O nosso informativo, o jornal Mensageiro da Paz, publicou uma nota sobre Benny Hinn, em 1992 sobre este livro que estava apavorando muitos crentes e conhecedores da Palavra nos Estados Unidos. Nunca li este livro e muito menos agora desperta interessa.

b) nacionais:
Algumas igrejas abraçaram este movimento deturpador da verdadeira mensagem da salvação. A literatura evangélica foi bombardeada por estes tipos de livros, hinos triunfalistas, ainda não estão escandalosos, pois creio que mesmo iludidos, muitos crentes conseguiriam discernir algo do gênero. Exemplo, imaginemos a seguinte letra: “Você é Deus, faça o que quiser, não temas em pedir autorização. Ordene, as hostes te obedecerão, os anjos te servirão, se você não DISSER Deus fica se ação. Depende de você”. Sei lá, escrevi isto ouvindo um hino triunfalista e fui tentando encaixar uma nova letra.

Livrarias evangélicas entupidas de literaturas e louvores em alusão a confissão positiva, mesmo que alguns ainda meio timidios, mas já estão. Imaginem o que os pecadores pensam de todos nós. “Antigamente viviam convidando para irmos em seus cultos e quando chegávamos, insistiam para que aceitássemos Jesus. E hoje é isto que pregam e se preocupam”?

Não precisamos ir muito longe não. Comparem os cultos de ensino e a EBD com os chamados cultos de campanha. Não sou extremamente contra estes tipos de trabalhos. Eu mesmo já dirigi muitos cultos em meados de 2004, 2005 em uma de nossas congregações, mas sempre com pregação e ensino da Palavra. O tema era restauração, da vida espiritual, depois Deus cuidaria da material, restauração do nosso amor a Deus, nunca fiquei somente no “Dê e receba irmão”.

Transcrevo algumas das figuras nacionais destacadas pelo autor, a saber: R. R. Soares, Jorge Tadeu (líder das igrejas Maná, em Portugal, na época da publicação), Valnice Milhomens, Pr. Cássio Colombo (o "tio Cássio"), Miguel Ângelo da Silva Ferreira e Edir Macedo (com alguns resquícios do movimento da fé).

Referencia bibliográfica:
ROMEIRO, Paulo. Supercrentes. O Evangelho segundo Kenneth Hagin, Valnice MIlhomens e os profetas da prosperidade. Editora Mundo Cristão, São Paulo, 1993.

Por: Ailton da Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário